Bancários paralisam serviços em Campinas

16.09.2014

O Dia Nacional de Luta da categoria, hoje (15/09), foi marcado em Campinas com paralisação dos serviços nas principais agências de seis bancos públicos e privados (Banco do Brasil, Caixa Federal, Itaú, Bradesco, Santander e HSBC) instalados no centro da cidade. A paralisação, que teve início depois das 7h e se estendeu até às 11h, […]

O Dia Nacional de Luta da categoria, hoje (15/09), foi marcado em Campinas com paralisação dos serviços nas principais agências de seis bancos públicos e privados (Banco do Brasil, Caixa Federal, Itaú, Bradesco, Santander e HSBC) instalados no centro da cidade. A paralisação, que teve início depois das 7h e se estendeu até às 11h, retardando em uma hora a abertura das agências, foi em protesto contra a enrolação da Fenaban na mesa de negociação.

Depois de um mês com a pauta de reivindicações da categoria em mãos, a Fenaban não apresentou nenhuma contraproposta referente à PLR (Participação nos Lucros e Resultados), que era o ponto em debate no último dia 11 na mesa de negociação, segundo dia da quarta e última rodada programada. Diante de um quadro indefinido, a Fenaban e o Comando Nacional dos Bancários estabeleceram um novo calendário de negociação nesta semana. Amanhã, dia 16, terça-feira, pendência da rodada sobre saúde; em destaque, os dados sobre os afastamentos de bancários para tratamento de saúde e o resultado do II Censo da Diversidade, realizado entre os dias 17 de março e 9 de maio deste ano. No dia 17, quarta-feira, pendências das cláusulas sociais. E, no dia 19, (sexta-feira), a Fenaban e o Comando voltam a se reunir para negociar as cláusulas econômicas.

Avaliação

Para o presidente do Sindicato, Jeferson Boava, o momento exige mobilização. “No período de um mês, quatro rodadas e nenhuma contraproposta. Foram oito dias em que a Fenaban se limitou em dizer não. Temos mais uma semana de negociação onde se busca aumento real de salários, PLR que reflita a lucratividade do setor (com distribuição mais justa), contratação total da remuneração variável, valorização dos pisos, fim das metas e assédio moral, mais segurança, igualdade de oportunidades, dentre outros pontos. O Dia de Luta realizado hoje mostrou que a categoria está mobilizada”.

Jairo Gimenez – Sindicato dos Bancários de Campinas 

Notícias Relacionadas

Após repercussão das denúncias de assédio sexual, Pedro Guimarães pede demissão

Testemunhos das vítimas vieram a público na terça-feira (28) e assustam pela quantidade de casos e pelo grau de desrespeito e crueldade; Ministério Público investiga em sigilo O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, entregou seu pedido de demissão na tarde desta quarta-feira (29) ao presidente da república, Jair Bolsonaro. A decisão foi tomada […]

Leia mais

NOTA OFICIAL

NOTA OFICIAL Pelo imediato afastamento de Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, e o acolhimento e preservação das vítimas Nós, bancárias de todo o Brasil, manifestamos nossa indignação pelos atos de assédio sexual praticados por Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, que ganharam repercussão na noite de desta terça-feira, 28/06/2022, ao serem divulgados […]

Leia mais

Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul repudia ações de Pedro Guimarães, acusado de assédio sexual

Além de apuração das denúncias, representação dos empregados pede afastamento do presidente da Caixa Após se tornar pública a acusação de assédio sexual feita por diferentes empregadas da Caixa Econômica Federal ao presidente Pedro Duarte Guimarães, a Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, se solidariza com as vítimas e manifesta […]

Leia mais

Sindicatos filiados