Conquista do trabalhador: Horas extras serão consideradas no cálculo de 13º salário, FGTS e férias

28.03.2023

TST muda entendimento sobre reflexo das horas extras habituais no repouso semanal nas demais parcelas salariais Divulgação TST Nesta segunda-feira (27) os trabalhadores são surpreendidos com uma decisão positiva do Tribunal Superior do Trabalho (TST). O órgão mudou o entendimento sobre reflexos do pagamento de horas extras habituais e decidiu que o valor do descanso semanal remunerado […]

TST muda entendimento sobre reflexo das horas extras habituais no repouso semanal nas demais parcelas salariais

Divulgação TST

Nesta segunda-feira (27) os trabalhadores são surpreendidos com uma decisão positiva do Tribunal Superior do Trabalho (TST). O órgão mudou o entendimento sobre reflexos do pagamento de horas extras habituais e decidiu que o valor do descanso semanal remunerado deve repercutir também sobre as demais parcelas salariais, entre elas, férias, 13º salário, aviso prévio e FGTS.

A regra passa a ser aplicada às horas extras prestadas a partir de 20 de março, data em que foi definida por meio de julgamento de incidente de recurso repetitivo (IRR).

A mudança de entendimento se deu após a 6ªTurma do TST identificar confronto entre os conteúdos da Súmula 19 do Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (TRT5) e da Orientação Jurisprudencial (OJ) 394 da Subseção I Especializada em Dissídios Individuais (SDI-1) do TST. A OJ 394, de 2010, previa que o pagamento das horas extras não repercutiria sobre as demais parcelas.

Antes da decisão os trabalhadores tinham o descanso semanal remunerado de acordo com as horas extras diárias nos dias úteis. Os valores pagos pelos benefícios, portanto, não levavam em conta as horas extras. A decisão possibilitará ao trabalhador um ganho extra nos benefícios.

Vale ressaltar que a medida, entretanto, não vale sobre casos já julgados ou em andamento na Justiça do Trabalho.

“Trata-se de uma revisão no entendimento, que se fez necessária, visto que o tema trará aos trabalhadores uma readequação nos cálculos. Apesar de faltar uma definição clara sobre horas extras habituais em nossa legislação, o entendimento de agora faz justiça à classe trabalhadora. Salientando que a decisão só abarcará os casos após a data do julgamento, ou seja, após o período de 20 de março deste ano. Sendo assim, as horas habituais prestadas anteriormente a esta data não serão vinculadas ao novo entendimento. Pode-se dizer que temos uma decisão jurídica com reflexos econômicos”, colabora o representante jurídico da Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, Luís Rosas.

Notícias Relacionadas

Semana reforçou a conscientização sobre o combate às LER/Dort

A data chama atenção para duas doenças que têm relação direta com o trabalho e que atingem milhões de brasileiros Nesta semana, no dia 28 de fevereiro (última quarta-feira) foi o Dia Mundial de combate às Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (Dort). A data foi escolhida pela Organização Internacional […]

Leia mais

COE e Itaú discutem revisões nos programas de remuneração

Durante a reunião foram apresentadas modificações nos programas. O movimento sindical deve elaborar contraproposta em breve  A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú realizou nesta quinta-feira (28), em São Paulo, uma reunião com a direção do banco para debater questões relacionadas à remuneração dos funcionários. Durante o encontro, o banco apresentou alterações nos […]

Leia mais

Trabalhadores discutem futuro da Fundação Itaú-Unibanco

Em seminário promovido pela Contraf-CUT e COE Itaú trabalhadores debateram caminhos para aumentar representatividade na gestão do fundo de pensão Trabalhadoras e trabalhadores associados à Fundação Itaú-Unibanco se reuniram, nesta quinta-feira (29), em um seminário organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e pela Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú, […]

Leia mais

Sindicatos filiados