Prefeito de São Vicente propõe-se a construir um caminho pela manutenção das portas giratórias

03.12.2020

O presidente do Sindicato dos Bancários de Santos e Região, Ricardo Saraiva Big, e os diretores da entidade Eneida Koury, Pedro de Castro Junior e Fabiano Magalhães estiveram reunidos com o Prefeito Tércio Garcia e o Vice-Prefeito, Rogerio Barreto de São Vicente, dia 20 de março de 2012, no Paço, para tratar sobre a Lei […]

O presidente do Sindicato dos Bancários de Santos e Região, Ricardo Saraiva Big, e os diretores da entidade Eneida Koury, Pedro de Castro Junior e Fabiano Magalhães estiveram reunidos com o Prefeito Tércio Garcia e o Vice-Prefeito, Rogerio Barreto de São Vicente, dia 20 de março de 2012, no Paço, para tratar sobre a Lei 25/12, aprovada pela Câmara Municipal, que dispõe sobre a obrigatoriedade da desinstalação das portas giratórias com detectores de metais nas agências bancárias do município.

“Tércio Garcia e Rogério Barreto concordaram que a manutenção das portas são importantes para que pessoas armadas sejam impedidas de entrarem nas instituições bancárias e entenderam que elas evitam assaltos e outros tipos de violência, depois de nossa argumentação”, afirma Big. O prefeito de São Vicente se propôs a construir, em conjunto com os vereadores, a retirada da Lei e a manutenção das portas nas unidades bancárias.

Foram entregues ao prefeito, pela diretoria do sindicato, cerca de duas mil assinaturas contra a retirada do equipamento colhidas entre bancários, clientes, vigilantes e a população em geral, em apenas dois dias.

Antes das portas 1.903 assaltos, depois da instalação 369
Em 1995 os assaltos tinham aumentado 119,5%. Depois da instalação das portas, no final da década de 90, houve uma redução de aproximadamente 80% no número de assaltos, conforme dados da própria Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), entidade patronal. Segundo a estatística da Febraban, ano de 2000 foram registrados 1.903 assaltos contra 369 em 2010.

Porém, em 2011 quando os bancos iniciaram uma campanha nacional para retirada deste equipamento o número de roubos começou a aumentar e já foram contabilizados 422 em 2011, 14,36% maior em relação ao ano anterior. Isto só tende a aumentar nas cidades em que a Lei que obriga portas for derrubada.

Retirada de portas giratórias aumentam mortes em 2011
Em 2011, conforme pesquisa nacional das confederações dos bancários e dos vigilantes, com base em notícias da imprensa, 49 pessoas foram mortas em assaltos envolvendo bancos em todo país, uma média de quatro vítimas por mês, na sua maioria clientes, depois que os bancos começaram a inaugurar unidades sem portas giratórias. Em 2010, quando a campanha para insegurança imposta pelos bancos ainda estava no início, houve 23 ocorrências.

Os representantes sindicais frisam que os bancos possuem recursos de sobra para ampliar os investimentos em segurança. Pesquisa do Dieese, com base nos balanços de 2011 dos cinco maiores bancos, mostram que as despesas de segurança e vigilância somaram R$ 2,6 bilhões, o que representa uma média de apenas 5,2% do lucro líquido de R$ 50,7 bilhões.

 

Notícias Relacionadas

Após repercussão das denúncias de assédio sexual, Pedro Guimarães pede demissão

Testemunhos das vítimas vieram a público na terça-feira (28) e assustam pela quantidade de casos e pelo grau de desrespeito e crueldade; Ministério Público investiga em sigilo O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, entregou seu pedido de demissão na tarde desta quarta-feira (29) ao presidente da república, Jair Bolsonaro. A decisão foi tomada […]

Leia mais

NOTA OFICIAL

NOTA OFICIAL Pelo imediato afastamento de Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, e o acolhimento e preservação das vítimas Nós, bancárias de todo o Brasil, manifestamos nossa indignação pelos atos de assédio sexual praticados por Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, que ganharam repercussão na noite de desta terça-feira, 28/06/2022, ao serem divulgados […]

Leia mais

Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul repudia ações de Pedro Guimarães, acusado de assédio sexual

Além de apuração das denúncias, representação dos empregados pede afastamento do presidente da Caixa Após se tornar pública a acusação de assédio sexual feita por diferentes empregadas da Caixa Econômica Federal ao presidente Pedro Duarte Guimarães, a Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, se solidariza com as vítimas e manifesta […]

Leia mais

Sindicatos filiados