Inserção da mulher no mercado de trabalho – Veja da Pesquisa de Emprego e Desemprego, do DIEESE

08.03.2017

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – DIEESE, juntamente com a Fundação Seade apresentou na última terça-feira (07), a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), edição especial do Dia Internacional da Mulher, que apresenta dados sobre sua inserção no mercado de trabalho. O estudo apresenta os resultados obtidos nas seguintes Regiões Metropolitanas: Fortaleza, […]

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – DIEESE, juntamente com a Fundação Seade apresentou na última terça-feira (07), a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), edição especial do Dia Internacional da Mulher, que apresenta dados sobre sua inserção no mercado de trabalho. O estudo apresenta os resultados obtidos nas seguintes Regiões Metropolitanas: Fortaleza, Porto Alegre, Salvador e São Paulo, região do ABC e Distrito Federal.

Confira abaixo, resumo sobre a inserção da mulher no mercado de trabalho

– PED-DF

A proporção de mulheres com 14 anos ou mais inseridas no mercado de trabalho, na situação de ocupadas ou de desempregadas aumentou de 58,2% para 59,1%, entre 2015 e 2016.

– PED-RMF

Nos quatro últimos anos, a População Economicamente Ativa (PEA) feminina da Região Metropolitana de Fortaleza praticamente não variou. Em 2016, a PEA feminina correspondeu a 45,3% da força de trabalho efetiva.

– PED-RMPA

A taxa de desemprego total das mulheres aumentou pelo segundo ano consecutivo, passando de 9,1% em 2015 para 11,2% da PEA em 2016.

– PED-RMS

Em 2016, a taxa de desemprego feminina cresceu intensamente de 20,5% para 26,0%, assim como a masculina que passou de 17,0% para 22,4%. Com esses resultados, a distância existente entre as taxas de desemprego de homens e de mulheres, apesar de ainda persistir, diminuiu.

– PED-RMSP

A taxa de participação feminina (proporção de mulheres com dez anos ou mais de idade inseridas no mercado de trabalho como ocupadas ou desempregadas) permaneceu praticamente estável entre 2015 e 2016, ao passar de 55,4% para 55,3%.

– PED-ABC

A presença feminina no mercado de trabalho na região do ABC aumentou em 2016. A taxa de participação (proporção de mulheres com dez anos de idade ou mais inseridas no mercado de trabalho, na situação de ocupadas ou de desempregadas) passou de 53,2% para 54,2%, entre 2015 e 2016.

Fonte: DIEESE

Notícias Relacionadas

Financiários exigem fim de terceirizações e formalização do teletrabalho no setor

Movimento sindical também denunciou o aumento de contratações de correspondentes bancários, repassando os serviços para empresas que não cobrem os mesmos direitos reivindicados pela categoria Representantes dos trabalhadores financiários realizaram, nesta terça-feira (16), mais uma rodada da mesa de negociações com a Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi), desta vez, para […]

Leia mais

COE Santander reitera defesa dos direitos dos empregados durante negociação com o banco

A garantia do emprego foi um dos principais temas reivindicados A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander deu início às negociações do acordo específico com o banco, na tarde desta terça-feira (16). A defesa dos direitos dos trabalhadores e a garantia do empregos foram os principais temas debatidos. O movimento sindical cobrou o […]

Leia mais

Banco do Brasil se compromete a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024

A garantia foi dada pela direção do banco na terceira mesa de negociação da Campanha Nacional 2024, nesta sexta-feira (12), e tema será tratado durante período de renovação da CCT. O Banco do Brasil se comprometeu a não mexer na gratificação dos caixas durante a Campanha Nacional 2024 e a negociar a pauta durante o […]

Leia mais

Sindicatos filiados