Vandalismo em Brasília é repudiado pelo Movimento Sindical

13.12.2022

Sindicatos exigem apuração e responsabilização dos culpados Os atos de vandalismo realizados na noite de ontem (12), em Brasília, por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) foram repudiados pelo movimento sindical que enxerga como um atendado contra a democracia. De acordo com um balanço realizado por agentes do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, um […]

Sindicatos exigem apuração e responsabilização dos culpados

Os atos de vandalismo realizados na noite de ontem (12), em Brasília, por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) foram repudiados pelo movimento sindical que enxerga como um atendado contra a democracia.

Vandalismo em Brasília é visto como ataque à democracia
Imagem: uol – Ueslei Marcelino/Reuters
De acordo com um balanço realizado por agentes do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, um pequeno grupo de vândalos de apoiadores do atual presidente queimou oito carros e cinco ônibus, além de quebrar vidros da 5ª Delegacia de Polícia, na Asa Norte, e tentar invadir o prédio da Polícia Federal (PF).
Na data ocorreu a diplomação do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, (PSB) em cerimônia no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A diplomação, conforme discurso do ministro do  Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, atesta o resultado eleitoral e a “vitória plena” da democracia e do Estado de Direito.

“Vitória do respeito ao Estado de Direito, da fiel observância à Constituição. A diplomação da chapa é o reconhecimento da lisura do pleito, da legitimidade política conferida soberanamente. A Justiça Eleitoral se preparou para garantir transparência e lisura das eleições”, afirmou.

Durante a solenidade o presidente do TSE criticou a disseminação de fake news, o discurso de ódio e os ataques à democracia e disse que os responsáveis serão punidos, para que isso não volte a acontecer.

Os atos terroristas tiveram início logo depois da determinação do ministro do STF, a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), ter mandado prender José Acácio Serere Xavante, um dos líderes do grupo. De acordo com nota do Supremo Tribunal Federal (STF), a prisão ocorreu devido a prática dos crimes de ameaça, perseguição e abolição violenta do Estado Democrático de Direito – previstos no Código Penal.

Repudio

O Movimento Sindical repudia os atos contra a democracia e exige a apuração dos e a responsabilização dos culpados.

Feeb SP/MS com informações Contraf

Notícias Relacionadas

Banco do Brasil se compromete a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024

A garantia foi dada pela direção do banco na terceira mesa de negociação da Campanha Nacional 2024, nesta sexta-feira (12), e tema será tratado durante período de renovação da CCT. O Banco do Brasil se comprometeu a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024 e a negociar a pauta durante o […]

Leia mais

Financiários cobram igualdade salarial e de oportunidades para mulheres e negros no setor

Com base em levantamento do Dieese, trabalhadores e trabalhadoras mostraram distorções salariais de gênero e raça Representantes dos financiários, no movimento sindical, se reuniram, nesta sexta-feira (12), com a Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi), para cobrar igualdade de oportunidades no setor. O encontro faz parte das negociações da Campanha Nacional […]

Leia mais

Nota da Feeb SP/MS sobre a destituição de gerentes da Caixa Asset

A Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) manifesta sua profunda preocupação com a recente destituição de três gerentes da Caixa Asset, subsidiária da Caixa Econômica Federal responsável pela gestão de ativos. Esses gerentes foram removidos de seus cargos após recusarem-se a aprovar uma operação de […]

Leia mais

Sindicatos filiados