Comando solicita à Fenaban a retomada das negociações; greve continua forte

23.09.2016

O Comando Nacional dos Bancários enviou ofício à Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) na tarde desta sexta-feira (23), solicitando a continuidade das negociações. A expectativa dos representantes dos trabalhadores é de que possa haver nova rodada de negociação na próxima segunda-feira (26), já que o Comando estará reunido para avaliação da Greve Nacional dos Bancários, […]


O Comando Nacional dos Bancários enviou ofício à Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) na tarde desta sexta-feira (23), solicitando a continuidade das negociações. A expectativa dos representantes dos trabalhadores é de que possa haver nova rodada de negociação na próxima segunda-feira (26), já que o Comando estará reunido para avaliação da Greve Nacional dos Bancários, que entrou hoje no 18º dia e vem se mantendo forte.

Na base da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB-SP/MS), a paralisação atingiu 2.134 postos de trabalho, a nível nacional são mais 13 mil, entre agências e centros administrativos.

“Diante da inflexibilidade da Fenaban, após 18 dias de greve e oito rodadas de negociação sem uma proposta que atenda às necessidades da categoria bancária, o Comando resolveu solicitar à representante dos bancos a retomada das negociações e esperamos que atendam não apenas a este pedido, como também, apresentem uma proposta digna, já que sinalizamos que não discutiremos proposta rebaixada. Está nas mãos dos banqueiros por um fim à greve e sabemos que eles têm condições de fazer isso”, explica Jeferson Boava, vice-presidente da FEEB-SP/MS.

Histórico

Deflagrada no último dia 06 de setembro por tempo indeterminado, a greve é uma resposta à proposta rebaixada da Fenaban, que no dia 29 de agosto propôs um índice de 6,5% e um abono de R$ 3 mil, rejeitado em assembleia pelos trabalhadores e no dia 09 de setembro voltou a insistir no mesmo modelo, que impõe perdas à categoria: 7% e R$3,3 mil abono, reajuste que sequer cobriria a inflação do período, de 9,57% e que resultaria numa perda de 2,39% para os bancários. O Comando Nacional dos Bancários rejeitou na mesa, reafirmando sua disposição para a negociação, mas evidenciando que não irá avaliar proposta que reduza o poder de compra dos trabalhadores.

Foto: Sindicato dos Bancários de Tupã e Região
 

Notícias Relacionadas

Banco do Brasil se compromete a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024

A garantia foi dada pela direção do banco na terceira mesa de negociação da Campanha Nacional 2024, nesta sexta-feira (12), e tema será tratado durante período de renovação da CCT. O Banco do Brasil se comprometeu a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024 e a negociar a pauta durante o […]

Leia mais

Financiários cobram igualdade salarial e de oportunidades para mulheres e negros no setor

Com base em levantamento do Dieese, trabalhadores e trabalhadoras mostraram distorções salariais de gênero e raça Representantes dos financiários, no movimento sindical, se reuniram, nesta sexta-feira (12), com a Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi), para cobrar igualdade de oportunidades no setor. O encontro faz parte das negociações da Campanha Nacional […]

Leia mais

Nota da Feeb SP/MS sobre a destituição de gerentes da Caixa Asset

A Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) manifesta sua profunda preocupação com a recente destituição de três gerentes da Caixa Asset, subsidiária da Caixa Econômica Federal responsável pela gestão de ativos. Esses gerentes foram removidos de seus cargos após recusarem-se a aprovar uma operação de […]

Leia mais

Sindicatos filiados