Bancários do Santander se manifestam contra demissões

23.09.2020

Banco espanhol já demitiu mais de 1000 profissionais em todo o país A Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul mobiliza nesta semana, junto aos sindicatos filiados, a campanha contra as demissões em massa do banco espanhol. Até o momento, o Santander já demitiu mais de […]

Banco espanhol já demitiu mais de 1000 profissionais em todo o país

A Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul mobiliza nesta semana, junto aos sindicatos filiados, a campanha contra as demissões em massa do banco espanhol. Até o momento, o Santander já demitiu mais de mil funcionários em todo o país, em plena pandemia.

As demissões tiveram início em junho e seguem até o momento atual. De acordo com a representante da Feeb, Patrícia Bassanin, o banco age em desconformidade com a ética e o o compromisso com o trabalhador. “O banco contraria ao demitir em plena pandemia, o compromisso assumido de não demitir neste período”, destaca. Uma das justificativas dadas pelo banco foi a de que as demissões tem ocorrido devido à redução do número das atividades dentro das agências.

Para esta quinta-feira, 24, os representantes da categoria bancária organizam “O dia Nacional de Luta”, e se mobilizarão nas redes sociais em protesto às demissões e em defesa do emprego. Um tuitaço deve ocorrer às 12h com a #SantanderPareAsDemissoes.
“As demissões são injustas, tem ocorrido por telefone, sem nenhuma consideração e respeito com o trabalhador. Sem contar que o número de metas continua sendo grande assim como as cobranças excessivas, o que gera desconforto e diante do contexto, adoecimento físico e emocional ao trabalhador”, explica Bassanin.

A categoria cobra transparência e informações por parte do banco aos seus funcionários e entidades representativas. Durante o primeiro semestre de 2020, o Banco Santander lucrou no R$ 5,989 bilhões, mesmo com a pandemia.
“É muito importante que cada base articule atividades dentro das possibilidades e com preservação às medidas de segurança e saúde do bancário e da bancária”, reforça o presidente da Feeb, Jeferson Boava.
 

Notícias Relacionadas

Semana reforçou a conscientização sobre o combate às LER/Dort

A data chama atenção para duas doenças que têm relação direta com o trabalho e que atingem milhões de brasileiros Nesta semana, no dia 28 de fevereiro (última quarta-feira) foi o Dia Mundial de combate às Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (Dort). A data foi escolhida pela Organização Internacional […]

Leia mais

COE e Itaú discutem revisões nos programas de remuneração

Durante a reunião foram apresentadas modificações nos programas. O movimento sindical deve elaborar contraproposta em breve  A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú realizou nesta quinta-feira (28), em São Paulo, uma reunião com a direção do banco para debater questões relacionadas à remuneração dos funcionários. Durante o encontro, o banco apresentou alterações nos […]

Leia mais

Trabalhadores discutem futuro da Fundação Itaú-Unibanco

Em seminário promovido pela Contraf-CUT e COE Itaú trabalhadores debateram caminhos para aumentar representatividade na gestão do fundo de pensão Trabalhadoras e trabalhadores associados à Fundação Itaú-Unibanco se reuniram, nesta quinta-feira (29), em um seminário organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e pela Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú, […]

Leia mais

Sindicatos filiados