Bancários de Piracicaba se mobilizam contra as demissões do Santander

07.12.2012

Dirigentes do Sindicato dos Bancários de Piracicaba e Região realizaram na manhã desta sexta-feira (7) manifestação contra as demissões em massa que atingiram a rede de agências e os centros administrativos do Santander em pleno fim de ano, às vésperas do Natal. A onda de dispensas foi deflagrada no início desta semana com o desligamento de […]

Dirigentes do Sindicato dos Bancários de Piracicaba e Região realizaram na manhã desta sexta-feira (7) manifestação contra as demissões em massa que atingiram a rede de agências e os centros administrativos do Santander em pleno fim de ano, às vésperas do Natal. A onda de dispensas foi deflagrada no início desta semana com o desligamento de 9 funcionários somente na base de Piracicaba. Durante toda esta semana foram mais de 1.000 demissões em todo país; com fechamento de cerca de 166 postos de trabalho só na base da Federação de São Paulo e Mato Grosso do Sul. Informações extraoficiais são de que o banco pretende demitir cerca de 5.000 trabalhadores.

A luta das entidades sindicais é pela reintegração de todos os funcionários desligados e a manutenção dos empregos. O Movimento Sindical já cobrou uma negociação com o banco, mas até o momento não obteve retorno.

"Queremos uma negociação com o Santander para discutir a suspensão imediata das dispensas e a manutenção dos empregos dos trabalhadores", salientou o dirigente sindical José Jaime Perin.

Os dispensados estão empregados com mais de 20 anos de banco, muitos às vésperas da aposentadoria, e até pessoas com deficiência. "Trabalhadores que dedicaram uma vida inteira à instituição não podem ser descartados dessa forma. Além disso, essas dispensas só podem estar ocorrendo para que o banco economize com os funcionários e amplie suas remessas à Espanha", denuncia.

Em Piracicaba, dos nove demitidos, quatro tinham cargo de coordenadores com 23, 24, 25 e 27,6 anos de banco; dois tinham cargo de gerente geral, com 24 e 32 anos de banco; um tinha o cargo de recuperação de crédito, com 30 anos de banco e um era superintendente, com 40 anos de banco.

No entendimento do movimento sindical e dos funcionários do banco, não há motivos para cortar empregos, já que o banco não demite na Espanha onde há crise, nem em outros países da América Latina.

De acordo com o dirigente sindical Marcelo Abrahão, nada justifica essas demissões. Nos nove primeiros meses do ano, o banco lucrou R$ 5,694 bilhões no Brasil. "Ao invés de promover um Natal de demissões em massa, o Santander deveria fazer contratações, acabar com a rotatividade, melhorar as condições de trabalho e apostar no crescimento do país. Por isso, sindicatos e federações estão exigindo a reintegração dos desligados e a manutenção dos empregos dos trabalhadores”, disse.

Fonte: Feeb-SP/MS com Seeb Piracicaba

Notícias Relacionadas

Teletrabalho: CEE recusa proposta apresentada pelo banco

Proposta sobre teletrabalho retrocede e é prejudicial aos trabalhadores   A Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Caixa Econômica Federal se reuniu ontem (16) com o banco para mais uma rodada de negociação. Na ocasião foi analisada a proposta sobre teletrabalho apresentada pelo Banco. Representantes dos trabalhadores recusaram a proposta e destacaram retrocesso e medidas […]

Leia mais

BB insiste em reduzir ciclos avaliatórios da GDP

Campanha Nacional O Banco do Brasil voltou a propor a redução dos ciclos avaliatórios da Gestão de Desempenho Profissional (GDP), durante a sétima rodada virtual de negociação da pauta específica com a Comissão de Empresa (CEBB), realizada nesta terça-feira, dia 16 de agosto. O banco quer apenas um ciclo avaliatório para descomissionar; o aditivo à […]

Leia mais

Financiários se reúnem com a Fenacrefi nesta quarta-feira (17)

Reunião será a primeira negociação da Campanha Nacional 2022 A Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) participa nesta quarta-feira (17), junto com demais representantes dos financiários, da primeira negociação da Campanha Nacional 2022, com a Federação Interestadual das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Fenacrefi). Inicialmente, […]

Leia mais

Sindicatos filiados