Banco do Brasil informa retorno ao trabalho presencial

17.09.2021

Bancários pontuam falta de negociação e cobram planejamento Nesta semana, o Banco do Brasil anunciou o retorno dos bancários ao trabalho presencial. Bancários do Banco do Brasil poderão retornar ao trabalho presencial de forma opcional. Um comunicado interno foi enviado ontem (15), para informar funcionárias (os) que estão em home office, e não pertencem ao […]

Bancários pontuam falta de negociação e cobram planejamento

Nesta semana, o Banco do Brasil anunciou o retorno dos bancários ao trabalho presencial. Bancários do Banco do Brasil poderão retornar ao trabalho presencial de forma opcional. Um comunicado interno foi enviado ontem (15), para informar funcionárias (os) que estão em home office, e não pertencem ao grupo de risco, sobre a possibilidade do retorno ao trabalho presencial a partir do dia 20 de setembro. Segundo o banco, o retorno é opcional e válido inclusive para aqueles que ainda não se vacinaram ou completaram as duas doses do imunizante.

De acordo com avaliação da Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS), o retorno deve ser feito de forma planejada. “O ideal é um retorno gradual e bem planejado. A não exigência do ciclo completo de vacinação é muito preocupante”, pontua Elisa Ferreira, representante da Feeb SP/MS, na Comissão de Empresas dos Funcionários do Banco do Brasil.

Recentemente, durante a 23ª Conferência Nacional dos Bancários, o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), divulgou pesquisa que mostra que quase 13 mil bancários e bancárias, revelam que o trabalho remoto garantiu mais proteção contra a pandemia. Entre os que ficaram em teletrabalho, 77% não apresentaram diagnóstico positivo de Covid-19, contra 23% contagiados. Já entre os que estiveram em trabalho presencial, o percentual de contaminação foi de 38%.

De acordo com o comunicado interno, o retorno ao trabalho presencial pode ser feito para funcionários que não são grupo de risco (estes permanecem em casa), de forma voluntária e não obrigatório.

“Hoje esse público é de cerca de 18 mil funcionários, sendo a maioria de área meio e diretorias. Vale destacar que esse retorno não suprirá a demanda das agências, que estão sobrecarregadas e fazendo um importante trabalho. Portanto, o ônus pode ser muito maior que o bônus, levando em consideração a gravidade da doença e a baixa taxa de imunização”, destaca Elisa.

Governo
Segundo o Ministério da Saúde, atualmente quase 36% da população brasileira está imunizada. E, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), baseada em dados científicos, só é possível controlar a disseminação da Covid-19 quando 70% da população estiver devidamente imunizada.

Entidades sindicais relatam, ainda, dados que mostram a economia do Banco com o home office.

“A decisão foi tomada sem negociação e desrespeita o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) Emergencial da Covid-19, estabelecido no início da pandemia, que trouxe mais proteção à saúde dos funcionários e funcionárias de todo o país. É uma decisão impulsionada por um governo negacionista, que finge uma normalidade que não existe”, completa a representante da Feeb SP/MS.

 

Notícias Relacionadas

Banco do Brasil se compromete a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024

A garantia foi dada pela direção do banco na terceira mesa de negociação da Campanha Nacional 2024, nesta sexta-feira (12), e tema será tratado durante período de renovação da CCT. O Banco do Brasil se comprometeu a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024 e a negociar a pauta durante o […]

Leia mais

Financiários cobram igualdade salarial e de oportunidades para mulheres e negros no setor

Com base em levantamento do Dieese, trabalhadores e trabalhadoras mostraram distorções salariais de gênero e raça Representantes dos financiários, no movimento sindical, se reuniram, nesta sexta-feira (12), com a Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi), para cobrar igualdade de oportunidades no setor. O encontro faz parte das negociações da Campanha Nacional […]

Leia mais

Nota da Feeb SP/MS sobre a destituição de gerentes da Caixa Asset

A Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) manifesta sua profunda preocupação com a recente destituição de três gerentes da Caixa Asset, subsidiária da Caixa Econômica Federal responsável pela gestão de ativos. Esses gerentes foram removidos de seus cargos após recusarem-se a aprovar uma operação de […]

Leia mais

Sindicatos filiados