COE Itaú é contra retorno ao trabalho presencial

14.09.2021

Acompanhamento médico individualizado para grupos de risco também foi cobrado pela representação dos trabalhadores Após reunião com o banco na última quinta-feira (9), a Comissão de Organização dos Empregados (COE) Itaú se posicionou contrária ao retorno presencial. A posição foi definida em reunião interna entre os membros da comissão, que avaliam que este ainda não […]

Acompanhamento médico individualizado para grupos de risco também foi cobrado pela representação dos trabalhadores

Após reunião com o banco na última quinta-feira (9), a Comissão de Organização dos Empregados (COE) Itaú se posicionou contrária ao retorno presencial. A posição foi definida em reunião interna entre os membros da comissão, que avaliam que este ainda não é o momento para o retorno devido ao baixo índice de imunizados em todo o Brasil, além da incerteza em algumas localidades.

Os representantes dos trabalhadores, cobram ainda, acompanhamento médico individualizado para os trabalhadores que fazem parte do grupo de risco, que retornarem às atividades.

Durante a reunião entre a COE e a direção do Banco, foi cobrada uma negociação para garantir um retorno programado, baseado em critérios científicos, com percentual de imunização superior a 70%, para não colocar em risco a saúde dos trabalhadores. Desde 1º de setembro, o banco permitiu que trabalhadores voluntários dos prédios administrativos voltem gradativamente aos locais de trabalho.

Membros do movimento sindical também cobraram como o departamento de saúde do trabalhador irá se comportar neste retorno.

O Itaú informou que existe fiscalização para garantir o respeito aos protocolos de saúde e segurança e que todo o sistema de infraestrutura do banco permanecerá híbrido, para evitar aglomerações nos escritórios.

Retorno às agências
Conforme acertado nos últimos encontros, o banco comunicou aos dirigentes sindicais, antes mesmo de publicar comunicado interno, o retorno, obrigatório a partir de 4 de outubro, das pessoas do grupo de risco de agências e que tem o ciclo vacinal completo. Sendo opcional a partir de 20 de setembro.

Caso alguém não tenha tomado as duas doses, o banco vai aguardar a data da segunda dose, mais 14 dias, período de imunização completa, para cobrar o retorno.

As gestantes de agência não retornarão ao trabalho presencial em todo o Brasil.

 

Notícias Relacionadas

Semana reforçou a conscientização sobre o combate às LER/Dort

A data chama atenção para duas doenças que têm relação direta com o trabalho e que atingem milhões de brasileiros Nesta semana, no dia 28 de fevereiro (última quarta-feira) foi o Dia Mundial de combate às Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (Dort). A data foi escolhida pela Organização Internacional […]

Leia mais

COE e Itaú discutem revisões nos programas de remuneração

Durante a reunião foram apresentadas modificações nos programas. O movimento sindical deve elaborar contraproposta em breve  A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú realizou nesta quinta-feira (28), em São Paulo, uma reunião com a direção do banco para debater questões relacionadas à remuneração dos funcionários. Durante o encontro, o banco apresentou alterações nos […]

Leia mais

Trabalhadores discutem futuro da Fundação Itaú-Unibanco

Em seminário promovido pela Contraf-CUT e COE Itaú trabalhadores debateram caminhos para aumentar representatividade na gestão do fundo de pensão Trabalhadoras e trabalhadores associados à Fundação Itaú-Unibanco se reuniram, nesta quinta-feira (29), em um seminário organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e pela Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú, […]

Leia mais

Sindicatos filiados