Audiência sobre reestruturação do BB tem 1.313 funcionários realocados e linha de crédito para atender descomissionados

02.03.2017

Próxima audiência com o Ministério Público (MPT) está marcada para o dia 02 de maio A Comissão de Empresa do Banco do Brasil (CEBB) participou na tarde desta quinta-feira (02), da terceira audiência pública na Procuradoria Geral do Trabalho, em Brasília, para tratar da reestruturação em curso no banco. De acordo com dados apresentados pelo […]

Próxima audiência com o Ministério Público (MPT) está marcada para o dia 02 de maio

A Comissão de Empresa do Banco do Brasil (CEBB) participou na tarde desta quinta-feira (02), da terceira audiência pública na Procuradoria Geral do Trabalho, em Brasília, para tratar da reestruturação em curso no banco.

De acordo com dados apresentados pelo BB, em fevereiro deste ano o número de descomissionados era de 4.099 funcionários, já na audiência realizada hoje, esse número passou para 2.786, já que do número anterior, 1.313 foram realocados.

A perspectiva dos representantes dos trabalhadores, conforme Maria do Carmo Peggau, representante da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB-SP/MS) na CEBB, é que a Verba de Caráter Pessoal (VCP) – paga a funcionários que perderam cargos ou devido à extinção de suas agências e que será paga aos caixas durante 4 meses, conquista da rodada de negociação anterior – seja prorrogada até a realocação completa dos funcionários para que não haja perdas salariais, porém, ficou acordado com o banco que na próxima audiência, marcada para o dia 02 de maio, o contingente de trabalhadores descomissionados será reavaliado.

Adiantamento de salário

Conforme mencionado na rodada de negociação anterior, o banco criou uma linha de crédito para atender os funcionários descomissionados, que terão acesso ao “adiantamento salarial por eventos extraordinário”, o que permitirá o recebimento de cinco salários para serem pagos em 25 vezes meses, sem a cobrança de juros e do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

“Tem sido muito importante essa intermediação do Ministério Público do Trabalho (MPT). Antes dela o banco não nos dava respostas, diferentemente do que tem ocorrido agora e a gente reconhece que graças a este trabalho estamos tendo certos avanços. Por exemplo, o banco não apresentou dados solicitados na reunião passada e o MPT deu a ele um prazo para enviá-los ainda hoje”, avaliou Maria do Carmo.

 

Notícias Relacionadas

Caixa terá processo seletivo para a escolha dos diretores da FUNCEF

Inscrições já foram iniciadas e seguem até a próxima quinta-feira (9/2) Os cargos de diretor-presidente e diretor de Investimentos e Participações Societárias e Imobiliárias da Fundação dos Economiários Federais (FUNCEF) serão escolhidos por meio de processo seletivo. O anúncio foi feito em edital publicado pela Caixa. As inscrições tiveram início na última sexta-feira (3/2) e […]

Leia mais

Santander implementa teletrabalho em áreas administrativas

Modalidade é válida para áreas administrativas e contemplam eixo São Paulo e Rio de Janeiro O Santander anunciou que irá implementar o teletrabalho (home office). A modalidade é válida para bancários das áreas administrativas, lotados majoritariamente no eixo São Paulo e Rio de Janeiro, segundo as regras previstas na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria. As […]

Leia mais

Santander paga PLR e demais adicionais no dia 28 de fevereiro

Representantes da Comissão de Organização de Empregados (COE/Santander) foram informados nesta terça-feira (01), sobre a data de pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). O valor será creditado no dia 28 deste mês. Junto com a PLR bancárias e bancários do Santander receberão os percentuais do Programa Próprio de Resultados do Santander (PPRS), do […]

Leia mais

Sindicatos filiados