Bancários de Piracicaba lançam campanha salarial: “Chega de truques, banqueiro!”

18.08.2012

O Sindicato dos Bancários de Piracicaba e Região lançou oficialmente na manhã desta sexta-feira (17) a Campanha Nacional 2012, que tem como tema: Chega de Truques, Banqueiro! Durante o lançamento, dirigentes sindicais e convidados assistiram a apresentação do campeão latino americano de ilusionismo Dimy, que também pode ser visto pela internet, em tempo real, pelo […]

O Sindicato dos Bancários de Piracicaba e Região lançou oficialmente na manhã desta sexta-feira (17) a Campanha Nacional 2012, que tem como tema: Chega de Truques, Banqueiro! Durante o lançamento, dirigentes sindicais e convidados assistiram a apresentação do campeão latino americano de ilusionismo Dimy, que também pode ser visto pela internet, em tempo real, pelo site do sindicato.

De acordo com o presidente do Sindicato José Jaime Perim a vinda do ilusionista para o lançamento da campanha salarial unificada pretende mostrar que os truques do ilusionista divertem e elevam a autoestima das pessoas, enquanto que os “truques” dos banqueiros enganam clientes e acabam com a saúde dos bancários.

“Aumentar demais os provisionamentos para diminuir os lucros, cobrar os juros mais altos do mundo e aumentar tarifas, demitir trabalhadores e tornar o tempo de espera e as filas nas agências cada vez maiores são alguns dos muitos exemplos que saem das cartolas dos banqueiros”, ressatou o presidente.

De acordo com ele, os bancos estão entre os setores que mais lucram no Brasil. "Há décadas só fazem crescer e engordar seus resultados. Para dar uma ideia, no ano 2000 as maiores instituições financeiras do país lucraram juntas R$ 4,6 bi. Somente no ano passado esse resultado chegou a R$ 53,4 bi. E de valor líquido, retiradas todas as despesas”, informou.

Além disso os bancos tem demitido de maneira exacerbada, somente Bradesco, Itaú e Santander – os três maiores bancos privados do país – eliminaram 4.086 postos de trabalho nos últimos três meses. Só o Itaú acabou com 3.777 empregos no primeiro trimestre e mais de 9 mil em um ano.

E a cada demissão a pressão para os que ficam aumenta. São metas abusivas, assédio moral e inúmeros problemas que o bancário tem sofrido. Por esta razão, a categoria exige dos bancários: reajuste salarial de 10,25%, PLR de três salários mais R$ 4.961,25, piso salarial do Dieese de R$ 4.416,38, vales alimentação, refeição e auxílio-creche de R$ 622 cada, planos de cargos, carreiras e salários, mais segurança nas agências, igualdade de oportunidades, respeito da jornada de seis horas, entre outras.

Fonte: SEEB Piracicaba

Notícias Relacionadas

Proposta sobre Teletrabalho vai avançar

Reivindicações da categoria avançam nas negociações sobre trabalho remoto, mas Comando dos Bancários cobra agilidade na resposta sobre a proposta global A proposta da categoria bancária para o trabalho remoto avançou nas negociações realizadas na tarde desta quinta-feira (11) com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). “Tivemos evolução no Teletrabalho que se torna cláusula da […]

Leia mais

Caixa se nega a criar GT para discutir contencioso da Funcef

Banco avalia que o tema já é tratado pela própria fundação de previdência dos trabalhadores Em reunião de negociações da Campanha Nacional dos Bancários 2022, realizada nesta quarta-feira (10), com a Comissão Executiva dos Empregados (CEE), a Caixa Econômica Federação se negou a atender a reivindicação para que seja criado um grupo de trabalho (GT) […]

Leia mais

Atos pela democracia ocorrem em todo o País e reafirmam o compromisso contra o autoritarismo

Data de 11 de agosto marca a leitura de um manifesto contra ditadura militar em 1977 Brasileiros de inúmeras regiões do País realizaram nesta quinta-feira (11), atos em defesa do estado democrático de direito. Milhares de entidades representativas foram às ruas manifestar a defesa pela garantia da democracia e do sistema eleitoral eletrônico. A data […]

Leia mais

Sindicatos filiados