Campanha Salarial: Comando Nacional alcança proposta com melhorias para os bancários

31.08.2022

Conquista prevê manutenção de direitos, aumento real no VA/VR e teto da PLR, inclusão de novas cláusulas sobre teletrabalho, combate ao assédio sexual e moral, entre outras. Comando Nacional orienta aprovação da proposta nas assembleias. O Comando Nacional dos Bancários conseguiu na madrugada desta quarta-feira (31), que a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), apresentasse uma […]

Conquista prevê manutenção de direitos, aumento real no VA/VR e teto da PLR, inclusão de novas cláusulas sobre teletrabalho, combate ao assédio sexual e moral, entre outras. Comando Nacional orienta aprovação da proposta nas assembleias.

O Comando Nacional dos Bancários conseguiu na madrugada desta quarta-feira (31), que a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), apresentasse uma proposta para 2022 e 2023, que beneficie a categoria. Para este ano, bancárias e bancários terão reajuste de 8% nos salários, aumento de 10% nos vales alimentação (VA) e refeição (VR), além de um adicional de R$ 1.000,00 em vale alimentação, a ser creditado até outubro de 2022.  A proposta também prevê reajuste de 13% para a parcela adicional da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) neste ano e, para 2023, aumento real de 0,5% (INPC + 0,5%) para salários, PLR, VA/VR e demais cláusulas econômicas.

Para o presidente da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, David Zaia, a negociação resultou positivamente para a categoria, tendo em vista o cenário econômico do país. “O sobe e desce na inflação colocou uma perspectiva da perda de direitos, mas chegamos ao término das negociações com um resultado positivo com garantia de todos os direitos do trabalhador, melhoria das cláusulas, reposição da inflação, melhorias nos tíquetes e na PLR, ou seja, conquistas importantes, com avanços que demonstram o respeito pelo trabalho que vem sendo feito pela categoria bancária, e que apontam para uma perspectiva muito positiva”, destacou.

Valores estimados/ano de PLR (Itaú, Bradesco e Santander)

Outros avanços

Teletrabalho
Além da ajuda de custo, os bancos concordaram com a reivindicação de controle de jornada para todos os trabalhadores; com o fornecimento e manutenção de equipamentos; com o direito à desconexão para que gestores não demandem os trabalhadores fora do horário de expediente; com a manutenção dos direitos da CCT aos trabalhadores que realizem suas funções fora das dependências do banco; com prevenção e precauções com a saúde dos trabalhadores; com a criação de canal específico para que os trabalhadores em teletrabalho tirem suas dúvidas.

Os trabalhadores com filhos de até quatro anos, ou com deficiência terão prioridade para o teletrabalho e as bancárias vítimas de violência doméstica poderão escolher se preferem trabalhar em domicílio, ou nas dependências do banco.

Os bancos facilitarão a realização de campanhas de sindicalização e o contato com os trabalhadores em teletrabalho.

Será criado um grupo de trabalho (GT) bipartite para acompanhar o cumprimento da cláusula.

Assédio sexual
A nova cláusula sobre assédio sexual fará repúdio a esta prática nos bancos e os gestores e empregados passarão por treinamento para prevenção e esclarecimento sobre medidas cabíveis pelos bancos. Também está em debate a participação das entidades sindicais no canal de denúncias a ser criado, assim como o acompanhamento dos casos pela comissão bipartite de diversidade que já existe.

Assédio moral e cobrança de metas
O tema será pautado na primeira reunião de negociação de 2023 dos bancos que têm comissões de empresa. Os bancos que não têm comissão de empresa devem realizar reunião específica com a representação dos trabalhadores para tratar do tema, a pedido do sindicato.

Complementação do auxílio doença
Com relação ao auxílio doença previsto na cláusula 29 da CCT, os bancos queriam estabelecer que somente teria direito ao auxílio o empregado que tivesse retornado ao trabalho e trabalhado ininterruptamente pelo período mínimo de 6 meses após o recebimento da última complementação. Após reivindicação do Comando, os bancos retiraram a proposta.

Segurança bancária
Criação de um Grupo de Trabalho Bipartite Específico para avaliar os dados estatísticos relativos à segurança bancária, bem como a possibilidade de acordo acerca da adoção de dispositivos de segurança, além dos obrigatoriamente previstos no artigo 20, da Lei n° 7.102/1983. O GT também avaliará dados estatísticos relativos à segurança bancária das unidades de negócios.

Assembleias

Sindicatos de bancários de todo o país realizam, nesta quarta-feira (31), a partir das 19h, assembleias para deliberação da proposta. O Comando Nacional dos Bancários recomenda a aprovação da proposta.

Para votar, os bancários devem acessar o link da Plataforma VotaBem (https://bancarios.votabem.com.br), ou link disponibilizado pelo seu sindicato.

Comando Nacional, com edição Feeb SP/MS

Notícias Relacionadas

Banco do Brasil se compromete a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024

A garantia foi dada pela direção do banco na terceira mesa de negociação da Campanha Nacional 2024, nesta sexta-feira (12), e tema será tratado durante período de renovação da CCT. O Banco do Brasil se comprometeu a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024 e a negociar a pauta durante o […]

Leia mais

Financiários cobram igualdade salarial e de oportunidades para mulheres e negros no setor

Com base em levantamento do Dieese, trabalhadores e trabalhadoras mostraram distorções salariais de gênero e raça Representantes dos financiários, no movimento sindical, se reuniram, nesta sexta-feira (12), com a Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi), para cobrar igualdade de oportunidades no setor. O encontro faz parte das negociações da Campanha Nacional […]

Leia mais

Nota da Feeb SP/MS sobre a destituição de gerentes da Caixa Asset

A Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) manifesta sua profunda preocupação com a recente destituição de três gerentes da Caixa Asset, subsidiária da Caixa Econômica Federal responsável pela gestão de ativos. Esses gerentes foram removidos de seus cargos após recusarem-se a aprovar uma operação de […]

Leia mais

Sindicatos filiados