CEE Caixa solicita correção do pagamento da PLR como determina a ACT

29.03.2021

De acordo com o Dieese o banco utilizou o valor de 3% do lucro líquido e não 4% A Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa) oficiou na última sexta-feira (26), por meio da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), a direção do banco a quem cobrou esclarecimentos sobre o pagamento da Participação […]

De acordo com o Dieese o banco utilizou o valor de 3% do lucro líquido e não 4%

A Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa) oficiou na última sexta-feira (26), por meio da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), a direção do banco a quem cobrou esclarecimentos sobre o pagamento da Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) Fenaban e PLR Social aos empregados.

A apuração feita pelo Departamento Intersindical de Estudos e Estatísticas Socioeconômicas (Dieese), identificou que a Caixa pagou a PLR Social com base na divisão linear entre todos os empregados de 3% do lucro líquido, e não de 4%, como determina o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) vigente. "É uma falha de grande proporção que pode gerar prejuízos de até R$ 1.593,00, dependendo do empregado. É preciso uma reparação dessa falha", comenta o presidente da Feeb SP/MS, Jeferson Boava.

De acordo com o Dieese, o cálculo da primeira parcela da PLR Social foi realizado corretamente, ou seja, em cima dos 4% do lucro do semestre.

Esclarecimento
De acordo com o ofício, os empregados reivindicam a discriminação dos valores da PLR Fenaban e PLR Social da mesma forma como ocorria até o ano passado e o imediato pagamento correto da PLR Social aos empregados.

Vale ressaltar que no dia 22 de março, a CEE/Caixa já havia solicitado ao banco a discriminação do pagamento da PLR (PLR Caixa, PLR Fenaban e PLR Fenaban 2), visto que no contracheque dos empregados o pagamento foi feito numa única rubrica, o que impedia análise item a item.

“Os empregados merecem o reparo desta perda imediatamente, pois trata-se de direito de cada um, além de ser obrigação do banco pagar corretamente, ainda mais em um período de pandemia onde os serviços dos bancários e bancárias da Caixa tem se mostrado fundamental para a vida de milhões de brasileiros", enfatiza Boava.

A antecipação do pagamento da segunda parcela da PLR foi creditada na última quinta-feira (18), após cobrança do movimento sindical e das entidades.

 

Notícias Relacionadas

Financiários exigem fim de terceirizações e formalização do teletrabalho no setor

Movimento sindical também denunciou o aumento de contratações de correspondentes bancários, repassando os serviços para empresas que não cobrem os mesmos direitos reivindicados pela categoria Representantes dos trabalhadores financiários realizaram, nesta terça-feira (16), mais uma rodada da mesa de negociações com a Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi), desta vez, para […]

Leia mais

COE Santander reitera defesa dos direitos dos empregados durante negociação com o banco

A garantia do emprego foi um dos principais temas reivindicados A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander deu início às negociações do acordo específico com o banco, na tarde desta terça-feira (16). A defesa dos direitos dos trabalhadores e a garantia do empregos foram os principais temas debatidos. O movimento sindical cobrou o […]

Leia mais

Banco do Brasil se compromete a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024

A garantia foi dada pela direção do banco na terceira mesa de negociação da Campanha Nacional 2024, nesta sexta-feira (12), e tema será tratado durante período de renovação da CCT. O Banco do Brasil se comprometeu a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024 e a negociar a pauta durante o […]

Leia mais

Sindicatos filiados