Fenacrefi desrespeita trabalhadores com proposta de 7,86% de reajuste salarial. Financiários rejeitam

02.08.2016

A Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB-SP/MS) participou nesta terça-feira (02), juntamente com outras entidades de representação dos trabalhadores financiários, de reunião de negociação com a Fenacrefi (Federação Interestadual das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento), que foi encerrada sem acordo. A entidade representante das financeiras apresentou como proposta […]


A Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB-SP/MS) participou nesta terça-feira (02), juntamente com outras entidades de representação dos trabalhadores financiários, de reunião de negociação com a Fenacrefi (Federação Interestadual das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento), que foi encerrada sem acordo.

A entidade representante das financeiras apresentou como proposta de reajuste, 80% do INPC (Índice Nacional de Preço ao Consumidor) de 9,83% referente a junho deste ano, que equivale a 7,86%, aplicável a todas as verbas. O índice, muito abaixo da reivindicação dos trabalhadores, que prevê a reposição da inflação mais aumento real de 5% foi rejeitada na mesa.

De acordo com Walmir Gomes, diretor da FEEB-SP/MS, que integrou a comissão de negociação, “a Fenacrefi apresentou uma proposta fora da realidade e impossível de ser aceita, um desrespeito”, avaliou.

A próxima reunião está marcada para o dia 23 de agosto.

Confira as principais reivindicações dos Financiários:

Reajuste:15,31% (reposição da inflação mais 5% aumento real)

PLR: Três salários do trabalhador

VA, VR e auxílio-creche/babá: salário mínimo nacional para cada um deles (R$ 880)

Pisos

Escritório R$ 3.777,93

Caixas, operadores de telemarketing, empregados de tesouraria e os que efetuam pagamentos e recebimentos R$ 5.100,21

Analista de Crédito R$ 5.666,90

1º Comissionado R$ 6.422,48

1º Gerente R$ 8.500,34

*Salário mínimo calculado pelo Dieese em maio de 2016 (R$ 3.777,93)

Abono assiduidade de um dia

Fim da terceirização

Fim do assédio moral e das metas abusivas

Licença-paternidade de 20 dias

Unificação nacional da data base

Foto: Jaílton Garcia

 

Notícias Relacionadas

Saúde, segurança, metas e violência contra as mulheres pautam reunião das Financeiras

Coletivo Nacional dos Financiários e Acrefi voltam à mesa de negociação pela Campanha Nacional 2024 Na tarde desta sexta-feira (19), o Coletivo Nacional dos Financiários da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) realizou mais uma rodada de negociações com a Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi). A pauta do […]

Leia mais

Quarta mesa de negociação do BB discute diversidade e igualdade de oportunidades

Para Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), Banco do Brasil deu sinais de avanços importantes na reunião Na manhã desta sexta-feira (19), em São Paulo, foi realizada a quarta mesa de negociação específica da Campanha Nacional 2024 para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) do Banco do Brasil. A pauta principal […]

Leia mais

CEE Caixa realiza nova rodada de negociações focada em diversidade e igualdade de oportunidades

Além de diversidade e igualdade, foram discutidos temas como FUNCEF, escala de férias, telefone celular e escola inclusiva A Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Caixa Econômica Federal conduziu nesta sexta-feira (19) mais uma mesa de negociação para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) dos empregados da instituição. O tema central da discussão […]

Leia mais

Sindicatos filiados