Sindicato de Santos e Região protesta contra desmonte do BB na Av. Paulista

12.02.2021

Diretoria participou de manifestação, nesta sexta-feira (12), pela manhã, contra a reestruturação do Banco do Brasil (BB), na Av. Paulista (Com informações: Sindicato dos Bancários de Santos) No início da manhã desta sexta-feira (12/2), a diretoria do Sindicato subiu a serra para participar de manifestação contra a restruturação do BB, corte de funcionários, redução de […]

Diretoria participou de manifestação, nesta sexta-feira (12), pela manhã, contra a reestruturação do Banco do Brasil (BB), na Av. Paulista

(Com informações: Sindicato dos Bancários de Santos)

No início da manhã desta sexta-feira (12/2), a diretoria do Sindicato subiu a serra para participar de manifestação contra a restruturação do BB, corte de funcionários, redução de salário, fechamento de agências e realocação de bancários excedentes para qualquer cidade do país.

O protesto, organizado pelo movimento sindical, foi em frente ao prédio que abriga a Área de Relações com Investidores, na Av. Paulista, 1230 – onde o presidente do banco, André Brandão, comentava o lucro do banco naquele momento, 9h da manhã.

Sindicato de Santos e Região protesta contra desmonte do BB na Av. Paulista

“O desmonte do BB se enquadra ao desmonte das empresas públicas nacionais, a implantação do Estado Mínimo, onde o investimento em programas e políticas sociais são mínimas. A entrega do patrimônio da população ao setor privado. Uma política neoliberal onde o rico fica mais rico e o pobre vira miserável. Esta é a política de Paulo Guedes e Bolsonaro. Ao invés de preocupar-se em vacinar a população, Bolsonaro investe na destruição e entrega do Banco Central e outras 15 empresas públicas ao mercado financeiro”, diz Eneida Koury, presidente do Sindicato dos Bancários de Santos e Região, presente na manifestação de hoje.

Lucro e desmonte do BB

O Banco do Brasil registrou lucro líquido ajustado de R$ 3,695 bilhões no quarto trimestre de 2020, uma queda de 20,1% na comparação com o mesmo intervalo de 2019. Comparado ao terceiro trimestre, houve uma alta de 6,1% no lucro. O lucro anual do banco foi de R$ 13,884 bilhões.

O último trimestre do ano passado marca o primeiro ‘completo’ sob a gestão de André Brandão, que assumiu a presidência do BB no fim de setembro, veio do HSBC, para desmontar a instituição e entregá-la ao mercado financeiro privado.


Imagem: Fabiano Couto 

Sem tempo a perder e com o DNA de banco de investimento, começou a desmontar ainda no fim do ano passado. Na época, emplacou a extinção da primeira estatal do BB, a Bescval, incorporada à instituição em 2008, junto com a aquisição do Banco de Santa Catarina. Essa semana, o banco anunciou o desinvestimento da fatia que detinha na Kepler Weber, empresa de soluções para armazenagem agrícola.

Como o prazo curto, o mercado aguarda uma tração na venda de ativos ao longo de 2021. Neste semestre, o plano é vender a bandeira de cartões Elo e o BV, antigo banco Votorantim, na bolsa, e ainda selar uma parceria internacional com a sua gestora, a BB DTVM. Outra promessa é deslanchar a sociedade com o UBS na área de banco de investimento, mercado aquecido a despeito da pandemia.

Não contente com a venda em partes, a direção do banco (seguindo a política neoliberal do governo) foi além nos planos de ser mais eficiente, seguindo os pares privados. Nesse sentido, anunciou mais um plano de reestruturação que envolve fechar 112 agências, 242 postos de atendimento e sete escritórios; com corte de mais de 5 mil funcionários por meio de programas de demissão voluntária e extinguir cargos para reduzir salários dos funcionários.  

Notícias Relacionadas

Saúde, segurança, metas e violência contra as mulheres pautam reunião das Financeiras

Coletivo Nacional dos Financiários e Acrefi voltam à mesa de negociação pela Campanha Nacional 2024 Na tarde desta sexta-feira (19), o Coletivo Nacional dos Financiários da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) realizou mais uma rodada de negociações com a Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi). A pauta do […]

Leia mais

Quarta mesa de negociação do BB discute diversidade e igualdade de oportunidades

Para Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), Banco do Brasil deu sinais de avanços importantes na reunião Na manhã desta sexta-feira (19), em São Paulo, foi realizada a quarta mesa de negociação específica da Campanha Nacional 2024 para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) do Banco do Brasil. A pauta principal […]

Leia mais

CEE Caixa realiza nova rodada de negociações focada em diversidade e igualdade de oportunidades

Além de diversidade e igualdade, foram discutidos temas como FUNCEF, escala de férias, telefone celular e escola inclusiva A Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Caixa Econômica Federal conduziu nesta sexta-feira (19) mais uma mesa de negociação para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) dos empregados da instituição. O tema central da discussão […]

Leia mais

Sindicatos filiados