Sindicato dos Bancários de Campinas realiza panfletagem contra PL 4330

06.08.2013

O Sindicato dos Bancários de Campinas e Região realizou na manhã de terça-feira, 6 de agosto, Dia Nacional de Luta, panfletagem contra o Projeto de Lei que propõe regular a terceirização (PL 4330/2004), na Avenida José de Souza Campos, mais conhecida por Norte-Sul, em Campinas. No período das 8h às 10h, os dirigentes sindicais estiveram […]

O Sindicato dos Bancários de Campinas e Região realizou na manhã de terça-feira, 6 de agosto, Dia Nacional de Luta, panfletagem contra o Projeto de Lei que propõe regular a terceirização (PL 4330/2004), na Avenida José de Souza Campos, mais conhecida por Norte-Sul, em Campinas. No período das 8h às 10h, os dirigentes sindicais estiveram nas agências dos bancos Itaú, Safra, Bradesco, Santander, Caixa Federal e Banco do Brasil. A partir das 10h, os dirigentes fizeram panfletagem nos semáforos instalados próximos ao prédio da Dahruj, esquina com a Rua Nuporanga e Avenida Coronel Silva Teles, encerrada às 11h.

O Dia de Luta, convocado pelas centrais sindicais, teve como objetivo pressionar os parlamentares da Comissão de Constituição e de Justiça e Cidadania (CCJC) a votarem contra o substitutivo do deputado Artur Maia (PMDB-BA) ao PL 4330, de autoria do deputado Sandro Mabel (PMDB-GO), caso não sejam contempladas as propostas das centrais sindicais apresentadas na Comissão Quadripartite (governo federal, empresários, parlamentares e trabalhadores). A Comissão volta a se reunir no próximo dia 12, diante de impasse na reunião de ontem (05/08); os trabalhos da Comissão foram iniciados em 5 de julho último. O PL 4330 deve ser votado na CCJC na próxima semana; estava previsto para o dia 13.

Propostas dos trabalhadores

As centrais apresentaram cinco propostas na Comissão Quadripartite: igualdade de direitos; direito à informação prévia (sindicato e trabalhadores devem ser consultados antes de possíveis terceirizações em uma empresa); proibição nas atividades-fim; responsabilidade solidária entre as empresas contratante e contratada; e penalização das empresas infratoras.

Avaliação

Para o presidente do Sindicato dos Bancários de Campinas e Região, Jeferson Boava, se o substitutivo ao PL 4330 for aprovado como está, “autoriza a terceirização em qualquer etapa do processo produtivo seja do setor público (inclusive fere o princípio constitucional do concurso público), seja do setor privado, rural ou urbano, desde que a empresa seja unicamente considerada especializada. Sem as mudanças propostas pelas centrais sindicais, dentro de alguns anos o Brasil terá 30 milhões de trabalhadores terceirizados; hoje somam 12 milhões”. Quer dizer, no mesmo espaço de trabalho, onde realiza a mesma atividade, uma parte dos trabalhadores terá mais direitos que a outra. Estará criado assim, de pronto, num passe de ‘mágica’ dois tipos de trabalhador: o de primeira e o de segunda classe. Sem falar que os correspondentes bancários estarão isentos da exigência de especialização para a condição de prestação de serviços terceirizados.

4330: reforma precarizadora

Como apontou o seminário “A terceirização e seus impactos sobre o mundo do trabalho: dilemas, estratégias e perspectivas”, realizado pelo Fórum Nacional Permanente em Defesa dos Trabalhadores Ameaçados pela Terceirização, nos dias 12 e 13 de abril do ano passado na Universidade de Campinas (Unicamp), o PL 4330 estabelece a maior reforma trabalhista precarizadora do país.

Fonte: Jairo Gimenez – Sindicato dos Bancários de Campinas

Notícias Relacionadas

Saúde, segurança, metas e violência contra as mulheres pautam reunião das Financeiras

Coletivo Nacional dos Financiários e Acrefi voltam à mesa de negociação pela Campanha Nacional 2024 Na tarde desta sexta-feira (19), o Coletivo Nacional dos Financiários da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) realizou mais uma rodada de negociações com a Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi). A pauta do […]

Leia mais

Quarta mesa de negociação do BB discute diversidade e igualdade de oportunidades

Para Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), Banco do Brasil deu sinais de avanços importantes na reunião Na manhã desta sexta-feira (19), em São Paulo, foi realizada a quarta mesa de negociação específica da Campanha Nacional 2024 para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) do Banco do Brasil. A pauta principal […]

Leia mais

CEE Caixa realiza nova rodada de negociações focada em diversidade e igualdade de oportunidades

Além de diversidade e igualdade, foram discutidos temas como FUNCEF, escala de férias, telefone celular e escola inclusiva A Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Caixa Econômica Federal conduziu nesta sexta-feira (19) mais uma mesa de negociação para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) dos empregados da instituição. O tema central da discussão […]

Leia mais

Sindicatos filiados