COE Itaú e Comando Nacional se reúnem com diretor de RH do banco

27.08.2021

Mudanças do banco e demissões foram pautas centrais do encontro Nesta semana, representantes da Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) na Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú, se reuniram com o Comando Nacional e o Banco. Participaram pela Feeb o secretario geral Reginaldo Breda […]

Mudanças do banco e demissões foram pautas centrais do encontro

Nesta semana, representantes da Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) na Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú, se reuniram com o Comando Nacional e o Banco. Participaram pela Feeb o secretario geral Reginaldo Breda e o dirigente Walmir Gomes, do Sindicato dos Bancários de Santos, além dos dirigentes convidados Marcelo Abrahão, do Sindicato dos Bancários de Piracicaba e Vandernilson, do Sindicato de Campinas.

Entre as pautas centrais estão as mudanças recentes do banco e o aumento do número de demissões.

Os participantes debateram como as mudanças tem afetado a categoria e as relações de trabalho, os desafios para o banco com relação à concorrência, a atual conjuntura política, e consequências como o aumento do desemprego, da fome, da miséria e da população de rua.

De acordo com Reginaldo Breda, a reunião foi valida para explorar os temas acima que refletem significativamente na vida do trabalhador e da população de modo geral.

“Foi um debate importante onde colocamos em discussão nosso ponto de vista com relação à saída de muitos bancários de modo espontâneo. A leitura que fizemos e apresentamos ao RH do banco foi a de que muitos estão migrando para a concorrência por obterem melhores condições salariais e de trabalho, por exemplo”, aponta Breda.

Durante o encontro foram apresentadas ainda, as mudanças na estrutura do banco, das agências e na cultura funcional do banco. Ainda durante o encontro, bancários entregaram a pauta retirada do Encontro Nacional do Itaú e opinaram sobre as atuais condições de trabalho. “Destacamos que as condições gerais de trabalho não estão boas, como a cobrança de metas inatingíveis, falhas na comunicação com os funcionários, o adoecimento de muitos bancários também foi destacado. Muitos tem tomado remédios para poder trabalhar”, explica.

Para os funcionários, durante a mudança de cultura do banco implica principalmente no modo de olhar para seus funcionários. “É essencial que o banco melhore a sua relação com os próprios funcionários, que tem adoecido em razão do assédio moral e das cobranças excessivas”, finaliza Breda.
  

Notícias Relacionadas

Santander implementa teletrabalho em áreas administrativas

Modalidade é válida para áreas administrativas e contemplam eixo São Paulo e Rio de Janeiro O Santander anunciou que irá implementar o teletrabalho (home office). A modalidade é válida para bancários das áreas administrativas, lotados majoritariamente no eixo São Paulo e Rio de Janeiro, segundo as regras previstas na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria. As […]

Leia mais

Santander paga PLR e demais adicionais no dia 28 de fevereiro

Representantes da Comissão de Organização de Empregados (COE/Santander) foram informados nesta terça-feira (01), sobre a data de pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). O valor será creditado no dia 28 deste mês. Junto com a PLR bancárias e bancários do Santander receberão os percentuais do Programa Próprio de Resultados do Santander (PPRS), do […]

Leia mais

Feeb SP/MS monta grupo de trabalho para discutir metas com Banco Itaú

Prazo para organização de grupos de representação se encerrou no último dia 31 Bancários representados pela Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul formalizaram o pedido junto ao banco para montagem de um grupo de trabalho para discussão de metas. De acordo com a cláusula 87 da Convenção Coletiva […]

Leia mais

Sindicatos filiados