Comissão de Organização dos Empregados (COE) Santander negocia retorno ao trabalho e horas extras negativas

18.03.2022

Nesta sexta-feira (18), a Comissão de Organização de Empregados do Santander se reuniu com o Banco e representantes dos Recursos Humanos sindicais para negociar o retorno ao trabalho e as horas extras negativas. Durante a reunião, o banco pontou que independente da liberação do uso das máscaras por alguns estados e municípios, vai continuar exigindo […]

Nesta sexta-feira (18), a Comissão de Organização de Empregados do Santander se reuniu com o Banco e representantes dos Recursos Humanos sindicais para negociar o retorno ao trabalho e as horas extras negativas.

Durante a reunião, o banco pontou que independente da liberação do uso das máscaras por alguns estados e municípios, vai continuar exigindo por parte dos funcionários a manutenção do uso, sendo liberada apenas aos clientes se assim desejarem. A determinação é válida até nova avaliação por parte do banco.

Com relação ao retorno ao trabalho, o banco solicitou a retomada daqueles que se encontram afastados em banco e horas e home office, vacinados ou não, a partir do próximo dia 04 de abril.

O incentivo do banco para o retorno é um recurso para compra de máscara apropriada (N95). O movimento sindical por vez, vê a decisão com preocupação e solicitou ao banco cautela e análise caso a caso.

A COE encaminhou ao RH uma carta com reivindicações fundamentais a serem consideradas no caso de retorno ao trabalho, ressaltando preocupação com o retorno de pessoas com comorbidades graves, grávidas, não vacinados, entre outros.

O banco informou que a telemedicina permanece ativa e disponível ao funcionário que sentir qualquer sintoma.

Horas extras negativas

O acordo assinado com o movimento sindical prevê que a compensação das horas extras negativas seja realizada até setembro de 2022, porém o acúmulo de horas por parte dos funcionários é superior a possibilidade de compensação diária permitida.

O banco sinalizou possibilidade de extensão do prazo de compensação.  A COE pediu anistia das horas restantes ou pelo menos parte delas. A discussão do assunto deve ter continuidade nas reuniões futuras.

Notícias Relacionadas

Semana reforçou a conscientização sobre o combate às LER/Dort

A data chama atenção para duas doenças que têm relação direta com o trabalho e que atingem milhões de brasileiros Nesta semana, no dia 28 de fevereiro (última quarta-feira) foi o Dia Mundial de combate às Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (Dort). A data foi escolhida pela Organização Internacional […]

Leia mais

COE e Itaú discutem revisões nos programas de remuneração

Durante a reunião foram apresentadas modificações nos programas. O movimento sindical deve elaborar contraproposta em breve  A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú realizou nesta quarta-feira (28), em São Paulo, uma reunião com a direção do banco para debater questões relacionadas à remuneração dos funcionários. Durante o encontro, o banco apresentou alterações nos […]

Leia mais

Trabalhadores discutem futuro da Fundação Itaú-Unibanco

Em seminário promovido pela Contraf-CUT e COE Itaú trabalhadores debateram caminhos para aumentar representatividade na gestão do fundo de pensão Trabalhadoras e trabalhadores associados à Fundação Itaú-Unibanco se reuniram, nesta quinta-feira (29), em um seminário organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e pela Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú, […]

Leia mais

Sindicatos filiados