Negociação com a Fenacrefi mais uma vez não avança e comando orienta greve

31.08.2016

Comando orienta realização de assembleias até dia 05/09, com indicativo de greve para deflagração até dia 08/09 Assim como as negociações com a Fenaban, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, a quarta rodada de negociação com a Fenacrefi (Federação Interestadual das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento), realizada nesta terça-feira (30), em São Paulo, […]

Comando orienta realização de assembleias até dia 05/09, com indicativo de greve para deflagração até dia 08/09

Assim como as negociações com a Fenaban, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, a quarta rodada de negociação com a Fenacrefi (Federação Interestadual das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento), realizada nesta terça-feira (30), em São Paulo, também terminou sem avanços. Diante deste cenário de intransigência e insensibilidade, o Comando orienta realização de assembleias até dia 05/09, com indicativo de greve para deflagração até dia 08/09.

A reunião discutiu os seguintes tópicos: cláusulas de contratação do ramo, da PLR, licença-paternidade, ausências legais e o parcelamento de férias, todos negados pela representante das financeiras.

Contratações

Com poucos funcionários contratados pelas financeiras e muitos prestadores de serviço, uma das principais reivindicações do movimento sindical é de mais contratações no ramo financeiro. Porém, a Fenacrefi sinalizou que não está aberta à negociação desta cláusula neste momento.

PLR

Financeiras alegaram que o Grupo de Trabalho (GT) de PLR não prosperou no intento de encontrar um modelo de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) satisfatório para ambos os lados e por isso, irão manter a fórmula atual. O GT de PLR, porém, continua. Adiantamento de salário e aumento da parcela adicional da PLR também foram negados.

Licença-paternidade

No que diz respeito à licença-paternidade e ausências legais, a representante das financeiras afirmou que irá aguardar a legislação que está em trâmite. No caso da licença-paternidade especificamente, a Fenacrefi argumentou que muitas instituições financeiras ainda não são cadastradas no Programa Empresa Cidadã.

Parcelamento de adiantamento de férias

A negativa da Fenacrefi a esse quesito foi a embasada pela justificativa de um “possível endividamento do trabalhador”. Porém, a entidade cogitou a possibilidade de parcelar o prazo em dois períodos.

Os Diretores Walmir Gomes da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB/SP/MS) e Vinissio Clemente (Seeb Santos) participaram da reunião.

Proposta rebaixada

“A proposta de reajuste salarial apresentada pelas financeiras (80% do INPC de 9,83%, referente a junho/2016, mais R$ 1.000 de abono) é rebaixada e desrespeitosa. Está distante da reivindicação dos financiários de reposição da inflação, mais 5% de aumento real. A orientação do Comando é de que os sindicatos realizem em suas bases, assembleias até o dia 05/09, com indicativo de greve para deflagração até dia 08/09, com a perspectiva de se unirem aos bancários nas paralisações”, afirma Walmir.

Confira as principais reivindicações dos financiários

Reajuste de 15,31%, composto pela reposição da inflação mais 5% aumento real, Piso Escritório R$ 3.777,93 (valor igual ao salário mínimo indicado pelo Dieese em maio de 2016) e Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de três salários, entre outros. A unificação da data base dos financiários, que em São Paulo é em 1º de junho, com a da categoria bancária também está entre as requisições.
 

Notícias Relacionadas

Após repercussão das denúncias de assédio sexual, Pedro Guimarães pede demissão

Testemunhos das vítimas vieram a público na terça-feira (28) e assustam pela quantidade de casos e pelo grau de desrespeito e crueldade; Ministério Público investiga em sigilo O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, entregou seu pedido de demissão na tarde desta quarta-feira (29) ao presidente da república, Jair Bolsonaro. A decisão foi tomada […]

Leia mais

NOTA OFICIAL

NOTA OFICIAL Pelo imediato afastamento de Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, e o acolhimento e preservação das vítimas Nós, bancárias de todo o Brasil, manifestamos nossa indignação pelos atos de assédio sexual praticados por Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, que ganharam repercussão na noite de desta terça-feira, 28/06/2022, ao serem divulgados […]

Leia mais

Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul repudia ações de Pedro Guimarães, acusado de assédio sexual

Além de apuração das denúncias, representação dos empregados pede afastamento do presidente da Caixa Após se tornar pública a acusação de assédio sexual feita por diferentes empregadas da Caixa Econômica Federal ao presidente Pedro Duarte Guimarães, a Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, se solidariza com as vítimas e manifesta […]

Leia mais

Sindicatos filiados