Federação dos Bancários realiza mobilização nas redes

07.09.2021

Presidentes de Sindicatos enviaram vídeos e frases em protesto ao governo Bolsonaro Na data em que o país comemora a Independência do Brasil, manifestações em defesa de pautas autoritárias e do discurso golpista do presidente Jair Bolsonaro foram marcadas para celebrar o 7 de setembro. Por entender que as pautas ferem os direitos do trabalhador, […]

Presidentes de Sindicatos enviaram vídeos e frases em protesto ao governo Bolsonaro

Na data em que o país comemora a Independência do Brasil, manifestações em defesa de pautas autoritárias e do discurso golpista do presidente Jair Bolsonaro foram marcadas para celebrar o 7 de setembro.

Por entender que as pautas ferem os direitos do trabalhador, a Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) e sindicatos filiados reforçam, por meio das redes sociais, a desaprovação e repúdio ao autoritarismo e desgoverno de Jair Bolsonaro.

Na data, as manifestações bolsonaristas tem como pautas o enfraquecimento das instituições, além da destituição de ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), invasão ao Senado, violência contra autoridades públicas, ataques ao sistema eleitoral e intervenção militar.

De acordo com a pesquisa do Datafolha de julho, o atual governo de Bolsonaro foi rejeitado por 51% dos brasileiros. "Em meio à crise sanitária, econômica e institucional, conclama a população a comprar fuzis. Nada faz diante de 15 milhões de desempregados, de 30 milhões de pessoas na miséria, de 19 milhões padecendo de fome crônica, de uma inflação acima de 8% ano e de risco de apagão. Sem falar na sabotagem à importação de vacinas contra à Covid-19, doença que já ceifou a vida de mais de 580 mil brasileiros”, destacam diretores do Sindicato dos Bancários de Campinas.

“Lembramos do 7 de setembro com a alegria de desfilarmos quando criança ou de situações vividas que nos orgulhávamos da data. Hoje o que temos é uma convocação para ir as ruas com o objetivo de causar o enfrentamento e o caos. A população convocada hoje não tem servido aos brasileiros, tem servido apenas uma parte, a parte que tem dinheiro e pretensões futuras, como isenções de impostos e outros interesses”, destacou Julio César, presidente do Sindicato dos Bancários de Sorocaba.

“É importante que todos estejamos unidos em prol do trabalhador, do cidadão que mais precisa ser defendido em meio a um governo descabido, intolerante e autoritário como o atual. A união dos bancários é fundamental nesse momento em que passamos por um das maiores crises da história do Brasil”, reforça Reginaldo Breda, secretário geral da Feeb SP/MS.

 

Notícias Relacionadas

Eleição Caref BB: Kelly Quirino recebe mais de 60% dos votos

Resultado ainda é preliminar, os números finais serão divulgados no dia 8 de fevereiro pela Comissão Eleitoral Kelly Quirino recebeu 60,70% dos votos para Caref BB no primeiro turno para o cargo que representará os funcionários no Conselho de Administração (CA) do Banco do Brasil, nos próximos dois anos. Com mais da metade dos votos, […]

Leia mais

O pioneirismo na luta pela previdência do trabalhador

Acompanhamos nesta semana a repercussão do Centenário da Previdência Social, completado no dia 24 de janeiro, mesmo dia em que é celebrado o Dia Nacional do aposentado. É fato que a criação da Lei Eloy Chaves, em 1923, foi imprescindível para o estabelecimento das bases do Sistema Previdenciário Brasileiro e o surgimento das Caixas de […]

Leia mais

24 de janeiro de 2023, Centenário da Previdência Social

O dia 24 de janeiro de 2023 marca o centenário da Previdência Social do Brasil, um conjunto de benefícios que teve como base a criação da Lei Eloy Chaves, em 1923. A medida estabeleceu as bases do Sistema Previdenciário Brasileiro ao criar as Caixas de Aposentadorias e Pensões (CAP), na época, destinada apenas aos empregados […]

Leia mais

Sindicatos filiados