Vandalismo em Brasília é repudiado pelo Movimento Sindical

13.12.2022

Sindicatos exigem apuração e responsabilização dos culpados Os atos de vandalismo realizados na noite de ontem (12), em Brasília, por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) foram repudiados pelo movimento sindical que enxerga como um atendado contra a democracia. De acordo com um balanço realizado por agentes do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, um […]

Sindicatos exigem apuração e responsabilização dos culpados

Os atos de vandalismo realizados na noite de ontem (12), em Brasília, por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) foram repudiados pelo movimento sindical que enxerga como um atendado contra a democracia.

Vandalismo em Brasília é visto como ataque à democracia
Imagem: uol – Ueslei Marcelino/Reuters
De acordo com um balanço realizado por agentes do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, um pequeno grupo de vândalos de apoiadores do atual presidente queimou oito carros e cinco ônibus, além de quebrar vidros da 5ª Delegacia de Polícia, na Asa Norte, e tentar invadir o prédio da Polícia Federal (PF).
Na data ocorreu a diplomação do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, (PSB) em cerimônia no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A diplomação, conforme discurso do ministro do  Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, atesta o resultado eleitoral e a “vitória plena” da democracia e do Estado de Direito.

“Vitória do respeito ao Estado de Direito, da fiel observância à Constituição. A diplomação da chapa é o reconhecimento da lisura do pleito, da legitimidade política conferida soberanamente. A Justiça Eleitoral se preparou para garantir transparência e lisura das eleições”, afirmou.

Durante a solenidade o presidente do TSE criticou a disseminação de fake news, o discurso de ódio e os ataques à democracia e disse que os responsáveis serão punidos, para que isso não volte a acontecer.

Os atos terroristas tiveram início logo depois da determinação do ministro do STF, a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), ter mandado prender José Acácio Serere Xavante, um dos líderes do grupo. De acordo com nota do Supremo Tribunal Federal (STF), a prisão ocorreu devido a prática dos crimes de ameaça, perseguição e abolição violenta do Estado Democrático de Direito – previstos no Código Penal.

Repudio

O Movimento Sindical repudia os atos contra a democracia e exige a apuração dos e a responsabilização dos culpados.

Feeb SP/MS com informações Contraf

Notícias Relacionadas

Semana reforçou a conscientização sobre o combate às LER/Dort

A data chama atenção para duas doenças que têm relação direta com o trabalho e que atingem milhões de brasileiros Nesta semana, no dia 28 de fevereiro (última quarta-feira) foi o Dia Mundial de combate às Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (Dort). A data foi escolhida pela Organização Internacional […]

Leia mais

COE e Itaú discutem revisões nos programas de remuneração

Durante a reunião foram apresentadas modificações nos programas. O movimento sindical deve elaborar contraproposta em breve  A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú realizou nesta quinta-feira (28), em São Paulo, uma reunião com a direção do banco para debater questões relacionadas à remuneração dos funcionários. Durante o encontro, o banco apresentou alterações nos […]

Leia mais

Trabalhadores discutem futuro da Fundação Itaú-Unibanco

Em seminário promovido pela Contraf-CUT e COE Itaú trabalhadores debateram caminhos para aumentar representatividade na gestão do fundo de pensão Trabalhadoras e trabalhadores associados à Fundação Itaú-Unibanco se reuniram, nesta quinta-feira (29), em um seminário organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e pela Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú, […]

Leia mais

Sindicatos filiados