Custo de vida tem variações distintas segundo a renda

08.10.2020

  Em julho, a inflação medida no município de São Paulo teve aumento de 0,14%, com alta de 0,12 pontos percentuais (pp) em relação a junho (0,02%), de acordo com o ICV-DIEESE. Os dados do mês mostraram significativa diferença nas taxas, segundo o poder aquisitivo das famílias, sendo ligeiramente negativa para o estrato 1 (variação […]

 
Em julho, a inflação medida no município de São Paulo teve aumento de 0,14%, com alta de 0,12 pontos percentuais (pp) em relação a junho (0,02%), de acordo com o ICV-DIEESE. Os dados do mês mostraram significativa diferença nas taxas, segundo o poder aquisitivo das famílias, sendo ligeiramente negativa para o estrato 1 (variação de -0,01%), pequena para o estrato 2 (0,05%) e bem maior para o 3 (0,21%)*.
 
Os principais aumentos foram verificados nos grupos Habitação (0,85%) e Saúde (1,03%). Despesas Pessoais (0,54%) e Transporte (0,07%) registraram taxas mais baixas, enquanto ocorreram variações negativas para Alimentação (- 0,77%), Vestuário (- 0,62%) e Equipamento Doméstico (- 0,49%).
 
Inflação Acumulada – Nos últimos 12 meses, de agosto de 2009 a julho de 2010, o ICV apresentou alta de 5,21%. Ao se considerar os diferentes estratos, as taxas anuais são relativamente semelhantes: estrato 1, 5,28%; estrato 2, 5,17% e estrato 3, 5,23%. Entre janeiro e julho deste ano, a inflação acumulada é de 3,36%, sendo maior para os estratos iniciais: 3,72%, para o 1º; 3,53% para o 2º e menor para o 3º, cuja taxa foi de 3,20%.
 

Análise da inflação desde janeiro de 2008 – De janeiro de 2008 até julho deste ano, o ICV-DIEESE subiu 14,18%. No início deste ano, preços aumentaram significativamente em comparação com o final do ano passado e chegou-se a temer uma aceleração generalizada. Nos últimos meses porém, houve uma diminuição acentuada. Para verificar a trajetória da inflação e tentar prever a tendência para os próximos meses, os 540 itens que compõem o ICV foram agregados em dois grupos: Bens e Serviços. A análise constatou que enquanto os Bens subiram 10,38%, os Serviços aumentaram 17,95%, sendo os grandes responsáveis pela taxa do período. Do ponto de vista dos Bens, é possível que haja tendência de estabilidade, mas os Serviços ainda podem ter reajustes significativos, em especial para certos preços administrados. 
 
Leia aqui os dados do ICV-DIEESE de Julho icvjul10.pdf

Notícias Relacionadas

Saúde, segurança, metas e violência contra as mulheres pautam reunião das Financeiras

Coletivo Nacional dos Financiários e Acrefi voltam à mesa de negociação pela Campanha Nacional 2024 Na tarde desta sexta-feira (19), o Coletivo Nacional dos Financiários da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) realizou mais uma rodada de negociações com a Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi). A pauta do […]

Leia mais

Quarta mesa de negociação do BB discute diversidade e igualdade de oportunidades

Para Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), Banco do Brasil deu sinais de avanços importantes na reunião Na manhã desta sexta-feira (19), em São Paulo, foi realizada a quarta mesa de negociação específica da Campanha Nacional 2024 para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) do Banco do Brasil. A pauta principal […]

Leia mais

CEE Caixa realiza nova rodada de negociações focada em diversidade e igualdade de oportunidades

Além de diversidade e igualdade, foram discutidos temas como FUNCEF, escala de férias, telefone celular e escola inclusiva A Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Caixa Econômica Federal conduziu nesta sexta-feira (19) mais uma mesa de negociação para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) dos empregados da instituição. O tema central da discussão […]

Leia mais

Sindicatos filiados