4º Congresso aprova ação sindical para próximo triênio

13.08.2012

Os 118 delegados do 4º Congresso dos Bancários, Financiários e Cooperavitários de Campinas e Região aprovaram por unanimidade, em plenária final na tarde deste sábado, dia 11, a tese apresentada pela diretoria, que estabelece a ação do Sindicato para o próximo triênio (2013-2016). Aberto ontem à noite (dia 10) no Recanto Campestre, em Vinhedo, o […]

Os 118 delegados do 4º Congresso dos Bancários, Financiários e Cooperavitários de Campinas e Região aprovaram por unanimidade, em plenária final na tarde deste sábado, dia 11, a tese apresentada pela diretoria, que estabelece a ação do Sindicato para o próximo triênio (2013-2016). Aberto ontem à noite (dia 10) no Recanto Campestre, em Vinhedo, o 4º Congresso retomou os trabalhos na manhã deste sábado com dois painéis: “Crise econômica mundial: tendências e possibilidades”, com o professor Wilson Cano e “Os impactos da crise econômica mundial no mundo do trabalho”, com o professor Waldir Quadros; ambos do Instituto de Economia da Unicamp. Para Wilson Cano, as perspectivas são sombrias para os próximos três anos. Waldir Quadros ressaltou que a situação exige ações imediatas. Segundo ele, o governo federal deveria ousar, aumentar o gasto público, investir em infraestrutura, criar as condições para colocar o país nos trilhos do crescimento econômico.

Campanha Nacional

Antes da plenária final, a Campanha Nacional foi amplamente debatida. Após apresentação da campanha de mídia que, neste ano, tem como mote “Chega de truques, banqueiro!”, os diretores do Sindicato traçaram um quadro do processo de negociação com a Fenaban, já iniciado (mesa única) e das mesas específicas dos bancos públicos (BB e Caixa Federal).

Principais resoluções do 4º Congresso

Entre as resoluções gerais do 4º Congresso, aprovadas pelos 118 delegados (68 homens e 50 mulheres) cabe destacar, a luta pela regulamentação do Artigo 192 da Constituição (Sistema Financeiro Nacional); Conferência Regional em preparação à Conferência Nacional sobre o SFN; mobilização contra as demissões imotivadas (Convenção 158 da OIT); fim da terceirização; e luta permanente pela valorização do salário mínimo. Quanto às resoluções específicas da categoria e ação do Sindicato, vale ressaltar, combate ao assédio moral e metas abusivas; contratação total da remuneração (fixa e variável); continuidade da implantação do Centro de Aperfeiçoamento Profissional e Sindical, que conta atualmente com uma sala de aula na sede do Sindicato; mobilização por mais segurança; e manutenção da luta pela valorização da saúde do trabalhador.

Para o presidente Jeferson Boava, o Sindicato não apenas cumpriu seu papel estatutário ao realizar o 4º Congresso, mas assumiu compromissos e responsabilidades para o próximo triênio. “Com ampla participação de todos os segmentos da categoria, democraticamente o 4º Congresso definiu os rumos, a atuação do Sindicato. Agora a tarefa é colocar em prática, concretizar as resoluções. O que exige unidade de ação”.

Fonte: Sindicato dos Bancários de Campinas 

Notícias Relacionadas

Conferência Interestadual aprova eixos para Conferência Nacional de 2024

Sindicatos dos Bancários debateram propostas e aprovaram pautas em defesa do trabalhador. Documento será apresentado em Conferência Nacional para discussão na Campanha Salarial de 2024 Delegações de 21 regionais dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul se reuniram nesta quinta e sexta-feira, 11 e 12 de abril, para debater propostas que serão […]

Leia mais

Abertura da Conferência Interestadual da Feeb SP/MS conta com delegações de 21 regionais

  Primeiro dia de evento amplia visão sobre o futuro do Sistema Financeiro, Cenário Econômico Nacional e Avanço Tecnológico  A Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) abriu nesta quinta-feira (11) a Conferência Interestadual dos Bancários de 2024. O tema central do evento deste ano é “Categoria […]

Leia mais

Proposta da Caixa para PcD é frustrante

Contudo, houve definição sobre pagamento dos deltas da promoção por mérito A proposta da Caixa Econômica Federal sobre redução de jornada e priorização de empregadas e empregados PcD, ou que tenham filhos de até seis anos com deficiência, frustrou a representação dos trabalhadores. “Na proposta do banco, somente há possibilidade de redução da jornada com […]

Leia mais

Sindicatos filiados