Nova rodada de negociação com BB sobre incorporados do BNC frustra associados e seus representantes

18.12.2020

CEEB destaca que melhor via é a negociação e que propostas dos bancários é viável A Federação dos Bancários dos Estados de SP/MS participou nesta quinta-feira (17) ao lado dos sindicatos, da Fetec SP, da Comissão de Empresa dos Funcionários (CEBB) e do Banco do Brasil do processo de negociação sobre os bancos incorporados, iniciado […]

CEEB destaca que melhor via é a negociação e que propostas dos bancários é viável
A Federação dos Bancários dos Estados de SP/MS participou nesta quinta-feira (17) ao lado dos sindicatos, da Fetec SP, da Comissão de Empresa dos Funcionários (CEBB) e do Banco do Brasil do processo de negociação sobre os bancos incorporados, iniciado no último dia 1ª.
As pendências com o Banco Nossa Caixa/BNC foram priorizadas pela mesa. A pauta tratou sobre isonomia, principalmente no que se refere aos planos de saúde e previdência. Os representantes do BB, não apresentaram nenhuma contraproposta às reivindicações encaminhadas no início do mês de outubro. (veja no final).

Já o movimento sindical, solicitou novamente a suspensão do reajuste dos planos de saúde (Feas) do Economus, que passa de 8% para 15,95% a partir de 1° de janeiro de 2021, e do novo plano Economus Futuro. De acordo com Elisa Ferreira, representante da Feeb SP/MS na CEBB, “o novo plano tem as mesmas características de qualquer plano oferecido pelo mercado, uma vez que não tem nenhuma contrapartida do Banco e nenhum aporte de qualquer fundo, como era o Feas”, explica.
A discussão também foi acompanhada pelo presidente da Feeb, Jeferson Boava, e pelo vice-presidente, Davi Zaia.

Orientação
O Economus já abriu a fase de pré-adesão ao novo plano. O Sindicato orienta que, neste momento, a melhor opção é esperar o resultado do processo de negociação.
Propostas viáveis

De acordo com a Feeb, o melhor caminho é a via negocial, uma vez que existem sérios problemas no modelo apresentado, principalmente no que diz respeito ao novo Feas. “É preciso caminharmos para a negociação, as propostas apresentadas pelos representantes dos bancários são viáveis”, pontua.

Durante a reunião, a representação dos bancários solicitou números relativos ao Economus, bem como, a quantidade de associados da ativa, e ainda informações sobre, aposentados, dependentes, faixas etária, faixas de remuneração, cálculos atuariais, custo para o Banco, entre outros. “São informações fundamentais para subsidiar o processo de negociação. A melhor saída para a construção de alternativas que contemplem os anseios dos funcionários/associados. Uma posição que adotamos desde 2009, quando o BB incorporou o BNC”, explica Elisa.

Pauta:
• Cassi e Previ para todos os funcionários egressos de bancos incorporados.
• Considerar, para todos os efeitos, o tempo de serviço e o histórico profissional dos funcionários egressos do Banco Nossa Caixa, desde sua posse naquela instituição, principalmente para pontuação nos sistemas de concorrências internas do Banco para ascensão profissional (TAO).
• Isonomia de direitos e benefícios, inclusive quanto ao pagamento de PLR, programas próprios de remuneração variável e outras premiações internas do Banco, e quanto aos sistemas de concorrência e promoção internas no Banco do Brasil, principalmente para os bancários egressos da Nossa Caixa que não aderiam ao Regulamento de Pessoal do BB.
• Assegurar o direito à utilização das garantias contidas Cláusulas 38º (PAS Auxílio), 20º (Auxílio Funeral) e 39º (Adiantamentos) do ACT BB para todos os funcionários egressos do Banco Nossa Caixa, notadamente àqueles que não aderiam ao Regulamento de Pessoal do BB.
• Assegurar o direito de migração para Cassi de todos os funcionários do BB egressos do Banco Nossa Caixa e/ou afiliados ao Economus, sejam funcionários da ativa ou todos os aposentados, na mesma forma do regulamento atual da Cassi, retroagindo para cômputo dos direitos estatutários desde a incorporação dos funcionários egressos em 12/2009.
• Efetuar a migração de todos os planos de previdência do Economus (A, B, C e PrevMais) para administração da Previ, respeitados seus respectivos estatutos atuais vigentes, no melhor formato que vise atingir a segurança financeira e previdenciária dos bancários egressos do Banco Nossa Caixa.
 

Notícias Relacionadas

Semana reforçou a conscientização sobre o combate às LER/Dort

A data chama atenção para duas doenças que têm relação direta com o trabalho e que atingem milhões de brasileiros Nesta semana, no dia 28 de fevereiro (última quarta-feira) foi o Dia Mundial de combate às Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (Dort). A data foi escolhida pela Organização Internacional […]

Leia mais

COE e Itaú discutem revisões nos programas de remuneração

Durante a reunião foram apresentadas modificações nos programas. O movimento sindical deve elaborar contraproposta em breve  A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú realizou nesta quinta-feira (28), em São Paulo, uma reunião com a direção do banco para debater questões relacionadas à remuneração dos funcionários. Durante o encontro, o banco apresentou alterações nos […]

Leia mais

Trabalhadores discutem futuro da Fundação Itaú-Unibanco

Em seminário promovido pela Contraf-CUT e COE Itaú trabalhadores debateram caminhos para aumentar representatividade na gestão do fundo de pensão Trabalhadoras e trabalhadores associados à Fundação Itaú-Unibanco se reuniram, nesta quinta-feira (29), em um seminário organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e pela Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú, […]

Leia mais

Sindicatos filiados