Encontro de Bancos Privados: Confira como foi

09.06.2016

A Federação participou com 44 delegados, dos seguintes sindicatos: Campinas, Franca, Guaratinguetá, Marília, Piracicaba, Ribeirão Preto, Santos, São José dos Campos, São José do Rio Preto, Sorocaba, Votuporanga e Ponta-Porã A Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB-SP/MS) participou do Encontro Nacional de Bancos Privados, realizados nos dias 07 e 08 […]


A Federação participou com 44 delegados, dos seguintes sindicatos: Campinas, Franca, Guaratinguetá, Marília, Piracicaba, Ribeirão Preto, Santos, São José dos Campos, São José do Rio Preto, Sorocaba, Votuporanga e Ponta-Porã

A Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB-SP/MS) participou do Encontro Nacional de Bancos Privados, realizados nos dias 07 e 08 de junho, no Hotel Excelsior SP, em São Paulo.

Voltado para os funcionários dos bancos Bradesco, Itaú Unibanco, HSBC e Mercantil do Brasil, os encontros debateram as condições de trabalho e atualizaram as principais reivindicações da categoria, que darão origem a pautas específicas e ao final, serão entregues aos dirigentes de cada instituição financeira.

Itaú Unibanco

O Encontro específico do Itaú Unibanco contou com um total de 150 delegados (as), sendo 96 homens e 54 mulheres, a Federação participou com 17 dirigentes de seus sindicatos filiados da construção da pauta de reivindicações específicas dos funcionários do banco para a Campanha Nacional 2016, entre eles, Mauri Sérgio Martins de Souza, representante da FEEB-SP/MS, na COE Itaú Unibanco.

Na minuta, que será entregue ao banco, estão reivindicações de emprego, saúde, remuneração, condições de trabalho, previdência privada, segurança e igualdade de oportunidades.

O Itaú Unibanco eliminou um total de 21 mil postos de trabalho desde 2011, de acordo com levantamento do Dieese, e o grande número de demissões vem gerando preocupação entre os trabalhadores. Conforme a própria instituição divulgou no ano passado, a estratégia é que em 10 anos, o total de agências físicas seja reduzido pela metade e investir nas chamadas agências digitais, modelo no qual os clientes possuem acesso ao gerente por SMS, chat, e-mail, videoconferência ou telefone, quase 24 horas por dia.

O balanço do banco, referente ao primeiro trimestre de 2016, mostra que a holding encerrou março com 82.871 empregados no país, com redução de 2.902 postos de trabalho em relação ao mesmo período de 2015. Foram abertas 74 agências digitais e fechadas 154 agências físicas no país entre março de 2015 e março de 2016, totalizando, ao final do período, 3750 agências físicas e 108 digitais.

O fechamento de agências físicas e ampliação das digitais vêm promovendo a eliminação de postos de trabalho e sobrecarregando quem permanece no emprego

“O encontro deste ano reafirma uma pauta de luta que visa assegurar melhores condições de trabalho, fim das demissões e do assédio por metas abusivas, entre outras prioridades. Os dirigentes sindicais têm desafios importantes pela frente na construção na nossa campanha nacional e nos locais de trabalho”, avalia Mauri.

GT Saúde e Condições de Trabalho

Durante reunião marcada para esta quinta-feira (9), a Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú Unibanco tratará deste tema dentro do GT (Grupo de Trabalho) de Saúde e Condições de Trabalho. O diretor Walmir Gomes, participará da reunião representando a Federação.

Bradesco

O Encontro específico do Banco Bradesco reuniu um total de 120 delegados (as) (89 homens e 31 mulheres). A FEEB-SP/MS contribuiu com 12 dirigentes, entre eles, Lourival Rodrigues, representante da Federação na COE Bradesco.

Emprego; auxílio-educação; adiantamento de férias; implantação de plano de cargos e salários; remuneração total; segurança bancária; melhorias no plano de saúde; fim do assédio moral e metas abusivas e promoção foram algumas prioridades aprovadas para a composição da minuta específica dos trabalhadores do banco.

No que diz respeito ao emprego, os trabalhadores cobram do banco a ampliação do quadro de funcionários, mediante contratação, adequando-o à demanda e ao porte das agências, evitando sobrecarrega e garantindo aos clientes e usuários, espera de no máximo, 15 minutos; a manutenção do emprego, principalmente diante da aprovação do Cade à aquisição do HSBC pelo Bradesco, divulgada na última quarta-feira (08), também está entre as preocupações discutidas.

Implantação do Plano de Carreira, Cargos e Salário – PCCS

Entre os principais pontos discutidos, os dirigentes sindicais também reivindicam que o banco inicie tratativas junto ao movimento sindical bancário visando à criação e implementação do Plano de Carreira, Cargos e Salário – PCCS com critérios claros, conforme termos da proposta da minuta geral da categoria.

Melhorias no plano de saúde

Entre as cláusulas debatidas que envolvem melhorias no plano de saúde, estão a inclusão dos pais no plano de saúde, sem a comprovação de dependência na Declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física – IRPF; garantia de aposentadoria com plano de saúde; ampliação da rede de atendimento do plano de saúde e odontológico, entre outros.

Auxílio Educacional

Na questão educacional, os bancários reivindicam que o banco Bradesco e o movimento sindical estabeleçam programa de concessão de auxílio-educação aos funcionários que ingressarem ou que já estejam cursando o ensino médio, graduação e pós-graduação, em todas as áreas do conhecimento.

Esse auxílio-educação atenderá todos os funcionários em âmbito nacional, conforme minuta geral da categoria bancária.

Reunião COE Bradesco

Também nesta quinta-feira (09), a Comissão de Organização dos Empregados (COE) se reúnem com os representantes do Bradesco na sede do banco para entrega da minuta específica de reivindicações. O tema emprego também será discutido na ocasião.
HSBC
O Encontro dos trabalhadores do HSBC contou com 82 delegados (as) (63 homens e 19 mulheres), destes, 10 pertencentes à delegação da FEEB-SP/MS, entre eles, Danilo Anderson Castilho, representante da Federação na COE HSBC.

De acordo com Castilho, o debate, como não poderia deixar de ser, foi dominado pela temática do emprego, diante da decisão do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) de aprovar a venda das operações do banco inglês no Brasil para o Bradesco, a manutenção do emprego e a garantia dos direitos dos trabalhadores do HSBC foram prioridade absoluta.

Sobre a defesa dos direitos, os funcionários do HSBC querem a garantia da manutenção de conquistas específicas, como a bolsa-educação, parcelamento de férias e plano de saúde.

“O debate no Encontro Nacional é muito importante, principalmente pela oportunidade de discutirmos questões pertinentes às diferentes regiões do país, que possuem realidades muito distintas. Foram 82 delegados pensando e discutindo juntos, saídas para as questões e para defesa dos direitos dos trabalhadores do HSBC”, afirma Castilho. “Outro ponto satisfatório, é que a maioria das propostas apresentadas pela Federação foram aprovadas”, informa.

Ainda de acordo com o representante da FEEB-SP/MS, a COE HSBC irá se reunir na próxima semana para discutir sua estratégia de luta, uma vez que a venda foi aprovada.

Mercantil do Brasil

A Federação participou do encontro com cinco delegados (as), que participaram das discussões em torno prioridades dos trabalhadores do Banco Mercantil do Brasil.

Entre os assuntos tratados e ainda pendentes, que serão discutidos individualmente em cada sindicato, estão, a mudança do plano de saúde e a PLR.
No tema plano de saúde, a questão diz respeito ao encerramento das atividades da Unimed Paulistana, o banco vai mudar o plano de saúde dos funcionários para o Bradesco Saúde, ou Bradesco Seguros.

As possíveis soluções, do ponto de vista dos representantes dos trabalhadores são: reivindicar a possibilidade de manter a Unimed nos locais onde ainda esteja funcionando ou que o banco arque com a diferença do custo a maior que deve ser paga pelo funcionário.

Os funcionários reivindicam ainda, redução das metas e que sejam objetivas e definidas com maior clareza e transparência e também o esclarecimento da premiação aos escriturários.

A COE do BMB irá marcar uma reunião com os representantes do banco para tratar sobre PLR.

Com informações da Contraf-CUT
 

Notícias Relacionadas

Bancários criam Comitê de Luta durante Congresso Nacional

Comitê nacional lutará para defender o BB como instituição pública e em apoio a projeto de Governo que fortaleça o banco e sua função social, de indutor do crescimento econômico com geração de emprego e renda O papel do Banco do Brasil na reconstrução do país foi um dos temas em destaque no 33° Congresso […]

Leia mais

Coe Itaú entrega pauta de reivindicação específica ao Banco

O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú Os representantes da Comissão de Organização dos Empregados (COE) Itaú entregaram nesta quinta-feira (23), a pauta de reivindicação específica do banco. O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú. “Reafirmamos o nosso compromisso com o banco de negociação permanente, através da […]

Leia mais

Campanha Nacional: Bancários definem temas das próximas negociações com os bancos

Demissão em massa pelo Mercantil do Brasil no Rio de Janeiro; abono do banco de horas negativas e retirada de pauta do PL 1043/2019, também foram pautas do primeiro dia de negociação O Comando Nacional dos Bancários definiu nesta quarta-feira (22), os temas das reuniões de negociações com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Os […]

Leia mais

Sindicatos filiados