Cade diz que compra do HSBC pelo Bradesco é complexa e decide aprofundar análise

02.02.2016

A Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) declarou nesta segunda-feira, no Diário Oficial da União (DOU), considerar "complexo" o ato de concentração que prevê a aquisição, pelo Banco Bradesco, de 100% do capital social do HSBC Serviços e Participações. Com isso, o órgão antitruste decidiu aprofundar a análise do negócio por meio de […]

A Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) declarou nesta segunda-feira, no Diário Oficial da União (DOU), considerar "complexo" o ato de concentração que prevê a aquisição, pelo Banco Bradesco, de 100% do capital social do HSBC Serviços e Participações. Com isso, o órgão antitruste decidiu aprofundar a análise do negócio por meio de novas diligências.

 De acordo com a Superintendência, "a instrução realizada até o momento apontou que a operação eleva o nível de concentração bancária, gerando a necessidade de se analisar, de forma cuidadosa, a eventual propensão a aumentos de preços para os consumidores na oferta de produtos e serviços financeiros e não financeiros". O negócio foi fechado em agosto de 2015, por US$ 5,2 bilhões.

Dentre as novas diligências, será solicitado, ao Departamento de Estudos Econômicos do Cade, elaboração de estudo quantitativo a respeito de impactos concorrenciais decorrentes da operação, e as empresas terão de apresentar, a critério delas, as eficiências econômicas geradas pela operação.
Além disso, as companhias também poderão apresentar estudos quantitativos ou qualitativos que possam mitigar as eventuais preocupações concorrenciais identificadas pela Superintendência-Geral.

A Superintendência ainda avisa na lista das providências que está aguardando "informações diversas já solicitadas às requerentes e concorrentes do mercado e ainda pendentes de resposta".
Com o aprofundamento da avaliação do negócio, a Superintendência-Geral do Cade informa que, se for o caso, poderá pedir ampliação do prazo de análise da operação, que foi notificada ao órgão em novembro do ano passado.

Fonte: Estadão
 

Notícias Relacionadas

Campanha Nacional: Combate ao Assédio Moral volta a ser negociado com Federação Nacional dos Bancos (Fenaban)

Bancos negam que causa de adoecimento está relacionada à cobrança de metas O Comando Nacional dos Bancários se reuniu com a Federação Nacional dos Bancos nesta segunda-feira (15), para mais uma negociação. O combate ao assédio moral foi novamente tema do debate. Apesar de mais uma vez os bancos negarem que a causa do adoecimento […]

Leia mais

CEBB negocia com o banco cláusulas econômicas e representação sindical

Ao término da negociação, bancários leram manifesto pela democracia Bancários do Banco do Brasil se reuniram nesta sexta-feira (12) com o banco para mais uma negociação da Campanha Nacional dos Bancários 2022, que tem por objetivo a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico dos trabalhadores do Banco do Brasil e do aditivo à […]

Leia mais

Federação dos Bancários orienta Sindicatos para realização de lives na próxima semana

Objetivo é promover o dialogo com a categoria e fortalecer pautas de luta na Campanha Nacional Conforme orientação do Comando Nacional, todo o movimento sindical deve dialogar com a categoria na próxima semana. A Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, reforça o pedido para os seus 23 sindicatos filiados, para […]

Leia mais

Sindicatos filiados