Sindicato dos Bancários realiza Dia de mobilização rumo à greve geral, em Indaiatuba

31.03.2017

Contra as reformas da Previdência e trabalhista O Dia Nacional de Mobilização rumo à greve geral contra as reformas da Previdência Social e trabalhista, hoje (31), foi marcado na base do Sindicato dos Bancários de Campinas e Região com reuniões em 10 agências bancárias instaladas no Centro de Indaiatuba e distribuição de carta aberta à […]


Contra as reformas da Previdência e trabalhista

O Dia Nacional de Mobilização rumo à greve geral contra as reformas da Previdência Social e trabalhista, hoje (31), foi marcado na base do Sindicato dos Bancários de Campinas e Região com reuniões em 10 agências bancárias instaladas no Centro de Indaiatuba e distribuição de carta aberta à população, no período da manhã.

A exemplo do Dia Nacional de Luta contra as citadas reformas, realizado em Campinas em 15 de março último, os diretores do Sindicato distribuíram exemplares do livreto intitulado “Reforma da Previdência. A Demolição de Direitos Sociais” durante reuniões com os bancários nas agências do Itaú, Bradesco, Santander, Mercantil do Brasil, Caixa Federal e Banco do Brasil. Nas ruas do Centro de Indaiatuba, os diretores do Sindicato distribuíram carta aberta intitulada “Contra a demolição de direitos sociais. Não à reforma da Previdência, Não à reforma trabalhista, Não à terceirização”.

Além de se manifestar contra as reformas da Previdência e trabalhista, propostas pelo governo federal, a diretoria do Sindicato condena em carta aberta a decisão dos deputados federais no último dia 22, quando aprovaram o Projeto de Lei (PL) 4302/98, que permite a terceirização de todas as atividades das empresas privadas e de parte do setor público, incluindo a chamada atividade-fim. Apresentado há 19 anos e aprovado pelo Senado em 2002, o PL 4302/98 que regulamenta a precarização do trabalho já foi encaminhado ao presidente da República. Segundo a chamada grande imprensa, o Palácio do Planalto deve sancionar o PL 4308/98.
A diretoria do Sindicato encerra a citada carta aberta com a seguinte afirmação: “o momento (governo de transição) não é de reformas, principalmente daquelas que buscam apenas demolir direitos sociais”.

Fonte: Sindicato dos Bancários de Campinas e Região – Jairo Gimenez
Foto: Denny Cesare

Notícias Relacionadas

Caixa terá processo seletivo para a escolha dos diretores da FUNCEF

Inscrições já foram iniciadas e seguem até a próxima quinta-feira (9/2) Os cargos de diretor-presidente e diretor de Investimentos e Participações Societárias e Imobiliárias da Fundação dos Economiários Federais (FUNCEF) serão escolhidos por meio de processo seletivo. O anúncio foi feito em edital publicado pela Caixa. As inscrições tiveram início na última sexta-feira (3/2) e […]

Leia mais

Santander implementa teletrabalho em áreas administrativas

Modalidade é válida para áreas administrativas e contemplam eixo São Paulo e Rio de Janeiro O Santander anunciou que irá implementar o teletrabalho (home office). A modalidade é válida para bancários das áreas administrativas, lotados majoritariamente no eixo São Paulo e Rio de Janeiro, segundo as regras previstas na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria. As […]

Leia mais

Santander paga PLR e demais adicionais no dia 28 de fevereiro

Representantes da Comissão de Organização de Empregados (COE/Santander) foram informados nesta terça-feira (01), sobre a data de pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). O valor será creditado no dia 28 deste mês. Junto com a PLR bancárias e bancários do Santander receberão os percentuais do Programa Próprio de Resultados do Santander (PPRS), do […]

Leia mais

Sindicatos filiados