Negociação com a Fenacrefi mais uma vez não avança e comando orienta greve

31.08.2016

Comando orienta realização de assembleias até dia 05/09, com indicativo de greve para deflagração até dia 08/09 Assim como as negociações com a Fenaban, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, a quarta rodada de negociação com a Fenacrefi (Federação Interestadual das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento), realizada nesta terça-feira (30), em São Paulo, […]

Comando orienta realização de assembleias até dia 05/09, com indicativo de greve para deflagração até dia 08/09

Assim como as negociações com a Fenaban, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, a quarta rodada de negociação com a Fenacrefi (Federação Interestadual das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento), realizada nesta terça-feira (30), em São Paulo, também terminou sem avanços. Diante deste cenário de intransigência e insensibilidade, o Comando orienta realização de assembleias até dia 05/09, com indicativo de greve para deflagração até dia 08/09.

A reunião discutiu os seguintes tópicos: cláusulas de contratação do ramo, da PLR, licença-paternidade, ausências legais e o parcelamento de férias, todos negados pela representante das financeiras.

Contratações

Com poucos funcionários contratados pelas financeiras e muitos prestadores de serviço, uma das principais reivindicações do movimento sindical é de mais contratações no ramo financeiro. Porém, a Fenacrefi sinalizou que não está aberta à negociação desta cláusula neste momento.

PLR

Financeiras alegaram que o Grupo de Trabalho (GT) de PLR não prosperou no intento de encontrar um modelo de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) satisfatório para ambos os lados e por isso, irão manter a fórmula atual. O GT de PLR, porém, continua. Adiantamento de salário e aumento da parcela adicional da PLR também foram negados.

Licença-paternidade

No que diz respeito à licença-paternidade e ausências legais, a representante das financeiras afirmou que irá aguardar a legislação que está em trâmite. No caso da licença-paternidade especificamente, a Fenacrefi argumentou que muitas instituições financeiras ainda não são cadastradas no Programa Empresa Cidadã.

Parcelamento de adiantamento de férias

A negativa da Fenacrefi a esse quesito foi a embasada pela justificativa de um “possível endividamento do trabalhador”. Porém, a entidade cogitou a possibilidade de parcelar o prazo em dois períodos.

Os Diretores Walmir Gomes da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB/SP/MS) e Vinissio Clemente (Seeb Santos) participaram da reunião.

Proposta rebaixada

“A proposta de reajuste salarial apresentada pelas financeiras (80% do INPC de 9,83%, referente a junho/2016, mais R$ 1.000 de abono) é rebaixada e desrespeitosa. Está distante da reivindicação dos financiários de reposição da inflação, mais 5% de aumento real. A orientação do Comando é de que os sindicatos realizem em suas bases, assembleias até o dia 05/09, com indicativo de greve para deflagração até dia 08/09, com a perspectiva de se unirem aos bancários nas paralisações”, afirma Walmir.

Confira as principais reivindicações dos financiários

Reajuste de 15,31%, composto pela reposição da inflação mais 5% aumento real, Piso Escritório R$ 3.777,93 (valor igual ao salário mínimo indicado pelo Dieese em maio de 2016) e Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de três salários, entre outros. A unificação da data base dos financiários, que em São Paulo é em 1º de junho, com a da categoria bancária também está entre as requisições.
 

Notícias Relacionadas

Semana reforçou a conscientização sobre o combate às LER/Dort

A data chama atenção para duas doenças que têm relação direta com o trabalho e que atingem milhões de brasileiros Nesta semana, no dia 28 de fevereiro (última quarta-feira) foi o Dia Mundial de combate às Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (Dort). A data foi escolhida pela Organização Internacional […]

Leia mais

COE e Itaú discutem revisões nos programas de remuneração

Durante a reunião foram apresentadas modificações nos programas. O movimento sindical deve elaborar contraproposta em breve  A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú realizou nesta quarta-feira (28), em São Paulo, uma reunião com a direção do banco para debater questões relacionadas à remuneração dos funcionários. Durante o encontro, o banco apresentou alterações nos […]

Leia mais

Trabalhadores discutem futuro da Fundação Itaú-Unibanco

Em seminário promovido pela Contraf-CUT e COE Itaú trabalhadores debateram caminhos para aumentar representatividade na gestão do fundo de pensão Trabalhadoras e trabalhadores associados à Fundação Itaú-Unibanco se reuniram, nesta quinta-feira (29), em um seminário organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e pela Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú, […]

Leia mais

Sindicatos filiados