Sindicatos realizam Dia de Luta em protesto ao Santander

30.11.2021

Práticas adotadas pelo banco como terceirização, redução de remuneração, quebra de direitos e interferência na representação sindical foram protestadas Nesta terça-feira (30), o movimento sindical realizou nas portas e imediações de agências e unidades administrativas do banco Santander o Dia de Luta em protesto pela prática de terceirizações promovidas pelo banco, que tem aberto empresas […]

Práticas adotadas pelo banco como terceirização, redução de remuneração, quebra de direitos e interferência na representação sindical foram protestadas

Nesta terça-feira (30), o movimento sindical realizou nas portas e imediações de agências e unidades administrativas do banco Santander o Dia de Luta em protesto pela prática de terceirizações promovidas pelo banco, que tem aberto empresas para realocar bancários dentro de seu próprio grupo econômico. Como prejuízos, a prática impacta na redução da  remuneração e na quebra dos direitos e da representação sindical do trabalhador.

A mobilização foi definida pela representação dos trabalhadores durante reunião da Comissão de Organização dos Empregados (COE) Santander. O protesto inclui paralisação, manifestação, reunião nos locais de trabalho e posicionamento nas redes sociais.

Nos últimos meses o banco demitiu inúmeros funcionários com a justificativa de reestruturação. Diante do contexto, o que se tem visto é a contratação de cargos terceirizados para realizar a função dos bancários, porém com valores e direitos reduzidos. Para o movimento sindical, independente do tipo de contratação os direitos do bancários devem ser preservados e a representação sindical da categoria, mantida.

De acordo com a representante da Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, Patrícia Bassanin, o ato é importante para levar a informação. “Mesmo que neste momento as contratações estejam ocorrendo nos departamentos é preciso colocar o bancário e a bancária ao par do que está acontecendo e juntos lutarmos para que os direitos do trabalhador não sejam engolidos por um modelo que só é vantajoso para o banco, reduz direitos conquistados há anos como jornada de trabalho, adicional noturno, PLR, vale alimentação, entre outros”, destaca.

Lucros

De acordo com análise do Banco Santander, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatísticas Socioeconômicas – DIEESE, nos nove primeiros meses deste ano, o banco apresentou lucros de R$ 12.467 milhões e crescimento de 29,4% com relação ao ano anterior quando o lucro somou R$ 9.684 milhões. A análise chama a atenção para manutenção do forte crescimento do lucro líquido gerencial do terceiro trimestre de 2021, com variação 29,4% em um ano.

Para os analistas, desde o terceiro trimestre de 2020, o lucro já estava acima dos patamares da pré-pandemia. Já no terceiro trimestre de 2021, o banco conquistou o maior lucro trimestral. Com resultado de R$ 4,4 bilhões e alta de 12,5% em relação ao ano anterior, o banco obteve a sua maior rentabilidade no país.

Notícias Relacionadas

COE Santander dialoga sobre Igualdade de Oportunidades com o banco

Movimento sindical aguarda data para debate sobre LGBTQIAP+ e combate ao assédio sexual  Representantes da Comissão de Organização dos Empregados do Santander (COE) se reuniram nesta quarta-feira (31) com o banco  para mais um diálogo sobre o tema Igualdade de Oportunidades. A pauta amplamente defendida pelo movimento sindical faz parte da Convenção Coletiva de Trabalho […]

Leia mais

Combate ao assédio e GDP são temas de reunião entre Sindicatos dos Bancários e representantes do BB

Dirigentes sindicais propõem suspensão do descomissionamento por avaliação     A Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), formada por dirigentes sindicais, se reuniu nesta terça-feira (30) com representantes do banco. A reunião ocorreu em formato virtual e tratou de temas como combate ao assédio e avaliação da Gestão de Desempenho Profissional (GDP). […]

Leia mais

TRF1 suspende liminar que afastou presidente da Previ

Desembargador atesta legalidade e capacidade técnica da Previc, entidade pública responsável por gerenciar as operadoras de previdência privada no país e que habilitou João Fukunaga a exercer o cargo O desembargador federal Rafael Paulo Soares Pinto, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), derrubou, no início da noite desta segunda-feira (29), a liminar que […]

Leia mais

Sindicatos filiados