Sindicatos e Mercantil negociam PLR, bolsa de estudo e controle da jornada

10.05.2021

Por Sindicato dos Bancários de Campinas Após três rodadas virtuais de negociação, a Comissão de Organização dos Empregados (COE) e o Banco Mercantil do Brasil concluíram o acordo coletivo sobre Programa Próprio de PLR, Auxílio Educacional 2021 e Ponto Eletrônico, no dia 6 deste mês de maio. A seguir, os principais pontos. Programa Próprio (PP) […]

Por Sindicato dos Bancários de Campinas

Após três rodadas virtuais de negociação, a Comissão de Organização dos Empregados (COE) e o Banco Mercantil do Brasil concluíram o acordo coletivo sobre Programa Próprio de PLR, Auxílio Educacional 2021 e Ponto Eletrônico, no dia 6 deste mês de maio. A seguir, os principais pontos.

Programa Próprio (PP) de PLR: não desconto do PP do adicional de PLR previsto na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT); revisão anual do acordo em função da pandemia de Covid-19; aumento no limite dos múltiplos salariais dos escriturários de agências, passando de 1,7 salário para 2 salários, no caso de atingir as metas; redução de R$ 12.500 milhões da meta anual, que passou de R$ 250 milhões para R$ 237.500 milhões, com gatilho de 80% das metas. Ou seja, os funcionários passam a receber quando a meta atingir R$ 190 milhões.

Bolsa Educacional: Aumento no limite e valor. Antes eram concedidas 100 bolsas de R$ 250,00; a partir do novo acordo, 120 bolsas de R$ 280,00. Os funcionários contemplados terão direito na 12 parcelas, no ano.

Ponto eletrônico: controle alternativo da jornada. Cabe destacar que o acordo específico sobre o ponto eletrônico já está em vigor em Belo Horizonte.

Compromisso

O Mercantil do Brasil se comprometeu em aderir à cláusula 61ª da CCT, que prevê “mecanismos de prevenção de conflitos no ambiente de trabalho”. E mais: concordou em construir uma agenda em conjunto com os sindicatos para discutir a adesão às cláusulas da CCT (da 48ª a 55ª), que tratam da “prevenção à violência contra a mulher”.

Avaliação

Para a representante da Federação dos Bancários dos Estados de SP/MS, Maria Aparecida da Silva (Cida), que participou das rodadas de negociação, o acordo “contempla reivindicações dos bancários”. A diretora do Sindicato informa que o novo acordo será submetido à apreciação dos funcionários em assembleia virtual, a ser convocada.

Notícias Relacionadas

Financiários exigem fim de terceirizações e formalização do teletrabalho no setor

Movimento sindical também denunciou o aumento de contratações de correspondentes bancários, repassando os serviços para empresas que não cobrem os mesmos direitos reivindicados pela categoria Representantes dos trabalhadores financiários realizaram, nesta terça-feira (16), mais uma rodada da mesa de negociações com a Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi), desta vez, para […]

Leia mais

COE Santander reitera defesa dos direitos dos empregados durante negociação com o banco

A garantia do emprego foi um dos principais temas reivindicados A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander deu início às negociações do acordo específico com o banco, na tarde desta terça-feira (16). A defesa dos direitos dos trabalhadores e a garantia do empregos foram os principais temas debatidos. O movimento sindical cobrou o […]

Leia mais

Banco do Brasil se compromete a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024

A garantia foi dada pela direção do banco na terceira mesa de negociação da Campanha Nacional 2024, nesta sexta-feira (12), e tema será tratado durante período de renovação da CCT. O Banco do Brasil se comprometeu a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024 e a negociar a pauta durante o […]

Leia mais

Sindicatos filiados