Bancários de Santos fazem protesto por mais contratações no Santander, nesta quinta-feira

27.07.2022

Reprodução: Sindicato dos Bancários de Santos e Região  O banco espanhol Santander apesar de lucrar R$ 4,005 bilhões no 1º trimestre deste ano, não contrata funcionários, muito pelo contrário demitiu em massa durante a pandemia. Por isso, bancários e a diretoria do Sindicato dos Bancários de Santos e Região realizam protestos em cidades da Baixada […]

Reprodução: Sindicato dos Bancários de Santos e Região 

O banco espanhol Santander apesar de lucrar R$ 4,005 bilhões no 1º trimestre deste ano, não contrata funcionários, muito pelo contrário demitiu em massa durante a pandemia.

Por isso, bancários e a diretoria do Sindicato dos Bancários de Santos e Região realizam protestos em cidades da Baixada Santista com carro de som, distribuição de cartas abertas, cartazes e faixas. Hoje (27/07), a manifestação ocorreu em frente a superintendência de Cubatão, entre 10h e 12h, na Av. 9 De Abril, 2270 – Cubatão/SP. O banco além de demitir aumentou o horário de atendimento para os poucos que ficaram. Amanhã (28/07) será na agência do Santander, em Praia Grande/SP, das 10h às 12h, na Av. Presidente Costa e Silva, 502 – Centro.


“O Sindicato é a favor da ampliação do horário de funcionamento, desde que o banco espanhol contrate mais bancários para trabalhar em dois turnos. Diminui o desemprego, melhora as condições de trabalho e o atendimento”, afirma Élcio Quinta, presidente do Sindicato.

“O banco demite bancários impondo sobrecarga de trabalho e acúmulo de funções. Agora, desde 18 de julho, numa atitude desumana, aumentou o horário de atendimento o que está adoecendo grande parte dos funcionários e precarizando o atendimento aos clientes. Tudo com o objetivo exclusivo de lucrar bilhões, mesmo às custas da saúde dos trabalhadores”, ressalta Fabiano Couto, direto do Sindicato dos Bancários de Santos e Região e bancário do Santander.


“Não é justo que os clientes sejam mal recepcionados com atendimento precário e desumano, que os bancários trabalhem sem condições. Somente com o lucro obtido por tarifas pagas pelos clientes o Santander paga toda sua despesa administrativa e os salários e ainda sobram milhões”, acrescenta Fabiano couto.


Segundo dados do Dieese, com as tarifas pagas pelos clientes, somente no 1º trimestre de 2022, o Santander pagou 185,2% de todas as suas despesas administrativas e com pessoal, sobraram milhões. Isso não leva em conta o lucro obtido por outras fontes como os empréstimos, venda de produtos ou especulação com ações na Bolsa de Valores.

Na sexta (29) será a vez de Santos/SP, no Gonzaga, Av. Ana Costa, 481, também das 10h às 12h.

Sindicato dos Bancários de Santos e Região 

Notícias Relacionadas

Financiários conquistam proposta com reajustes econômicos e garantias de direitos

Feeb SP/MS indica aceitação da proposta; assembleias devem ser realizadas até segunda-feira (10) Depois de uma negociação que se estendeu por quase três meses, os financiários conquistaram a garantia de todos os direitos da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) por dois anos. Em negociação realizada na manhã desta quarta-feira (5), de forma híbrida, a Federação […]

Leia mais

Financiários se reúnem com a Fenacrefi nesta quarta-feira (5)

Este será o terceiro encontro de negociação desde a entrega da pauta de reivindicações, realizada em 1º de julho Representantes dos financiários se reúnem com a Federação Interestadual das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Fenacrefi), nesta quarta-feira (5), às 11h, para dar continuidade às negociações da Campanha Nacional 2022. Esta será a terceira rodada […]

Leia mais

Feeb SP/MS discute nova terceirização do Santander nesta terça-feira (4)

Nesta terça-feira (4), dirigentes sindicais da Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) se reúnem para tratar sobre o tema “Terceirização do Santander”. A expectativa é a de que 1,7 mil empregados passem a atuar na empresa SX Tools, criada pelo próprio banco. O anúncio foi feito […]

Leia mais

Sindicatos filiados