Cresce a força de trabalho feminino no país

08.10.2020

Remuneração média entre as mulheres subiu para R$ 1.422,99, em 2009 – um aumento de 2,70% com relação ao ano anterior; homens ganham média de R$ 1.717,66 Info Online Rogério Jovaneli, 06/08/2010 | 10:50       São Paulo – A participação da mulher no mercado de trabalho passou de 41,1% em 2008 para 41,4% […]

Remuneração média entre as mulheres subiu para R$ 1.422,99, em 2009 – um aumento de 2,70% com relação ao ano anterior; homens ganham média de R$ 1.717,66

Info Online
Rogério Jovaneli,

06/08/2010 | 10:50
 
 
 
São Paulo – A participação da mulher no mercado de trabalho passou de 41,1% em 2008 para 41,4% em 2009. E o salário cresceu 2,70%.
De acordo com os dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) 2009, divulgados nesta quinta-feira, a força de trabalho feminina cresceu 5,34% no ano passado, percentual acima do registrado entre os homens, de 3,87%.

Na comparação sobre nível educacional entre trabalhadores e trabalhadoras, as mulheres levam vantagem sobre os homens nos níveis de instrução superior incompleto, com 912,5 mil postos para profissionais do sexo feminino ante 845,7 mil postos para os marmanjos; e no nível superior completo, com 3,970 milhões de postos para as mulheres e 2,763 milhões de postos para os homens.

Os números da Rais mostram queda do emprego em postos de trabalho situados nos níveis com menor grau de escolaridade, até o ensino fundamental incompleto, e aumento para todos os demais a partir do ensino fundamental completo, para ambos os gêneros.

O maior percentual de redução do emprego ocorreu na quarta série completa, com queda de 4,26%, afetando os dois gêneros, sendo retração de 4,31% para os homens e de 4,11% para as mulheres.
O maior aumento percentual se verificou no ensino médio completo, com alta de 8,49%, sendo para os homens de 9,07%, ante 7,77% para as mulheres.

Remuneração

A remuneração média para profissionais do sexo feminino passou de R$ 1.385,61, em 2008, para R$ 1.422,99, em 2009, ganho real de 2,70% ante 2,52% obtido pelos homens, que seguem ganhando mais: salário médio passou de R$ 1.675,46 a R$ 1.717,66, nos respectivos períodos.

Esses dados resultaram no crescimento da participação do rendimento das mulheres ante o dos homens, de 82,70% em 2008, para 82,84% em 2009.

Notícias Relacionadas

Bancários querem mais contratações, fim das demissões e da precarização

Comando Nacional propõe maior equilíbrio entre dias trabalhados, com momentos de descanso e lazer, com redução da jornada para quatro dias; proposta pode aumentar produtividade e satisfação com o emprego O Comando Nacional dos Bancários se reuniu na manhã desta segunda-feira (27) com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) na segunda reunião de negociação da […]

Leia mais

Bancários negociam com Federação Nacional dos Bancos nesta segunda-feira (27)

Temas Emprego e Terceirização são os primeiros temas a serem discutidos A Campanha Nacional do Bancário, iniciada na última semana, segue hoje (27) com mais uma negociação. Federações, associações e representação sindical negociam com a Federação Nacional dos Bancos as pautas “Emprego e Terceirização”. Os temas foram definidos pelo Comando Nacional dos Bancários na última […]

Leia mais

Bancários criam Comitê de Luta durante Congresso Nacional

Comitê nacional lutará para defender o BB como instituição pública e em apoio a projeto de Governo que fortaleça o banco e sua função social, de indutor do crescimento econômico com geração de emprego e renda O papel do Banco do Brasil na reconstrução do país foi um dos temas em destaque no 33° Congresso […]

Leia mais

Sindicatos filiados