Bancários de Marília protestam contra PL que amplia terceirização

30.08.2013

Lideranças bancárias promoveram na manhã desta sexta-feira, dia 30, manifestação na região central de Marília contra o projeto de Lei 4330. A matéria, que tramita pelo Congresso Nacional, amplia a terceirização e prejudica as relações de trabalho, diminuindo direitos dos trabalhadores. “Nosso ato também foi pelo fim do fator previdenciário e pela instituição da jornada […]

Lideranças bancárias promoveram na manhã desta sexta-feira, dia 30, manifestação na região central de Marília contra o projeto de Lei 4330. A matéria, que tramita pelo Congresso Nacional, amplia a terceirização e prejudica as relações de trabalho, diminuindo direitos dos trabalhadores. “Nosso ato também foi pelo fim do fator previdenciário e pela instituição da jornada de 40 horas semanais sem redução salarial”, informou o presidente do Sindicato dos Bancários de Marília e Região, Edilson Julian. Os trabalhadores bancários estão em plena campanha salarial e no próximo dia 5 de setembro haverá nova rodada de negociação.

> Fenaban apresenta proposta global no dia 5 de setembro

Além de Marília, bancários organizaram protesto na subsede de Ourinhos. Em caso de aprovação, o projeto de Lei 4330, que é de autoria do deputado Sandro Mabel, permitirá a perda de direitos adquiridos, reduzirá salários e ainda motivará demissões em massa. “Por isso, o Sindicato dos Bancários de Marília e Região e todo o movimento sindical vêm lutando para a extinção do PL 4330, que terceiriza as relações de trabalho. É inadmissível que, após tantos avanços conquistados pela classe trabalhadora nas áreas sociais e econômicas, um projeto de lei tente tirar direitos fundamentais dos empregados”, analisou o presidente do Sindicato dos Bancários de Marília.

Se a lei for constituída, as empresas poderão contratar outras empresas para realizar atividades-fim. “Ou seja, além das terceirizações de limpeza, vigilância e call-center, as empresas poderão contratar outras empresas para exercerem suas funções principais sem que isso incida em contratos trabalhistas. Bancários serão substituídos por empresas e sofreremos com uma das maiores ondas de demissões já ocorridas”, disse Edilson Julian.

Panfletos distribuídos na manhã desta sexta-feira apresentaram a pauta trabalhista. Junto com a extinção do PL 4330 e o fim do fator previdenciário, os bancários protestaram por um reajuste digno aos aposentados, mais investimentos em saúde, segurança e também na educação e igualdade de oportunidades entre homens e mulheres.
 
Ramon Franco – Seeb Marília 

Notícias Relacionadas

Banco do Brasil aprova atualização da Tabela PIP para beneficiar trabalhadores do Previ Futuro

Mudança na Pontuação Individual do Participante permite aumento na contribuição adicional e soma mais recursos para a aposentadoria, atendendo a antiga reivindicação dos funcionários O Banco do Brasil aprovou as mudanças na Tabela PIP (Pontuação Individual do Participante), uma reivindicação antiga dos trabalhadores, que permitirá aumentar a contribuição adicional para a aposentadoria. O anúncio foi […]

Leia mais

Eleições da Funcef: votação segue até sexta-feira (19)

Participantes da ativa e assistidos dos planos de previdência podem votar até sexta-feira (19), mas a orientação é não deixar para a última hora Teve início nesta terça-feira (16), a votação para as Eleições Funcef. Participantes dos planos de previdência da Funcef podem votar para definir quem vai ocupar a diretoria de Administração e Controladoria, […]

Leia mais

Feeb SP/MS dá posse para nova Diretoria

                Diretoria eleita assume quadriênio 2024/2028 A Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) empossou a nova diretoria da entidade, eleita durante o VIII Congresso Interestadual, realizado em março, em São Paulo. A posse foi oficializada no dia 08 […]

Leia mais

Sindicatos filiados