Bancários negociam saúde, segurança, igualdade e remuneração nesta quarta

15.08.2012

O Comando Nacional dos Bancários realiza nesta quarta e quinta-feira 15 e 16 a segunda rodada de negociações da Campanha 2012 com a Fenaban, em São Paulo. Estão na pauta reivindicações sobre saúde e condições de trabalho que restaram da semana passada, segurança bancária, igualdade de oportunidades e remuneração. A nova rodada começa menos de […]

O Comando Nacional dos Bancários realiza nesta quarta e quinta-feira 15 e 16 a segunda rodada de negociações da Campanha 2012 com a Fenaban, em São Paulo. Estão na pauta reivindicações sobre saúde e condições de trabalho que restaram da semana passada, segurança bancária, igualdade de oportunidades e remuneração.

A nova rodada começa menos de 48 horas depois do Dia Nacional de Luta pelo Emprego, realizado na segunda-feria 13, em que os bancários protestaram em todo o país contra o descaso da Fenaban na primeira rodada de negociações ocorrida nos dias 7 e 8 com o Comando Nacional. Além de não apresentarem propostas às reivindicações da categoria, os bancos disseram que os bancários não estão preocupados com o emprego.

O que será negociado nesta segunda rodada

As negociações começam nesta quarta-feira com as questões de saúde e condições de trabalho que ficaram pendentes da primeira rodada, na semana passada, como garantia de salário ao bancário que tiver benefício indeferido ou alta médica pela previdência social, constituição de Cipas, assistência às vítimas de assaltos, sequestros e extorsões e várias outras garantias de promoção da saúde nos locais de trabalho.

Sobre segurança bancária, as principais reivindicações que serão negociadas são a proibição da guarda das chaves e acionadores de alarmes para evitar sequestros, fim do transporte de numerário por bancários, instalação de equipamentos e medidas de prevenção contra assaltos, sequestros e extorsões, emissão obrigatória de BO com cópia aos sindicatos e à Contraf-CUT, estabilidade ao empregado vítima desse tipo de violência, além de adicional de risco de morte de 30% do salário para quem trabalha em agências, postos e áreas de tesouraria.

Os bancários também buscam avanços na promoção da igualdade de oportunidades e de tratamento, por meio da democratização do acesso, garantindo que mulheres, negros, indígenas, homoafetivos e pessoas com deficiência tenham igualdade de condições de contratação, ascensão profissional e remuneração. Outra medida é a eliminação de quaisquer práticas discriminatórias nas relações.

As negociações sobre remuneração envolverão:

– Remuneração fixa direta, como o reajuste salarial de 10,25%, valorização do piso, Plano de Cargos e Salários, adiantamento do 13º, salário do substituto, parcelamento do adiantamento de férias e gratificações.

Remuneração indireta, como auxílio-refeição, cesta-alimentação, 13ª cesta-alimentação, auxílio-creche/babá, 13º auxílio-creche/babá, vale-transporte.

– Remuneração variável, como a PLR. Os bancários reivindicam também a contratação total da remuneração, incluindo a renda variável.

Fonte: Contraf-CUT
 

Notícias Relacionadas

Bancários criam Comitê de Luta durante Congresso Nacional

Comitê nacional lutará para defender o BB como instituição pública e em apoio a projeto de Governo que fortaleça o banco e sua função social, de indutor do crescimento econômico com geração de emprego e renda O papel do Banco do Brasil na reconstrução do país foi um dos temas em destaque no 33° Congresso […]

Leia mais

Coe Itaú entrega pauta de reivindicação específica ao Banco

O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú Os representantes da Comissão de Organização dos Empregados (COE) Itaú entregaram nesta quinta-feira (23), a pauta de reivindicação específica do banco. O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú. “Reafirmamos o nosso compromisso com o banco de negociação permanente, através da […]

Leia mais

Campanha Nacional: Bancários definem temas das próximas negociações com os bancos

Demissão em massa pelo Mercantil do Brasil no Rio de Janeiro; abono do banco de horas negativas e retirada de pauta do PL 1043/2019, também foram pautas do primeiro dia de negociação O Comando Nacional dos Bancários definiu nesta quarta-feira (22), os temas das reuniões de negociações com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Os […]

Leia mais

Sindicatos filiados