Mulheres são 58,4% da categoria bancária aponta Perfil Bancário 2022

08.04.2022

Regional: Sindicato dos Bancários de Piracicaba A edição de 2022 da pesquisa Perfil Bancário, realizada pelo Sindicato dos Bancários de Piracicaba e Região (SINDBAN) em sua base aponta que as mulheres representam 58,4% da categoria. Em 2021, as mulheres somavam 52,72% dos bancários. Aumentou ainda o número de bancários jovens no mercado de trabalho: 31,70% […]

Regional: Sindicato dos Bancários de Piracicaba

Aumentou ainda o número de bancários jovens no mercado de trabalho: 31,70% dos bancários têm de 26 a 35 anos. No ano passado esse percentual era de 23,85%. Entre os bancários de 36 a 45 anos, o percentual saltou de 29,29% para 34,50%.

Na avaliação do presidente do SINDBAN, José Antonio Fernandes Paiva, “a presença de bancários mais jovens na pesquisa é o retrato das milhares de demissões do setor nos últimos anos e dos planos de demissão voluntária que atingem os bancários com mais tempo de serviço”, aponta.

Teletrabalho – A pesquisa perguntou aos bancários se trabalharam em home office. Por decisão do banco, 58,70% responderam que sim, contra 26,53% da pesquisa anterior. 26,70% responderam que trabalharam em home office por serem do grupo de risco. Em 2021, esse índice foi de 19,39%. Por fim, 14,60% disseram que trabalharam em home office por conviverem com pessoas do grupo de risco. Um percentual bem maior do que no ano passado, quando apenas 4,08% responderam estar nessa situação.

Pressão – Infelizmente, este ano o Perfil Bancário novamente aponta a pressão dos bancos sob os trabalhadores. A pressão por metas foi apontada como principal problema do ambiente de trabalho por 79,90% da categoria. Um pequeno aumento em relação ao ano passado quando o índice atingiu 78,57% dos entrevistados.

Já as reclamações sobre ritmo de trabalho acelerado saltaram de 36,73% em 2021, para 42,90% este ano.

“A categoria bancária foi uma das mais atingidas durante a pandemia da covid-19. Desde o início negociamos com os bancos o teletrabalho. De outro lado, a demanda das agências teve de ser atendida por um número menor de bancários. Mas o pior é a ganância dos bancos por lucro sob quaisquer condições. Isso tem pressionado nossa categoria sobremaneira”, avalia.

O questionário deste ano foi respondido por 50% da categoria, uma amostragem muito representativa, principalmente considerando que boa parte dos bancários está trabalhando em home office.

Os dados da pesquisa ajudam o sindicato a cobrar os bancos e propor ações para a melhoria da qualidade de trabalho da categoria.

 

Notícias Relacionadas

Santander implementa teletrabalho em áreas administrativas

Modalidade é válida para áreas administrativas e contemplam eixo São Paulo e Rio de Janeiro O Santander anunciou que irá implementar o teletrabalho (home office). A modalidade é válida para bancários das áreas administrativas, lotados majoritariamente no eixo São Paulo e Rio de Janeiro, segundo as regras previstas na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria. As […]

Leia mais

Santander paga PLR e demais adicionais no dia 28 de fevereiro

Representantes da Comissão de Organização de Empregados (COE/Santander) foram informados nesta terça-feira (01), sobre a data de pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). O valor será creditado no dia 28 deste mês. Junto com a PLR bancárias e bancários do Santander receberão os percentuais do Programa Próprio de Resultados do Santander (PPRS), do […]

Leia mais

Feeb SP/MS monta grupo de trabalho para discutir metas com Banco Itaú

Prazo para organização de grupos de representação se encerrou no último dia 31 Bancários representados pela Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul formalizaram o pedido junto ao banco para montagem de um grupo de trabalho para discussão de metas. De acordo com a cláusula 87 da Convenção Coletiva […]

Leia mais

Sindicatos filiados