Caixa Federal adia debate sobre melhorias na promoção por mérito

29.04.2016

Frustrante! Assim pode ser definida a reunião desta quinta-feira (28), em Brasília (DF), que discutiria melhorias na promoção por mérito. Isso porque, ao contrário do que estava previsto, o Banco não apresentou os dados solicitados sobre a sistemática aplicada no ano passado. A posição foi duramente criticada pelos representantes dos trabalhadores, que querem saber os […]

Frustrante! Assim pode ser definida a reunião desta quinta-feira (28), em Brasília (DF), que discutiria melhorias na promoção por mérito. Isso porque, ao contrário do que estava previsto, o Banco não apresentou os dados solicitados sobre a sistemática aplicada no ano passado. A posição foi duramente criticada pelos representantes dos trabalhadores, que querem saber os motivos do grande número dos empregados não terem recebido nenhum delta em 2016. “Completo desrespeito da Caixa Federal”, destaca o representante da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, Gabriel Musso.

Sistemática anterior

No ano passado, 91.928 de um universo de 97.462 trabalhadores do Banco eram promovíveis, dos quais 63.520 (69,1%) receberam um delta este ano e 14.991 (16,3%) foram contemplados com dois deltas. Os que não alcançaram promoção chegaram a 13.417 empregados (14,6%).

Em 2015, houve a garantia de um delta com 40 pontos, 10 a menos que em 2014. Os critérios objetivos foram assim distribuídos: 20 pontos pela conclusão de 30 horas anuais de módulos da Universidade Caixa, cinco pontos pela participação no Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) e 15 pontos para a frequência medida pelo Sistema de Ponto Eletrônico (Sipon). Também foram considerados critérios subjetivos, com a garantia de até 20 pontos. Houve ainda extra de 10 pontos para iniciativa de autodesenvolvimento.

Representantes dos empregados

A bancada dos trabalhadores que trata das questões da promoção por mérito é composta por Genésio Cardoso (Fetec/PR), Leonardo dos Santos Quadros (Fetec/SP), Gabriel Musso de Almeida Pinto (Feeb/SP-MS), Vanessa Sobreira Pereira (Seeb/DF), Wandeir Souza Severo (Fetec/Centro-Norte) e Túlio Roberto Nogueira (Seeb/CE).

Fonte: Agência Fenae

Notícias Relacionadas

Financiários exigem fim de terceirizações e formalização do teletrabalho no setor

Movimento sindical também denunciou o aumento de contratações de correspondentes bancários, repassando os serviços para empresas que não cobrem os mesmos direitos reivindicados pela categoria Representantes dos trabalhadores financiários realizaram, nesta terça-feira (16), mais uma rodada da mesa de negociações com a Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi), desta vez, para […]

Leia mais

COE Santander reitera defesa dos direitos dos empregados durante negociação com o banco

A garantia do emprego foi um dos principais temas reivindicados A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander deu início às negociações do acordo específico com o banco, na tarde desta terça-feira (16). A defesa dos direitos dos trabalhadores e a garantia do empregos foram os principais temas debatidos. O movimento sindical cobrou o […]

Leia mais

Banco do Brasil se compromete a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024

A garantia foi dada pela direção do banco na terceira mesa de negociação da Campanha Nacional 2024, nesta sexta-feira (12), e tema será tratado durante período de renovação da CCT. O Banco do Brasil se comprometeu a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024 e a negociar a pauta durante o […]

Leia mais

Sindicatos filiados