Negociações entre COE Santander e banco avançam

12.08.2022

Esforço dos sindicatos foi fundamental para o avanço de pautas especificas para mulheres Nesta sexta-feira (12), representantes da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander se reuniu com o banco para dar continuidade às negociações da Campanha Nacional dos Bancários 2022, que tem por objetivo a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico […]

Esforço dos sindicatos foi fundamental para o avanço de pautas especificas para mulheres

Nesta sexta-feira (12), representantes da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander se reuniu com o banco para dar continuidade às negociações da Campanha Nacional dos Bancários 2022, que tem por objetivo a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico dos trabalhadores do Santander, aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria.
Durante a negociação o movimento sindical obteve três avanços voltados para pautas específicas para as mulheres trabalhadoras, entre elas, a ampliação do período de amamentação de 9 para 12 meses,o fortalecimento de políticas de prevenção e combate ao assédio sexual dentro das dependências da instituição e a criação e inclusão do termo de combate à violência contra a mulher no aditivo. Apesar dos avanços, a reivindicação sobre mais contratações ainda não obteve avanço.

“Foi muito importante a negociação de hoje. Discutimos temas fundamentais para a categoria e avançar em pautas específicas para as mulheres é de suma importância”, destaca Patrícia Bassanin, representante da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS), na COE Santander.

Para a representação dos trabalhadores o resultado vem ao encontro da luta permanente dos sindicatos de combate e prevenção ao assédio sexual. A cobrança por mais contratações foi reforçada pelo movimento sindical que considera a demanda urgente para a categoria.

“Não vamos cruzar os braços enquanto o banco perde funcionários e amplia a terceirização, precarizando a mão de obra e removendo direitos do trabalhador. Sem contratação há sobrecarga de trabalho e aumento dos quadros de adoecimentos. É urgente o avanço nesta pauta também”, comenta a representante.

Notícias Relacionadas

Semana reforçou a conscientização sobre o combate às LER/Dort

A data chama atenção para duas doenças que têm relação direta com o trabalho e que atingem milhões de brasileiros Nesta semana, no dia 28 de fevereiro (última quarta-feira) foi o Dia Mundial de combate às Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (Dort). A data foi escolhida pela Organização Internacional […]

Leia mais

COE e Itaú discutem revisões nos programas de remuneração

Durante a reunião foram apresentadas modificações nos programas. O movimento sindical deve elaborar contraproposta em breve  A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú realizou nesta quarta-feira (28), em São Paulo, uma reunião com a direção do banco para debater questões relacionadas à remuneração dos funcionários. Durante o encontro, o banco apresentou alterações nos […]

Leia mais

Trabalhadores discutem futuro da Fundação Itaú-Unibanco

Em seminário promovido pela Contraf-CUT e COE Itaú trabalhadores debateram caminhos para aumentar representatividade na gestão do fundo de pensão Trabalhadoras e trabalhadores associados à Fundação Itaú-Unibanco se reuniram, nesta quinta-feira (29), em um seminário organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e pela Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú, […]

Leia mais

Sindicatos filiados