BB Seguridade lucra 37,5% a mais no 1º trimestre

06.05.2014

Por Thais Folego | Valor Econômico  SÃO PAULO – (Atualizada às 9h31) A BB Seguridade reportou lucro líquido de R$ 648,7 milhões no primeiro trimestre, com crescimento de 37,5% sobre igual período do ano passado. O resultado veio acima do esperado pelos analistas consultados pelo Valor, que estimavam, em média, um ganho de R$ R$ […]

Por Thais Folego | Valor Econômico 

SÃO PAULO – (Atualizada às 9h31) A BB Seguridade reportou lucro líquido de R$ 648,7 milhões no primeiro trimestre, com crescimento de 37,5% sobre igual período do ano passado. O resultado veio acima do esperado pelos analistas consultados pelo Valor, que estimavam, em média, um ganho de R$ R$ 628 milhões.

O trimestre não apresentou eventos considerados extraordinários. Sobre o resultado ajustado do primeiro trimestre de 2013, o crescimento do lucro de janeiro a março deste ano foi de 42,6%.

“O desempenho neste trimestre, em relação ao mesmo período de 2013, foi impulsionado pelo crescimento do resultado operacional e pela forte recuperação do resultado financeiro”, diz a companhia na análise de seu desempenho.

Das cinco metas (guidances) que traçou para o ano, a companhia não cumpriu duas no primeiro trimestre. A arrecadação dos planos de previdência no período recuou 16,1%, ante meta de avanço de 33% a 47% no ano. Já o crescimento dos prêmios da operação de seguros patrimoniais (Mapfre BB SH2) foi de 10,6%, ante meta de avanço de 19% a 26%.

A companhia explica que o desvio na SH2 decorreu do desempenho de vendas abaixo do esperado no segmento de automóveis. Em previdência, o resultado fraco é reflexo da volatilidade na renda fixa ainda no ano passado, o que afetou a rentabilidade dos planos. “A companhia irá acompanhar o mercado para avaliar eventual necessidade de alterar as estimativas”, diz a BB Seguridade.

A holding de seguros do Banco do Brasil abriu capital em abril do ano passado e tem sob seu guarda-chuva uma corretora e quatro seguradoras, que atuam em todos os ramos de seguros, menos o de saúde.

Ainda no primeiro trimestre, o faturamento da BB Seguridade com prêmios de seguros e arrecadação com previdência privada e títulos de capitalização somou R$ 9,9 bilhões, com recuo de 2,11% na comparação com igual período do ano passado.

A queda das receitas foi puxada pela operação de previdência aberta, cujas contribuições caíram 16,1% de janeiro a março, para R$ 5 bilhões. Na análise de desempenho, a companhia explica que isso ainda é reflexo da alta volatilidade vista na renda fixa no ano passado, o que impactou a rentabilidade dos planos.

“No primeiro trimestre de 2014, ainda observa-se, em toda a indústria de previdência complementar aberta, um cenário adverso para arrecadação. No entanto, a rentabilidade dos fundos de investimento vem apresentando melhora, o que deve resultar em aumento da arrecadação no restante do exercício”, estima a companhia.

Com esse desempenho, a BB Seguridade não cumpriu no trimestre a meta para essa carteira, que é de crescimento entre 33% e 47% no ano.

A operação de seguros patrimoniais (Mapfre BB SH2) apresentou crescimento no trimestre, mas menor do que o visto em períodos anteriores. O volume de prêmios emitidos foi de R$ 2 bilhões, com avanço de 10,6%, também abaixo da meta de crescimento de 19% a 26% no ano. A companhia explicou que o desvio decorreu das vendas abaixo do esperado de seguros de automóveis no primeiro trimestre. “Tal desempenho foi influenciado, principalmente, pelo ambiente co mpetitivo no segmento e pelo comportamento do mercado varejista de carros novos”, diz a BB Seguridade.

Tanto no caso de previdência quanto de seguros patrimoniais, a companhia afirma que vai acompanhar o mercado “para avaliar eventual necessidade de alterar as estimativas”.

A queda em previdência e a desaceleração da unidade de apólices patrimoniais foram compensadas, em parte, pelo forte crescimento dos títulos de capitalização. A arrecadação de janeiro a março cresceu 19,2% em relação ao mesmo período do ano passado, para R$ 1,3 bilhão. O resultado ficou acima da meta de crescimento dessa carteira para o ano, que é de 10% a 15%.

“O desempenho ficou acima do limite superior das estimativas em virtude de uma base de comparação mais fraca representada pelo primeiro trimestre de 2013, quando a Brasilcap concluiu a revisão de seu portfólio de produtos. Para o restante do exercício, a companhia estima que a arrecadação com títulos de capitalização convirja para o interva lo de estimativas do guidance”, afirma a BB Seguridade.

A operação de seguro de vida, habitacional e rural (BB Mapfre SH1) emitiu R$ 1,5 bilhão em prêmios no primeiro trimestre, com crescimento de 29,5% em 12 meses, dentro da meta de avanço de 24% a 32% no ano.

Notícias Relacionadas

Bancários querem mais contratações, fim das demissões e da precarização

Comando Nacional propõe maior equilíbrio entre dias trabalhados, com momentos de descanso e lazer, com redução da jornada para quatro dias; proposta pode aumentar produtividade e satisfação com o emprego O Comando Nacional dos Bancários se reuniu na manhã desta segunda-feira (27) com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) na segunda reunião de negociação da […]

Leia mais

Bancários negociam com Federação Nacional dos Bancos nesta segunda-feira (27)

Temas Emprego e Terceirização são os primeiros temas a serem discutidos A Campanha Nacional do Bancário, iniciada na última semana, segue hoje (27) com mais uma negociação. Federações, associações e representação sindical negociam com a Federação Nacional dos Bancos as pautas “Emprego e Terceirização”. Os temas foram definidos pelo Comando Nacional dos Bancários na última […]

Leia mais

Bancários criam Comitê de Luta durante Congresso Nacional

Comitê nacional lutará para defender o BB como instituição pública e em apoio a projeto de Governo que fortaleça o banco e sua função social, de indutor do crescimento econômico com geração de emprego e renda O papel do Banco do Brasil na reconstrução do país foi um dos temas em destaque no 33° Congresso […]

Leia mais

Sindicatos filiados