Bancários assinam acordos com os bancos

02.09.2022

Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria e Acordos Coletivos de Trabalho (ACTs) do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal foram assinados nesta sexta (2), em São Paulo Após dois meses e meio de negociações entre o Comando Nacional e a Federação Nacional dos Bancos, bancários assinaram nesta sexta-feira (2), a nova Convenção […]

Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria e Acordos Coletivos de Trabalho (ACTs) do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal foram assinados nesta sexta (2), em São Paulo

Após dois meses e meio de negociações entre o Comando Nacional e a Federação Nacional dos Bancos, bancários assinaram nesta sexta-feira (2), a nova Convenção Coletiva de Trabalho da categoria bancária e os Acordos Coletivos de Trabalho (ACTs) dos funcionários do Banco do Brasil e dos empregados da Caixa Econômica Federal.

A nova CCT foi aprovada na noite de quinta-feira (1), em assembleias realizadas por sindicatos da categoria de todo o país. Os acordos terão vigência até 31 de agosto de 2024. Para 2022 traz reajuste de 8% nos salários, aumento de 10% nos vales alimentação (VA) e refeição (VR), além de um adicional de R$ 1.000,00 em vale alimentação, a ser creditado até outubro de 2022. A proposta também prevê reajuste de 13% para o teto da parcela adicional da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) neste ano e, para 2023, aumento real de 0,5% (INPC + 0,5%) para salários, PLR, VA/VR e demais cláusulas econômicas. (leia mais sobre o acordo).

A representação e a unidade da categoria foi ressaltada durante a assinatura. “Poucas mesas têm uma representação e unidade tão grande quanto essa, que nos permite debater e avançar em reivindicações que atendem os anseios da categoria”, destacou a coordenadora do Comando Nacional dos Bancários, Juvandia Moreira.

Entre os destaques da nova Convenção estão avanços nas cláusulas sobre teletrabalho, assédio sexual e assédio moral.  O resultado das negociações trouxe, também, reajustes dos vales alimentação e refeição e da PLR.

“Cada acordo que assinamos é uma conquista importante para os bancários. Vale destacar que este é um acordo nacional, que vale para os bancários do Brasil todo. Mantivemos os nossos direitos, ampliamos questões importantes como teletrabalho e cláusulas relacionadas ao assédio, e trouxemos preocupações que ano a ano incorporamos a partir das percepções do dia a dia e da convivência com os bancários. Criamos uma movimentação nacional e juntos obtivemos um bom resultado”, destaca o presidente da Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, David Zaia.

Acordos coletivos

Os novos Acordos Coletivos de Trabalho (ACTs) dos funcionários do Banco do Brasil, do Banco do Nordeste do Brasil e dos empregados da Caixa Econômica Federal dos empregados da Caixa também foram aprovados na quinta-feira (1), em assembleias realizadas em todo país.

Caixa

O ACT dos empregados da Caixa prevê a manutenção de todos os direitos e traz avanços importantes, como o acordo de teletrabalho e a criação do grupo para discutir as condições de trabalho.

“Materializamos hoje todo um processo negociação. Saudamos a todos os bancários e as pessoas que acreditaram nas nossas reivindicações”, disse Carlos Augusto Pipoca, representante da Feeb SP/MS na CEE Caixa.

Banco do Brasil

Além de manter direitos, o novo ACT dos funcionários do Banco do Brasil também obteve avanços importantes para os trabalhadores, o principal deles é a revisão da tabela PIP, da Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ), que impactará em mais recursos à aposentadoria dos trabalhadores do BB.

“O ACT é um contrato de trabalho que rege toda as nossas condições de trabalho, a remuneração, uma série de benefícios que conquistamos ao longo de muitos anos. Essa foi uma negociação dura, enfrentamos a resistência do banco e avançamos em importantes pontos como a tabela PIP, que vai poder melhorar a contribuição e garantir uma aposentadoria melhor. Estamos contentes com o resultado”, disse Elisa Ferreira, representante da Feeb SP/MS no CEBB.

Notícias Relacionadas

Trabalhadores do Itaú entregam pauta específica de reivindicações no dia 25

Documento é resultado do encontro nacional, realizado em São Paulo, no dia 6 de junho A Comissão de Organização dos Empregados (COE) vai entregar a minuta específica de reivindicações ao Itaú na próxima terça-feira (25). O documento servirá de base para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico do banco. As reivindicações foram […]

Leia mais

Intransigência da Caixa encerra negociações sobre redução de jornada para pais/mães e responsáveis por PcD e neurodivergentes (TEA)

Banco retira da proposta a concessão para empregados PcD, impõe uma série de travas para permitir a redução da jornada para pais/mães/responsáveis de PcD e encerra mesa de negociações após receber questionamentos sobre pontos sensíveis da proposta A reunião que negociaria a redução de jornada para empregadas e empregados da Caixa Econômica Federal com deficiência […]

Leia mais

Caixa afirma que contencioso é insignificante, mas dados disponíveis demonstram o oposto

Fonte: APCEF/SP com informações da Fenae Em uma live realizada nesta terça-feira (18), a Funcef (Fundação dos Economiários Federais) e a Caixa anunciaram que estão abordando o contencioso trabalhista. Segundo Leonardo Groba, diretor jurídico da Caixa, o contencioso atual estaria estimado em cerca de R$ 500 milhões, “não tem grandes proporções, mas a Caixa possui […]

Leia mais

Sindicatos filiados