Lucro líquido da Caixa tem queda de 76,4% no terceiro trimestre

25.11.2020

Com informações: Valor Econômico  Lucro líquido da Caixa tem queda de 76,4% no terceiro trimestre Instituição financeira somou um ganho líquido de R$ 1,890 bilhão no período Por Álvaro Campos, Valor — São Paulo 25/11/2020 08h28 Atualizado — Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil A Caixa Econômica Federal teve lucro ajustado de R$ 2,636 bilhões no […]

Com informações: Valor Econômico 

Lucro líquido da Caixa tem queda de 76,4% no
terceiro trimestre

Instituição financeira somou um ganho líquido de R$ 1,890 bilhão no período
Por Álvaro Campos, Valor — São Paulo
25/11/2020 08h28 Atualizado
— Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A Caixa Econômica Federal teve lucro ajustado de R$ 2,636 bilhões no terceiro trimestre, com
crescimento de 1,7% em relação ao segundo trimestre, mas queda de 67,1% em relação ao
terceiro trimestre do ano passado. De janeiro a setembro, o lucro ajustado foi de R$ 8,3 bilhões,
com queda de 48,6% ante igual intervalo de 2019.

O desempenho do lucro líquido, que ficou em R$ 1,890 bilhão, foi ainda pior, despencando 76,4%.
Nos documentos divulgados, a Caixa não explica que fatores que causam a diferença entre o
lucro líquido e o ajustado, como é costume os bancos fazerem.

A margem financeira alcançou R$ 9,879 bilhões no terceiro trimestre, aumento de 2,7% se
comparado ao trimestre anterior, mas queda de 48,0% na comparação anual. Na variação
trimestral, a Caixa destaca o crescimento de 1,3% nas receitas das operações de crédito e
redução de 11,4% nas despesas de captações.

A carteira de crédito ampla da Caixa fechou com saldo de R$ 756,5 bilhões em setembro, com
10,7% de alta em relação ao terceiro trimestre de 2019, influenciada principalmente pelos
aumentos de 9,3% em habitação; 6,1% em saneamento e infraestrutura; 5,2% em crédito
comercial pessoa física; 32,9% no rural e 52,7% em crédito comercial pessoa jurídica,
principalmente nas linhas para micro e pequenas empresas.

As provisões de crédito ficaram em R$ 2,742 bilhões, com queda de 2,7% na margem. A
inadimplência ficou em 1,87% no terceiro trimestre, de 2,48% no segundo e 2,38% no terceiro
trimestre de 2019.

A Caixa diz que no terceiro trimestre não houve alterações no processo de apuração da provisão
de risco de crédito, bem como na constituição de provisão prudencial, além das já existentes,
“fundamentados nas características das operações da Caixa, que são concentradas em
operações de longo prazo, com garantias reais e com mais de 91,9% das operações classificadas
em níveis de riscos entre AA e C”.

O banco afirma que continuará acompanhando as operações de crédito, em especial quanto aos
reflexos da pandemia de covid-19 na economia. O índice de cobertura do banco subiu para
239,2% no terceiro trimestre, de 189,8% no segundo e 214,1% no terceiro trimestre do ano
passado.

As receitas com prestação de serviços e tarifas bancárias totalizaram R$ 6,113 bilhões,
crescimento de 13,4% quando comparado ao segundo trimestre, mas queda de 12,4% no anual.
Na margem, destaca-se o aumento de 19,1% em serviços de governo, 9,1% em receitas de conta
corrente, 37% em cartões e 215,2% em seguros.

As despesas administrativas somaram R$ 8,380 bilhões, com alta de 1,1% no trimestre e de 5,1%
no ano. A Caixa diz que devolveu 100 edifícios administrativos, com uma economia estimada de
R$ 400 milhões ao ano. Além disso, diz que mais de 2 mil empregados aderiram ao PDV.

O Índice de Basileia atingiu 17,8%, sendo superior em 7,6 pontos percentuais ao mínimo exigido
de 10,25%. O índice de capital principal totalizou 12,3%.

A Caixa diz que atingiu o recorde de mais de 105 milhões de contas poupanças sociais digitais
gratuitas abertas até o dia 16 de novembro no app Caixa Tem.

Notícias Relacionadas

Bancários do Santander assinam Acordo Coletivo de Trabalho

Assinatura ocorreu na sede do Banco e contou com representantes dos bancários e dos bancos Bancários do banco Santander, representados pela Comissão de Organização dos Empregados (COE) Santander, assinaram nesta terça-feira (27), na sede do Banco, o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) geral dos funcionários. A assinatura aconteceu na sede do Banco Santander, em São […]

Leia mais

Bancários aprovam acordos de trabalho do Santander

97,18% dos funcionários aprovaram o acordo com o banco Bancários do banco Santander de todo o país aprovaram, nesta quinta-feira (22), com 97,18% dos votos, o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) geral dos funcionários, aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria bancária, o ACT do Programa de Participação nos Resultados Santander (PPRS) e […]

Leia mais

Negociação dos Financiários continua sem avanços

Financeiras apresentam proposta abaixo da expectativa da categoria Representantes dos Financiários e a Federação Interestadual das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Fenacrefi) se reuniram nesta quinta-feira (22) para dar continuidade às negociações da campanha salarial da categoria. A pauta de reivindicações da categoria, com data-base em 1º de junho, foi entregue no dia 15 […]

Leia mais

Sindicatos filiados