HSBC propõe acordo aditivo e negociação segue após Campanha Nacional

22.08.2013

O movimento sindical e o HSBC retomaram nesta quarta-feira, dia 21, em São Paulo, as negociações permanentes para discussão da pauta específica dos funcionários. Participou dos debates o representante da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS), Danilo Anderson. Na ocasião, o banco inglês apresentou Alexandra Roth, que substituirá […]

O movimento sindical e o HSBC retomaram nesta quarta-feira, dia 21, em São Paulo, as negociações permanentes para discussão da pauta específica dos funcionários. Participou dos debates o representante da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS), Danilo Anderson. Na ocasião, o banco inglês apresentou Alexandra Roth, que substituirá Vera Saicali no cargo de diretora de RH.

LEIA TAMBÉM
1ª rodada – Negociação sobre pauta específica com o HSBC avança pouco
2ª rodada – HSBC sinaliza com pequenos avanços
Veja aqui a pauta específica dos Funcionários – 2013/2014

Conforme previsto, a instituição trouxe os pontos para a formalização do acordo específico, contemplando direitos praticados atualmente:
– plano de saúde e odontológico com duas operadoras
– direito a folgas por tempo de casa e no dia do aniversário
– adiantamento salarial, no caso das férias, em até cinco parcelas
– bolsa educacional

Da pauta entregue e discutida até o momento, o banco negou a reivindicação referente ao CPK – reembolso de combustível, dizendo que não pode aplicar qualquer reajuste sobre os R$ 0,46 praticados atualmente.

Decorrente dos debates anteriores, as entidades sindicais solicitaram a inclusão no rol anterior de mais três itens: o Plano de Previdência Complementar já concedido, a criação da mesa paritária de saúde e utilização da treinet somente dentro da jornada de trabalho.

A redação do instrumento apresentado durante a negociação será submetido à avaliação das entidades sindicais e uma vez aprovado, posterior formalização entre o banco e as entidades sindicais convenentes.

PPR

O banco admite que o programa esteja desvinculado da PLR da CCT dos bancários e, portanto, não efetuará a compensação entres os dois programas distintos. Mas não aceita incluir esses termos no acordo nem estabelecer negociação direta com as entidades sindicais para construção do programa neste momento.
Pendências

O banco concorda em prosseguir no debate, mas não apresentou uma redação final para os seguintes pontos:

– compartilhamento de agências: voltará ao debate e informou que Aides Jr, representante da área de operações, será convidado para esse debate.
– acesso dos dirigentes sindicais liberados e dos licenciados para tratamento de saúde ao portal RH e a comunicados internos: o banco disse estar tratando internamente da operacionalização para viabilizar o acesso.
– adiantamento de férias em dez parcelas. 
– inclusão dentre as cláusulas do ACT que será formalizado, o direito de todos os admitidos até 31.12.2012 de permanecerem com seu plano de saúde nos casos de aposentadoria, uma vez que contribuíram para o plano nos termos da norma 279 da ANS.
– Plano de Previdência Complementar: apesar do benefício já estar implantado, uma série de ajustes foram propostos, entre ele a elevação do percentual mínimo de contribuição pela patrocinadora, de 0,5% para 3%, paritário.
– Vale Cultura.

Avanços e mais negociação

Os integrantes da comissão de empresa consideraram como positiva essa retomada do diálogo com o banco, inclusive com a construção de um acordo de trabalho específico contemplando direitos conquistados no passado.

Carlos Kanak, coordenador da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do HSBC, avalia ser fundamental que o processo de negociação seja permanente e avance cada vez mais, principalmente em questões relacionadas ao emprego, fim da rotatividade e mais contratações.

Após o término da Campanha Nacional dos Bancários, o movimento sindical dará continuidade às discussões sobre temas como remuneração, PCS e PPR.

Balanço semestral

A respeito do balanço semestral que foi publicado, ficou decidida a realização brevemente de uma reunião específica para analisar as perspectivas e problemas decorrentes dos maus resultados apresentados (LL 24% inferior ao mesmo período de 2012), particularmente impactos no nível de emprego, programas próprios de remuneração e PLR.

Fonte: Contraf

 

Notícias Relacionadas

Saúde, segurança, metas e violência contra as mulheres pautam reunião das Financeiras

Coletivo Nacional dos Financiários e Acrefi voltam à mesa de negociação pela Campanha Nacional 2024 Na tarde desta sexta-feira (19), o Coletivo Nacional dos Financiários da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) realizou mais uma rodada de negociações com a Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi). A pauta do […]

Leia mais

Quarta mesa de negociação do BB discute diversidade e igualdade de oportunidades

Para Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), Banco do Brasil deu sinais de avanços importantes na reunião Na manhã desta sexta-feira (19), em São Paulo, foi realizada a quarta mesa de negociação específica da Campanha Nacional 2024 para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) do Banco do Brasil. A pauta principal […]

Leia mais

CEE Caixa realiza nova rodada de negociações focada em diversidade e igualdade de oportunidades

Além de diversidade e igualdade, foram discutidos temas como FUNCEF, escala de férias, telefone celular e escola inclusiva A Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Caixa Econômica Federal conduziu nesta sexta-feira (19) mais uma mesa de negociação para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) dos empregados da instituição. O tema central da discussão […]

Leia mais

Sindicatos filiados