Justiça determina reintegração de bancária no BB

09.11.2021

Direito O juiz Tárcio José Vidotti, do Tribunal Regional do Trabalho de Campinas (TRT), determinou ao Banco do Brasil a reintegração de uma funcionária demitida em 2015, ao julgar ação ingressada pelo Sindicato. Em sua sentença, publicada em setembro de 2019, o juiz determinou também o pagamento de todas as verbas salariais não creditadas durante […]

Direito

O juiz Tárcio José Vidotti, do Tribunal Regional do Trabalho de Campinas (TRT), determinou ao Banco do Brasil a reintegração de uma funcionária demitida em 2015, ao julgar ação ingressada pelo Sindicato. Em sua sentença, publicada em setembro de 2019, o juiz determinou também o pagamento de todas as verbas salariais não creditadas durante o período de abril de 2015 até a data da reintegração, que ocorreu no dia 3 deste mês de novembro em Indaiatuba.

A bancária foi demitida por abandono de emprego no momento em que estava incapacitada para o trabalho, em tratamento psiquiátrico e com recurso pendente de decisão no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Na tentativa de reverter a decisão do juiz Tárcio José Vidotti, o BB ainda ingressou com recurso no Tribunal Superior do Trabalho (TST), Porém, sem sucesso. No período de seis anos, além de não receber salário, a bancária ficou sem plano de saúde para manter o tratamento.

A seguir trecho da decisão do juiz do TRT de Campinas:

“Não há que se falar em abandono de emprego, pois não houve a configuração do requisito subjetivo, qual seja, o animus abandonandi ou intenção de deixar o emprego, pois a parte autora no momento da rescisão contratual se encontrava inapta para o trabalho, haja vista os atestados médicos que comprovam a precária condição de saúde da autora no momento da rescisão do contrato de trabalho. Referida condição de saúde é do conhecimento da própria reclamada, que, em exame ocupacional realizado na data de 11.03.2015, declarou a aptidão da autora com ressalvas, recomendando que a autora evite atendimento ao público por 60 dias. (…) Estando suspenso o contrato de trabalho, em virtude da inaptidão da autora para o trabalho, declaro a nulidade da rescisão contratual e defiro o pedido de reintegração, bem como determino o pagamento dos salários vencidos e vincendos desde a data da rescisão contratual.

Com informações: Sindicato dos Bancários de Campinas

Notícias Relacionadas

Conferência Interestadual aprova eixos para Conferência Nacional de 2024

Sindicatos dos Bancários debateram propostas e aprovaram pautas em defesa do trabalhador. Documento será apresentado em Conferência Nacional para discussão na Campanha Salarial de 2024 Delegações de 21 regionais dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul se reuniram nesta quinta e sexta-feira, 11 e 12 de abril, para debater propostas que serão […]

Leia mais

Abertura da Conferência Interestadual da Feeb SP/MS conta com delegações de 21 regionais

  Primeiro dia de evento amplia visão sobre o futuro do Sistema Financeiro, Cenário Econômico Nacional e Avanço Tecnológico  A Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) abriu nesta quinta-feira (11) a Conferência Interestadual dos Bancários de 2024. O tema central do evento deste ano é “Categoria […]

Leia mais

Proposta da Caixa para PcD é frustrante

Contudo, houve definição sobre pagamento dos deltas da promoção por mérito A proposta da Caixa Econômica Federal sobre redução de jornada e priorização de empregadas e empregados PcD, ou que tenham filhos de até seis anos com deficiência, frustrou a representação dos trabalhadores. “Na proposta do banco, somente há possibilidade de redução da jornada com […]

Leia mais

Sindicatos filiados