Funcionários do Banco do Brasil votam Acordo Coletivo Emergencial

29.06.2020

Proposta oferece desconto de horas negativas e compromisso de não descomissionamento Na última sexta-feira, 26, a Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, participou de nova videoconferência com o Comando Nacional dos Bancários e a Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB) para […]

Proposta oferece desconto de horas negativas e compromisso de não descomissionamento

Na última sexta-feira, 26, a Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, participou de nova videoconferência com o Comando Nacional dos Bancários e a Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB) para tratar das propostas do Acordo Coletivo de Trabalho Emergencial em decorrência da pandemia causada pelo novo Coronavírus. A orientação foi para que os bancários votem na aprovação do acordo durante as assembleias que serão realizadas pelos sindicatos de forma eletrônica.

Entre as vantagens da negociação estão o abono dos dias 7 a 9 de abril, desconto de 10% nas horas negativas do banco de horas e o compromisso de não descomissionamento por desempenho até o final da pandemia.

De acordo com o presidente da Feeb, Jeferson Boava, as propostas são positivas e favorecerão os bancários. "Em tempo de instabilidade e de pandemia, votar favorável às propostas traz mais segurança e estabilidade aos profissionais”, ressalta. “Além disso, esse é um momento para se analisar a importância das negociações e os resultados alcançados até aqui”, completa.

A proposta traz entre seus benefícios a flexibilização das metas e a garantia dos empregos e rendimentos dos bancários.

Conquistas
Portaria Conjunta nº 20, de 18 de junho de 2020, alterou o grupo de risco para a contaminação pela Covid-19, excluindo as pessoas com mais de 60 anos. Desta forma, o banco poderia promover o retorno ao trabalho dos funcionários deste grupo que estejam em home office, mesmo com os números crescentes de mortes pela doença no país.

A proposta prevê:
Desconto de 10% do total de horas que o funcionário terá que compensar, com prazo de até 18 meses para compensação;

Manutenção de um período mínimo de 15 dias férias, impossibilitando que o banco zere as férias dos trabalhadores;

Banco de horas positivos garantidos e pagos de acordo com o Acordo Coletivo de Trabalho;

Manutenção da redução de jornada para os funcionários que estão trabalhando, sem redução de salários; não descomissionamento por desempenho durante todo o período de pandemia.

 

Notícias Relacionadas

Caixa terá processo seletivo para a escolha dos diretores da FUNCEF

Inscrições já foram iniciadas e seguem até a próxima quinta-feira (9/2) Os cargos de diretor-presidente e diretor de Investimentos e Participações Societárias e Imobiliárias da Fundação dos Economiários Federais (FUNCEF) serão escolhidos por meio de processo seletivo. O anúncio foi feito em edital publicado pela Caixa. As inscrições tiveram início na última sexta-feira (3/2) e […]

Leia mais

Santander implementa teletrabalho em áreas administrativas

Modalidade é válida para áreas administrativas e contemplam eixo São Paulo e Rio de Janeiro O Santander anunciou que irá implementar o teletrabalho (home office). A modalidade é válida para bancários das áreas administrativas, lotados majoritariamente no eixo São Paulo e Rio de Janeiro, segundo as regras previstas na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria. As […]

Leia mais

Santander paga PLR e demais adicionais no dia 28 de fevereiro

Representantes da Comissão de Organização de Empregados (COE/Santander) foram informados nesta terça-feira (01), sobre a data de pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). O valor será creditado no dia 28 deste mês. Junto com a PLR bancárias e bancários do Santander receberão os percentuais do Programa Próprio de Resultados do Santander (PPRS), do […]

Leia mais

Sindicatos filiados