Bancários de Campinas protestam na rua contra PL da terceirização

04.07.2013

Mais de 100 bancários foram às ruas hoje, dia 4 de julho, em Campinas, para protestar contra a terceirização, contra a aprovação do substitutivo ao Projeto de Lei (PL) 4330, que estabelece a maior reforma trabalhista precarizadora do país, em ato realizado pelo Sindicato dos Bancários de Campinas e Região no Largo da Catedral no […]


Mais de 100 bancários foram às ruas hoje, dia 4 de julho, em Campinas, para protestar contra a terceirização, contra a aprovação do substitutivo ao Projeto de Lei (PL) 4330, que estabelece a maior reforma trabalhista precarizadora do país, em ato realizado pelo Sindicato dos Bancários de Campinas e Região no Largo da Catedral no período das 9h às 9h30. Inclusive o ato contou com representantes da subsede da CUT Campinas e da central Força Sindical. “A manifestação de hoje foi preparatória ao Dia Nacional de Luta, a ser realizado em 11 de julho. Conclamo agora os bancários a participarem da assembleia popular que será realizada neste sábado, dia 6, no mesmo Largo da Catedral. Neste novo ato em praça pública será debatida e definida a mobilização no Dia Nacional de Luta”, destaca o presidente do Sindicato dos Bancários, Jeferson Boava.

Convocado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, a mobilização tem como objetivo provocar o arquivamento do projeto de lei. No dia 11 de junho último, pressionada pelas centrais sindicais, a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) adiou por 30 dias a votação do substitutivo, que iria ocorrer naquele dia. Ontem (03/07), em Brasília, foi dado mais um passo contra esse golpe contra os trabalhadores, em reunião quadripartite. Centrais sindicais, parlamentares, empresários e governo federal, depois de mais de três horas de negociação, decidiram criar um grupo de trabalho para elaborar alterações no substitutivo ao PL 4330. O grupo se reunirá amanhã, dia 5, e nos dias 8 e 9. Parlamentares e empresários fizeram questão de afirmar que, caso não haja consenso, o substitutivo será votado no dia 10. Aliás, a aliança entre parlamentares e empresários ficou evidente na reunião de ontem. Segundo eles, o projeto de lei garante segurança jurídica para todos, incluindo os trabalhadores. As centrais sindicais rebateram tal afirmação. Na verdade, do jeito que está, o substitutivo ao PL 4330 traz insegurança jurídica para todas as partes envolvidas e não atende os interesses da classe trabalhadora.

O citado substitutivo, de autoria do deputado Artur Maia (PMDB-BA) ao Projeto de Lei (PL) nº 4330 (de autoria do deputado Sandro Mabel, PMDB-GO), sob o argumento de regular a questão, amplia a precarização ao permitir o trabalho terceirizado até mesmo nas chamadas atividades-fim. Em resumo, autoriza a terceirização em qualquer etapa do processo produtivo seja do setor público (inclusive fere o princípio constitucional do concurso público), seja do setor privado, rural ou urbano, desde que a empresa seja unicamente considerada especializada. E os banqueiros, diga-se de passagem, também serão agraciados. Os abomináveis correspondentes bancários estarão isentos da exigência de especialização para a condição de prestação de serviços terceirizados.

Fonte: Sindicato dos Bancários de Campinas

Notícias Relacionadas

Após repercussão das denúncias de assédio sexual, Pedro Guimarães pede demissão

Testemunhos das vítimas vieram a público na terça-feira (28) e assustam pela quantidade de casos e pelo grau de desrespeito e crueldade; Ministério Público investiga em sigilo O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, entregou seu pedido de demissão na tarde desta quarta-feira (29) ao presidente da república, Jair Bolsonaro. A decisão foi tomada […]

Leia mais

NOTA OFICIAL

NOTA OFICIAL Pelo imediato afastamento de Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, e o acolhimento e preservação das vítimas Nós, bancárias de todo o Brasil, manifestamos nossa indignação pelos atos de assédio sexual praticados por Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, que ganharam repercussão na noite de desta terça-feira, 28/06/2022, ao serem divulgados […]

Leia mais

Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul repudia ações de Pedro Guimarães, acusado de assédio sexual

Além de apuração das denúncias, representação dos empregados pede afastamento do presidente da Caixa Após se tornar pública a acusação de assédio sexual feita por diferentes empregadas da Caixa Econômica Federal ao presidente Pedro Duarte Guimarães, a Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, se solidariza com as vítimas e manifesta […]

Leia mais

Sindicatos filiados