Comissão discute Trabalho Remoto Institucional com BB

01.04.2022

Condições de Trabalho A Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB) se reuniu com a direção do banco, nesta quinta-feira (31 de março), para discutir o modelo de Trabalho Remoto Institucional (TRI). Implementado no mesmo dia 31, o TRI é uma opção de formato de trabalho híbrido, garantido em Acordo Coletivo de […]

Condições de Trabalho

A Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB) se reuniu com a direção do banco, nesta quinta-feira (31 de março), para discutir o modelo de Trabalho Remoto Institucional (TRI). Implementado no mesmo dia 31, o TRI é uma opção de formato de trabalho híbrido, garantido em Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), assinado pelos sindicatos e BB. A diretora do Sindicato de Campinas, Maria Aparecida da Silva (Cida), representou a diretora Elisa Ferreira, integrante da CEBB indicada pela Federação dos Bancários de SP e MS.

A CEBB questionou por que, neste momento, as funções gerenciais, como as CRBBs (Centrais de Relacionamento), SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) e escritórios digitais, não fazem parte do chamado público-alvo. Segundo o BB, o TRI é um projeto inicial e será avaliado a cada etapa da implementação. Por esse motivo, os locais de atendimento direito aos clientes não foram incluídos. O banco informou ainda que, na fase atual, os gerentes devem contribuir com a implementação do modelo híbrido; no futuro, a avaliação poderá contribuir para a revisão da medida.

Avaliação: Apresentado oficialmente no dia 28 deste mês de março, o projeto-piloto será avaliado após 90 dias de funcionamento, junto com o grupo de risco que está em teletrabalho emergencial.

Conquista: O BB atendeu reivindicação dos funcionários que residem além dos municípios limítrofes ou na mesma região metropolitana. A primeira versão do TRI permitia o trabalho remoto apenas para os funcionários lotados na dependência do próprio município. Após questionamento da CEBB, o banco alterou a abrangência. Os interessados devem fazer a solicitação via e-mail. A alteração já consta na Instrução Normativa (IN).

Deficientes: A Comissão reforçou o pedido da Associação de Pais, Amigos e Pessoas com Deficiência(APABB), instituição dos funcionários do BB, para priorizar os pais de crianças com deficiências. O banco disse que não tem como priorizar, uma vez que seriam somente dois dias de ausência durante a semana, no máximo, e que essa elegibilidade depende de outros critérios.

Cronograma: Será divulgado para os funcionários, com sistemas próprios para acompanhamento das ausências diárias pela Diretoria de Pessoas (Dipes) e pelas Gerências Regionais de Gestão de Pessoas (Gepes).

Fonte: Contraf-CUT

Notícias Relacionadas

Conferência Interestadual aprova eixos para Conferência Nacional de 2024

Sindicatos dos Bancários debateram propostas e aprovaram pautas em defesa do trabalhador. Documento será apresentado em Conferência Nacional para discussão na Campanha Salarial de 2024 Delegações de 21 regionais dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul se reuniram nesta quinta e sexta-feira, 11 e 12 de abril, para debater propostas que serão […]

Leia mais

Abertura da Conferência Interestadual da Feeb SP/MS conta com delegações de 21 regionais

  Primeiro dia de evento amplia visão sobre o futuro do Sistema Financeiro, Cenário Econômico Nacional e Avanço Tecnológico  A Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) abriu nesta quinta-feira (11) a Conferência Interestadual dos Bancários de 2024. O tema central do evento deste ano é “Categoria […]

Leia mais

Proposta da Caixa para PcD é frustrante

Contudo, houve definição sobre pagamento dos deltas da promoção por mérito A proposta da Caixa Econômica Federal sobre redução de jornada e priorização de empregadas e empregados PcD, ou que tenham filhos de até seis anos com deficiência, frustrou a representação dos trabalhadores. “Na proposta do banco, somente há possibilidade de redução da jornada com […]

Leia mais

Sindicatos filiados