Custo de vida tem variações distintas segundo a renda

08.10.2020

  Em julho, a inflação medida no município de São Paulo teve aumento de 0,14%, com alta de 0,12 pontos percentuais (pp) em relação a junho (0,02%), de acordo com o ICV-DIEESE. Os dados do mês mostraram significativa diferença nas taxas, segundo o poder aquisitivo das famílias, sendo ligeiramente negativa para o estrato 1 (variação […]

 
Em julho, a inflação medida no município de São Paulo teve aumento de 0,14%, com alta de 0,12 pontos percentuais (pp) em relação a junho (0,02%), de acordo com o ICV-DIEESE. Os dados do mês mostraram significativa diferença nas taxas, segundo o poder aquisitivo das famílias, sendo ligeiramente negativa para o estrato 1 (variação de -0,01%), pequena para o estrato 2 (0,05%) e bem maior para o 3 (0,21%)*.
 
Os principais aumentos foram verificados nos grupos Habitação (0,85%) e Saúde (1,03%). Despesas Pessoais (0,54%) e Transporte (0,07%) registraram taxas mais baixas, enquanto ocorreram variações negativas para Alimentação (- 0,77%), Vestuário (- 0,62%) e Equipamento Doméstico (- 0,49%).
 
Inflação Acumulada – Nos últimos 12 meses, de agosto de 2009 a julho de 2010, o ICV apresentou alta de 5,21%. Ao se considerar os diferentes estratos, as taxas anuais são relativamente semelhantes: estrato 1, 5,28%; estrato 2, 5,17% e estrato 3, 5,23%. Entre janeiro e julho deste ano, a inflação acumulada é de 3,36%, sendo maior para os estratos iniciais: 3,72%, para o 1º; 3,53% para o 2º e menor para o 3º, cuja taxa foi de 3,20%.
 

Análise da inflação desde janeiro de 2008 – De janeiro de 2008 até julho deste ano, o ICV-DIEESE subiu 14,18%. No início deste ano, preços aumentaram significativamente em comparação com o final do ano passado e chegou-se a temer uma aceleração generalizada. Nos últimos meses porém, houve uma diminuição acentuada. Para verificar a trajetória da inflação e tentar prever a tendência para os próximos meses, os 540 itens que compõem o ICV foram agregados em dois grupos: Bens e Serviços. A análise constatou que enquanto os Bens subiram 10,38%, os Serviços aumentaram 17,95%, sendo os grandes responsáveis pela taxa do período. Do ponto de vista dos Bens, é possível que haja tendência de estabilidade, mas os Serviços ainda podem ter reajustes significativos, em especial para certos preços administrados. 
 
Leia aqui os dados do ICV-DIEESE de Julho icvjul10.pdf

Notícias Relacionadas

Após repercussão das denúncias de assédio sexual, Pedro Guimarães pede demissão

Testemunhos das vítimas vieram a público na terça-feira (28) e assustam pela quantidade de casos e pelo grau de desrespeito e crueldade; Ministério Público investiga em sigilo O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, entregou seu pedido de demissão na tarde desta quarta-feira (29) ao presidente da república, Jair Bolsonaro. A decisão foi tomada […]

Leia mais

NOTA OFICIAL

NOTA OFICIAL Pelo imediato afastamento de Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, e o acolhimento e preservação das vítimas Nós, bancárias de todo o Brasil, manifestamos nossa indignação pelos atos de assédio sexual praticados por Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, que ganharam repercussão na noite de desta terça-feira, 28/06/2022, ao serem divulgados […]

Leia mais

Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul repudia ações de Pedro Guimarães, acusado de assédio sexual

Além de apuração das denúncias, representação dos empregados pede afastamento do presidente da Caixa Após se tornar pública a acusação de assédio sexual feita por diferentes empregadas da Caixa Econômica Federal ao presidente Pedro Duarte Guimarães, a Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, se solidariza com as vítimas e manifesta […]

Leia mais

Sindicatos filiados