Cartilhas de combate à violência de gênero fortalecem proteção e apoio às mulheres

27.03.2024

Manuais foram lançados ontem (25) e consolidam a luta das bancárias contra o assédio Representantes do Comando Nacional dos Bancários e a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) se reuniram nesta segunda-feira (25) para o lançamento de duas cartilhas de combate à violência de gênero: “Sexo Frágil – Um manual sobre a masculinidade e suas questões” […]

Manuais foram lançados ontem (25) e consolidam a luta das bancárias contra o assédio

Representantes do Comando Nacional dos Bancários e a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) se reuniram nesta segunda-feira (25) para o lançamento de duas cartilhas de combate à violência de gênero: “Sexo Frágil – Um manual sobre a masculinidade e suas questões” e “Como conversar com homens sobre violência contra meninas e mulheres”.

Os materiais fazem parte do Programa Nacional de Iniciativas de Prevenção à Violência Contra a Mulher, que busca a conscientização e o combate à violência de gênero, lançado em 2023 e considerado conquista das bancárias na luta contra o assédio no ambiente de trabalho e na sociedade. O projeto contou com organização da Me Too Brasil, do Instituto Maria da Penha e do Instituto Papo de Homem (PDH).

Para o movimento sindical, a conquista é a consolidação do avanço da luta das bancárias frente à defesa da igualdade de gênero e contra o assédio. “As publicações fazem parte de diversas conquistas obtidas em mais de 20 anos de reivindicações do ramo financeiro, no âmbito da mesa Igualdade de Oportunidade”, avalia o movimento sindical bancário. “Para nós do movimento sindical é a concretização de uma busca por respeito e igualdade que não começou ontem, mas no caso dos bancários, em cada convenção coletiva negociada. É uma realização!”, comemora Ana Stela Alves de Lima, representante da Feeb SP/MS no Comando Nacional.

Entenda

Em 2022 foi assinada entre os trabalhadores, o Comando Nacional dos Bancários e a Fenaban, a cláusula 86 da Convenção Coletiva de Trabalho. “Essa conquista possui importância singular porque extrapola as relações laborais dentro do local de trabalho para o âmbito da sociedade”, explica a representante. Durante o lançamento, o presidente da Febraban, Izaac Sidney, lembrou de outro relevante momento, a assinatura junto com as entidades representantes dos bancários, em março de 2020, do documento que institui ações preventivas em combate à violência e o assedio. “A partir daí os bancos passaram a fazer treinamentos com seus funcionários sobre todo tipo de violência contra a mulher, canais de apoio às vítimas foram criados, e ainda instituídas medidas protetivas, entre elas, a transferência de local de trabalho quando necessário à proteção. “Um grande exemplo positivo adicionado, inclusive, à convenção da OIT”, pontua Ana Stela. O presidente mencionou, ainda, o convite do governo para composição do grupo de trabalho interministerial para transparência na igualdade salarial e reiterou o compromisso com a causa.

Conteúdo

A publicação “Sexo Frágil – Um manual sobre a masculinidade e suas questões” foi desenvolvida pelo Instituto Maria da Penha (IMP) e Virtus – Defesa Social, Segurança Pública e Direitos Humanos. Enquanto a cartilha “Como conversar com homens sobre violência contra meninas e mulheres”, escrita por Viviana Santiago, foi desenvolvida pelas organizações Papo de Homem e Instituto PDH.

Veja a seguir, as principais conquistas das bancárias na CCT da categoria:

2000: inclusão do tema igualdade de oportunidade nas mesas de negociação;

2009: licença-maternidade de 180 dias e extensão de direitos aos casais homoafetivos;

2010: inclusão da cláusula que criou o programa de combate ao assédio moral;

2016: licença-paternidade de 20 dias;

2020: programa de prevenção à violência contra a mulher bancária, no âmbito doméstico e familiar, incluindo a criação de canais de acolhimento, orientação e auxílio às mulheres em situação de violência doméstica e familiar;

2022: cláusula que criou o programa de combate ao assédio sexual.

 

Notícias Relacionadas

Banco do Brasil se compromete a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024

A garantia foi dada pela direção do banco na terceira mesa de negociação da Campanha Nacional 2024, nesta sexta-feira (12), e tema será tratado durante período de renovação da CCT. O Banco do Brasil se comprometeu a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024 e a negociar a pauta durante o […]

Leia mais

Financiários cobram igualdade salarial e de oportunidades para mulheres e negros no setor

Com base em levantamento do Dieese, trabalhadores e trabalhadoras mostraram distorções salariais de gênero e raça Representantes dos financiários, no movimento sindical, se reuniram, nesta sexta-feira (12), com a Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi), para cobrar igualdade de oportunidades no setor. O encontro faz parte das negociações da Campanha Nacional […]

Leia mais

Nota da Feeb SP/MS sobre a destituição de gerentes da Caixa Asset

A Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) manifesta sua profunda preocupação com a recente destituição de três gerentes da Caixa Asset, subsidiária da Caixa Econômica Federal responsável pela gestão de ativos. Esses gerentes foram removidos de seus cargos após recusarem-se a aprovar uma operação de […]

Leia mais

Sindicatos filiados