Justiça determina reintegração de bancária no BB

09.11.2021

Direito O juiz Tárcio José Vidotti, do Tribunal Regional do Trabalho de Campinas (TRT), determinou ao Banco do Brasil a reintegração de uma funcionária demitida em 2015, ao julgar ação ingressada pelo Sindicato. Em sua sentença, publicada em setembro de 2019, o juiz determinou também o pagamento de todas as verbas salariais não creditadas durante […]

Direito

O juiz Tárcio José Vidotti, do Tribunal Regional do Trabalho de Campinas (TRT), determinou ao Banco do Brasil a reintegração de uma funcionária demitida em 2015, ao julgar ação ingressada pelo Sindicato. Em sua sentença, publicada em setembro de 2019, o juiz determinou também o pagamento de todas as verbas salariais não creditadas durante o período de abril de 2015 até a data da reintegração, que ocorreu no dia 3 deste mês de novembro em Indaiatuba.

A bancária foi demitida por abandono de emprego no momento em que estava incapacitada para o trabalho, em tratamento psiquiátrico e com recurso pendente de decisão no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Na tentativa de reverter a decisão do juiz Tárcio José Vidotti, o BB ainda ingressou com recurso no Tribunal Superior do Trabalho (TST), Porém, sem sucesso. No período de seis anos, além de não receber salário, a bancária ficou sem plano de saúde para manter o tratamento.

A seguir trecho da decisão do juiz do TRT de Campinas:

“Não há que se falar em abandono de emprego, pois não houve a configuração do requisito subjetivo, qual seja, o animus abandonandi ou intenção de deixar o emprego, pois a parte autora no momento da rescisão contratual se encontrava inapta para o trabalho, haja vista os atestados médicos que comprovam a precária condição de saúde da autora no momento da rescisão do contrato de trabalho. Referida condição de saúde é do conhecimento da própria reclamada, que, em exame ocupacional realizado na data de 11.03.2015, declarou a aptidão da autora com ressalvas, recomendando que a autora evite atendimento ao público por 60 dias. (…) Estando suspenso o contrato de trabalho, em virtude da inaptidão da autora para o trabalho, declaro a nulidade da rescisão contratual e defiro o pedido de reintegração, bem como determino o pagamento dos salários vencidos e vincendos desde a data da rescisão contratual.

Com informações: Sindicato dos Bancários de Campinas

Notícias Relacionadas

Eleição Caref BB: Kelly Quirino recebe mais de 60% dos votos

Resultado ainda é preliminar, os números finais serão divulgados no dia 8 de fevereiro pela Comissão Eleitoral Kelly Quirino recebeu 60,70% dos votos para Caref BB no primeiro turno para o cargo que representará os funcionários no Conselho de Administração (CA) do Banco do Brasil, nos próximos dois anos. Com mais da metade dos votos, […]

Leia mais

O pioneirismo na luta pela previdência do trabalhador

Acompanhamos nesta semana a repercussão do Centenário da Previdência Social, completado no dia 24 de janeiro, mesmo dia em que é celebrado o Dia Nacional do aposentado. É fato que a criação da Lei Eloy Chaves, em 1923, foi imprescindível para o estabelecimento das bases do Sistema Previdenciário Brasileiro e o surgimento das Caixas de […]

Leia mais

24 de janeiro de 2023, Centenário da Previdência Social

O dia 24 de janeiro de 2023 marca o centenário da Previdência Social do Brasil, um conjunto de benefícios que teve como base a criação da Lei Eloy Chaves, em 1923. A medida estabeleceu as bases do Sistema Previdenciário Brasileiro ao criar as Caixas de Aposentadorias e Pensões (CAP), na época, destinada apenas aos empregados […]

Leia mais

Sindicatos filiados