Funcionários do Banco do Brasil definem reivindicações específicas

12.07.2020

Pautas foram aprovadas durante 31º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil Funcionários do Banco do Brasil aprovaram durante o 31º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (CNFBB), ocorrido nos dias 10 e 12 de julho, as estratégias de luta e a pauta de reivindicações específicas do banco. As minutas foram aprovadas […]

Pautas foram aprovadas durante 31º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil

Funcionários do Banco do Brasil aprovaram durante o 31º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (CNFBB), ocorrido nos dias 10 e 12 de julho, as estratégias de luta e a pauta de reivindicações específicas do banco. As minutas foram aprovadas pelos 212 delegados e delegadas do congresso.

Para a representante da Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS), Elisa Ferreira, esse é um momento histórico para o Brasil onde o que está em disputa é o modelo de sociedade. "É importante estarmos unidos em prol da vida, da civilização e da democracia. Nossa luta é a defesa pelo Banco do Brasil e um projeto de sociedade com base no fortalecimento do setor público, da política de emprego e renda, do desenvolvimento e da distribuição de renda. Essa é a sociedade que defendemos, inclusiva, equânime, plural, justa e humanista”, destaca. 

O presidente da Feeb SP/MS, ressaltou que o momento é de união, tendo em vista um governo em que está fora do marco civilizatório. “A atualidade nos mostra a necessidade de unidade entre os trabalhadores e as forças que compõem o Comando Nacional. O fortalecimento da mesa única de negociação com os bancos públicos e privados é essencial para a manutenção dos direitos dos funcionários e para a vitória da democracia no país”, defende Boava.

Debates
A programação do 31º CNFBB incluiu a participação dos convidados em uma rodada de debates norteados pela defesa dos bancos públicos. Entre os paineis foram destacados a importância dos microcréditos para agricultura familiar, a instituição do teletrabalho e os ataques do sistema financeiro nacional neoliberal e do governo federal às empresas públicas e a construção de uma frente política em defesa do Banco do Brasil.  
A plenária final fortaleceu a defesa pela democracia e promoveu aos participantes uma reflexão sobre os diferentes atores frente aos ataques que os movimentos sociais e a sociedade têm enfrentado.
 

Notícias Relacionadas

Financiários exigem fim de terceirizações e formalização do teletrabalho no setor

Movimento sindical também denunciou o aumento de contratações de correspondentes bancários, repassando os serviços para empresas que não cobrem os mesmos direitos reivindicados pela categoria Representantes dos trabalhadores financiários realizaram, nesta terça-feira (16), mais uma rodada da mesa de negociações com a Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi), desta vez, para […]

Leia mais

COE Santander reitera defesa dos direitos dos empregados durante negociação com o banco

A garantia do emprego foi um dos principais temas reivindicados A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander deu início às negociações do acordo específico com o banco, na tarde desta terça-feira (16). A defesa dos direitos dos trabalhadores e a garantia do empregos foram os principais temas debatidos. O movimento sindical cobrou o […]

Leia mais

Banco do Brasil se compromete a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024

A garantia foi dada pela direção do banco na terceira mesa de negociação da Campanha Nacional 2024, nesta sexta-feira (12), e tema será tratado durante período de renovação da CCT. O Banco do Brasil se comprometeu a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024 e a negociar a pauta durante o […]

Leia mais

Sindicatos filiados