Banco do Brasil é condenado a pagar R$ 600 mil por assédio moral

03.12.2020

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) do Distrito Federal condenou o Banco do Brasil (BB) a pagar indenização de R$ 600 mil por assédio moral coletivo, pois foi evidenciado que o assédio por superior hierárquico era uma ferramenta de gestão em unidades do banco de diversas partes do País, de acordo com informações da assessoria […]

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) do Distrito Federal condenou o Banco do Brasil (BB) a pagar indenização de R$ 600 mil por assédio moral coletivo, pois foi evidenciado que o assédio por superior hierárquico era uma ferramenta de gestão em unidades do banco de diversas partes do País, de acordo com informações da assessoria de imprensa do TRT. A decisão determina que o valor seja revertido em benefício do Fundo de Amparo ao Trabalhador.

Conforme a assessoria, o Ministério Público do Trabalho (MPT) denunciou a prática de atos de humilhação, de constrangimento e tratamento agressivo contra quatro empregados da Ouvidoria Externa do banco, que perderam comissões e chegaram a pedir aposentadoria devido ao tratamento.

Segundo o MPT, foram verificados inúmeros procedimentos de investigação de assédio moral contra o BB em todo Brasil, além de existirem ações trabalhistas que também mostram a existência de assédio no local. O MPT considerou que a política do banco não combate, de modo eficaz, o assédio moral, diz a assessoria.

O banco alegou que desestimula esse tipo de conduta dos funcionários, mas ponderou que devido ao tamanho do seu quadro de pessoal, não há como impedir a ocorrência eventual do assédio. Segundo a decisão do TRT, a condenação ocorreu porque foi constatada a prática de assédio "que exige providências e reparações."

Procurado, o banco informou que "o Banco do Brasil já recorreu da decisão com base nos fundamentos adotados pelo próprio Tribunal, que reconheceu que o BB adota mecanismos para inibir a prática do assédio moral".

Fonte: Portal Terra

Notícias Relacionadas

Financiários conquistam proposta com reajustes econômicos e garantias de direitos

Feeb SP/MS indica aceitação da proposta; assembleias devem ser realizadas até segunda-feira (10) Depois de uma negociação que se estendeu por quase três meses, os financiários conquistaram a garantia de todos os direitos da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) por dois anos. Em negociação realizada na manhã desta quarta-feira (5), de forma híbrida, a Federação […]

Leia mais

Financiários se reúnem com a Fenacrefi nesta quarta-feira (5)

Este será o terceiro encontro de negociação desde a entrega da pauta de reivindicações, realizada em 1º de julho Representantes dos financiários se reúnem com a Federação Interestadual das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Fenacrefi), nesta quarta-feira (5), às 11h, para dar continuidade às negociações da Campanha Nacional 2022. Esta será a terceira rodada […]

Leia mais

Feeb SP/MS discute nova terceirização do Santander nesta terça-feira (4)

Nesta terça-feira (4), dirigentes sindicais da Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) se reúnem para tratar sobre o tema “Terceirização do Santander”. A expectativa é a de que 1,7 mil empregados passem a atuar na empresa SX Tools, criada pelo próprio banco. O anúncio foi feito […]

Leia mais

Sindicatos filiados