Bancários vão parar a partir do dia 18

13.09.2012

Os bancários da base da Federação de São Paulo e Mato Grosso do Sul participaram nesta quarta-feira, 12, de assembléias em seus sindicatos e deliberaram por greve a partir do dia 18, por tempo indeterminado, em resposta à proposta de 6% de reajuste salarial apresentada pela Fenaban na mesa de negociação. Assembleias organizativas serão realizadas […]

Os bancários da base da Federação de São Paulo e Mato Grosso do Sul participaram nesta quarta-feira, 12, de assembléias em seus sindicatos e deliberaram por greve a partir do dia 18, por tempo indeterminado, em resposta à proposta de 6% de reajuste salarial apresentada pela Fenaban na mesa de negociação. Assembleias organizativas serão realizadas na próxima segunda-feira, 17.

O representante da Federação, Aparecido Roveroni, ressalta que desde o início das negociações os bancários se mostraram dispostos a resolver as questões na mesa, os bancos, porém, apresentaram uma proposta insuficiente, frustraram a categoria e em nenhum momento demonstraram interesse em avançar. “Nossa resposta é a paralisação. Estamos preparados para isso e continuaremos na luta por melhores condições para o bancário. É ele que garante os lucros estrondosos dos bancos e precisam ter a valorização devida por isso”, finaliza.

Para o secretário-geral da Feeb-SP/MS, Jeferson Boava, chegou a hora do enfrentamento. “No dia 28 de agosto, durante a sexta rodada, a Fenaban apresentou sua contraproposta, que inclui reajuste de 6%; reivindicamos 10,25%. Naquele dia e nas duas rodadas posteriores, dias 29 de agosto e 4 de setembro, o Comando considerou insuficiente o reajuste. No último dia 5, o Comando enviou ofício à Fenaban sinalizando que estava aberto ao diálogo até o dia da assembleia. Os banqueiros nada propuseram. Diante de total descaso, a greve é a nossa resposta. Com luta, vamos quebrar a intransigência da Fenaban”.

As principais reivindicações dos bancários

>>  Reajuste salarial de 10,25% (aumento real de 5%).

>>  Piso salarial de R$ 2.416,38.

>>  PLR de três salários mais R$ 4.961,25 fixos.

>> Plano de Cargos e Salários para todos os bancários.

>> Elevação para R$ 622 os valores do auxílio-refeição, da cesta-alimentação, do auxílio-creche/babá e da 13ª cesta-alimentação, além da criação do 13º auxílio-refeição.

>> Mais contratações, proteção contra demissões imotivadas e fim da rotatividade.

>> Fim das metas abusivas e combate ao assédio moral

>> Mais segurança

>> Igualdade de oportunidades.

Leia também: Negociações específicas do BB e Caixa serão retomadas nesta sexta  

Notícias Relacionadas

Caixa terá processo seletivo para a escolha dos diretores da FUNCEF

Inscrições já foram iniciadas e seguem até a próxima quinta-feira (9/2) Os cargos de diretor-presidente e diretor de Investimentos e Participações Societárias e Imobiliárias da Fundação dos Economiários Federais (FUNCEF) serão escolhidos por meio de processo seletivo. O anúncio foi feito em edital publicado pela Caixa. As inscrições tiveram início na última sexta-feira (3/2) e […]

Leia mais

Santander implementa teletrabalho em áreas administrativas

Modalidade é válida para áreas administrativas e contemplam eixo São Paulo e Rio de Janeiro O Santander anunciou que irá implementar o teletrabalho (home office). A modalidade é válida para bancários das áreas administrativas, lotados majoritariamente no eixo São Paulo e Rio de Janeiro, segundo as regras previstas na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria. As […]

Leia mais

Santander paga PLR e demais adicionais no dia 28 de fevereiro

Representantes da Comissão de Organização de Empregados (COE/Santander) foram informados nesta terça-feira (01), sobre a data de pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). O valor será creditado no dia 28 deste mês. Junto com a PLR bancárias e bancários do Santander receberão os percentuais do Programa Próprio de Resultados do Santander (PPRS), do […]

Leia mais

Sindicatos filiados