Bancários de Marília protestam contra demissões no HSBC

23.04.2014

Sindicato dos Bancários de Marília e Região realizou manifestação em frente à agência na avenida Sampaio Vidal. Bancários cruzaram os braços e não atenderam ao público O excesso de demissões sem justa causa do HSBC motivou protesto dos trabalhadores bancários nesta quarta-feira, dia 23 de abril. Em Marília, lideranças do Sindicato dos Bancários realizaram manifestação […]

Sindicato dos Bancários de Marília e Região realizou manifestação em frente à agência na avenida Sampaio Vidal. Bancários cruzaram os braços e não atenderam ao público

O excesso de demissões sem justa causa do HSBC motivou protesto dos trabalhadores bancários nesta quarta-feira, dia 23 de abril. Em Marília, lideranças do Sindicato dos Bancários realizaram manifestação em frente à agência central do banco. Durante todo o dia os trabalhadores cruzaram os braços e o atendimento ao público foi suspenso. “Apenas funcionou o autoatendimento. Proporcionalmente, o HSBC, conforme levantamento do setor sindical, é o banco que mais demitiu neste ano. O pior é que a instituição vem lucrando, garantindo a lucratividade para os acionistas do banco, mas ao invés de melhorar a remuneração e abrir mais vagas de trabalho, o que observamos é justamente o contrário: demissões”, salientou o presidente do Sindicato dos Bancários de Marília e Região, Geofredo Borges da Rocha. A manifestação ocorreu em todo o Brasil, uma vez que o dia 23 de abril foi o marco contra os fechamentos de postos de trabalho no banco. Além de demissões, os sindicalistas protestaram contra o fechamento de agências, falta de profissionais nas agências, aumento da pressão e do assédio moral para o cumprimento de metas abusivas, além de outras questões que prejudicam o trabalho dos bancários do HSBC.

De acordo com o Sindicato dos Bancários de Marília, nas últimas semanas ao menos três demissões ocorreram em Marília e uma na cidade de Garça, totalizando quatro desligamentos na região. “Não ocorreram reposições, ou seja, postos de trabalho estão sendo fechados sem novas contratações. Desta forma, quem fica na agência acaba sendo sobrecarregado com excesso de trabalho. Isto não pode ficar assim”. O HSBC de Marília permaneceu fechado ao público das 11h às 16 horas. As lideranças sindicais distribuíram carta-aberta denunciando toda a situação do banco e explicando os motivos do protesto desta quarta-feira.
 
Ramon Barbosa Franco – Sindicato dos Bancários de Marília 

Notícias Relacionadas

Após repercussão das denúncias de assédio sexual, Pedro Guimarães pede demissão

Testemunhos das vítimas vieram a público na terça-feira (28) e assustam pela quantidade de casos e pelo grau de desrespeito e crueldade; Ministério Público investiga em sigilo O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, entregou seu pedido de demissão na tarde desta quarta-feira (29) ao presidente da república, Jair Bolsonaro. A decisão foi tomada […]

Leia mais

NOTA OFICIAL

NOTA OFICIAL Pelo imediato afastamento de Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, e o acolhimento e preservação das vítimas Nós, bancárias de todo o Brasil, manifestamos nossa indignação pelos atos de assédio sexual praticados por Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, que ganharam repercussão na noite de desta terça-feira, 28/06/2022, ao serem divulgados […]

Leia mais

Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul repudia ações de Pedro Guimarães, acusado de assédio sexual

Além de apuração das denúncias, representação dos empregados pede afastamento do presidente da Caixa Após se tornar pública a acusação de assédio sexual feita por diferentes empregadas da Caixa Econômica Federal ao presidente Pedro Duarte Guimarães, a Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, se solidariza com as vítimas e manifesta […]

Leia mais

Sindicatos filiados