Banco do Brasil amplia distância e se consolida como o maior do País

08.10.2020

O Estado de São Paulo Altamiro Silva Júnior O Banco do Brasil aumentou a distância do Itaú Unibanco e se consolidou como maior banco do País. No segundo trimestre do ano passado, a distância entre os dois era de R$ 2,4 bilhões em ativos a favor do BB. Este ano, a distância se ampliou para […]

O Estado de São Paulo

Altamiro Silva Júnior

O Banco do Brasil aumentou a distância do Itaú Unibanco e se consolidou como maior banco do País. No segundo trimestre do ano passado, a distância entre os dois era de R$ 2,4 bilhões em ativos a favor do BB. Este ano, a distância se ampliou para R$ 104,1 bilhões. Na comparação com o Bradesco, o BB está R$ 200 bilhões à frente e fechou junho com R$ 755 bilhões em ativos, expansão de 26%.
 
Além das aquisições do Banco Nossa Caixa e de 49,9% do Votorantim, o presidente do BB, Aldemir Bendine atribui o crescimento do banco à melhora de renda da população brasileira. Segundo ele, nos últimos anos, foram incorporados ao sistema financeiro 30 milhões de pessoas, que passaram a tomar crédito e usar serviços bancários.
 
O BB voltou no segundo trimestre a apresentar taxas mais robustas no crédito e cresceu mais que seus concorrentes privados. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o banco público cresceu 29%, ante 15% do Bradesco e 11% do Itaú. Na comparação com o primeiro trimestre, o resultado do BB também foi mais expressivo, com 6,9%, ante 4% dos dois privados.
 
Em 2009, o BB já havia liderado a expansão no crédito, mas naquele ano foi pela pressão do governo, que forçou o banco a emprestar mais enquanto os privados se retraíam em meio à crise mundial. “Agora, queremos a liderança no crédito para pessoa física. Já ultrapassamos o Bradesco e nossa carteira chegou a R$ 101 bilhões”, diz Bendine.
 
O líder é o Itaú Unibanco, com R$ 107 bilhões. O BB elegeu três carteiras prioritárias no varejo: financiamento de imóveis, veículos e crédito consignado. Mesmo crescendo mais no crédito, o BB apresentou a menor taxa de calote entre os grandes bancos, com 2,7% no trimestre.
 
 

Notícias Relacionadas

Representantes da Feeb SP/MS prestigiam homenagem aos 70 anos do Sindicato dos Bancários de Campinas

Sessão na Câmara Municipal de Campinas celebrou a data com a presença de autoridades políticas, sindicalistas e membros da comunidade Representantes da Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) participaram da homenagem feita pela Câmara dos Vereadores de Campinas ao Sindicato dos Bancários de […]

Leia mais

SANTANDER: Banco anuncia avanços em reunião com representantes dos funcionários

Negociações com a COE avança em medidas de benefício e capacitação O Santander anunciou nesta quinta-feira (22), durante a reunião com representantes da Comissão de Organização de Empregados (COE) Santander, avanços em medidas que beneficiam os funcionários. O encontro ocorreu em formato híbrido e contou com a participação de representantes dos funcionários e do banco. […]

Leia mais

BB prioriza diversidade na expansão das Gepes

Mulheres, negros, indígenas e PcDs terão prioridade no programa que irá dobrar a rede de Gestão de Pessoas O Banco do Brasil anunciou, nesta quarta-feira (21), um programa de expansão da rede de Gestão de Pessoas (Gepes). Durante a reunião com membros da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), o banco […]

Leia mais

Sindicatos filiados